O que é que o Mercadito Blog da Carlota tem?

Mil metros quadrados, uma centena de marcas portuguesas e mais de nove mil visitantes. Está de volta e nós falámos com Fernanda Velez, a organizadora do maior dos mercados em Lisboa

© Blog da Carlota

Sábado é dia de ir às compras a Belém. Parece que o Mercadito Blog da Carlota não quer arredar pé do CCB, suspeita que se volta a confirmar com mais uma edição. Em 100 marcas, mais de metade é a pensar nos mais pequenos, tal como a programação, uma fantochada pegada, no melhor dos sentidos. A ocasião pede e nós fomos conversar com Fernanda Velez, mãe da Carlota (da Carminho) e dona disto tudo.

Bem, parece que o Mercadito não faz tenções de arredar pé do CCB.

Não está nos planos. Há várias características que fazem deste o melhor local até agora. É amplo, a tenda tem mais de mil metros quadrados, é central e é plano, o que é bom para os carrinhos de bebé. Consegue perfeitamente receber as cerca de nove mil pessoas que normalmente o Mercadito Bolg da Carlota recebe.

E com que antecedência é que começam os preparativos?

Dois meses, sendo que o último mês é mesmo muito intensivo. No fundo, o trabalho começa com o blogue. Lá, as peças que eu mostrava começaram a esgotar muito depressa e a ideia seguinte foi arranjar um espaço físico para divulgar as marcas portuguesas. Existiam menos, muitas estavam só online, outras no Norte ou mais a Sul.

Mas também, já não são só as marcas com loja online que querem estar no mercado, certo?

Completamente. Começou a haver mais procura e com isso vieram mais marcas. Algumas ficaram pelo caminho, outras consolidaram-se. Algumas já têm loja física, mas não deixam de estar no Mercadito, que continua a representar facturações muito elevadas. Posso dizer que, em termos de marcas infantis e até de marcas para mulher, às vezes, um dia no mercado equivale a seis meses de vendas em loja.

 

E tem dado para acompanhar o ritmo a que surgem novas marcas?

Desde o primeiro Mercadito Blog da Carlota até agora, surgiram centenas de marcas de criança e também de senhora. As pessoas confiam na selecção que aqui têm. Sabem que não vão encontrar uma senhora que faz uns babetes ao domingo à noite. É uma montra do que se faz em Portugal. Um dos factores para o sucesso do Mercadito é precisamente o critério de selecção. Hoje, há mil mercados em Lisboa, mas este continua a ser o mais bem-sucedido. Isso acontece porque há uma curadoria, que no fundo está ligada ao que eu mostro no blogue e, logo, ao meu gosto pessoal.

Entretanto, o Mercadito também está a mudar.

O blogue e, consequentemente, o mercado acompanham a minha vida. Hoje em dia, eu também estou muito mais virada para mim, daí haver mais marcas de moda feminina. Já passei aquela fase da maternidade e começo a voltar aos meus interesses: a decoração e a moda.

E não pensa em fazer mais do que duas edições por ano?

As pessoas estão fartas de me pedir mais mercados, mas, para mim, a fórmula é esta: fazer dois por ano e na mudança de estação, que é quando faz sentido comprar roupa para os miúdos. Fisicamente, também não aguentaria mais do que isto. As inscrições esgotam no momento em que as lanço e ficam imensas marcas em lista de espera. Se eu quisesse encher dois CCBs, hoje em dia, enchia. Mas sim, para haver critério de selecção, 100 marcas é o limite.

 

Centro Cultural de Belém. Sáb 10.00-19.00. Entrada: 2€ (gratuita até aos 12 anos).

No Porto: Hotel Sheraton, Rua Tenente Valadim, 146. Dia 2 de Abril 10.00-19.00. Entrada livre.

No Mercadito: cinco novas marcas para ficar de olho

Maria do Mar Shop

Maria do Mar Shop

Para os miúdos é um verdadeiro sonho, dos brinquedos à decoração, mas os adultos também têm muito com que se entreter na Maria do Mar Shop. A loja do Parque das Nações vai aproveitar o Mercadito para apresentar uma das grandes novidades desta Primavera: chama-se Ban.Do (na imagem), é uma marca da Califórnia e vai deixar toda a gente a suspirar por dias mais quentes.

Pitaya

Pitaya

A marca é do Porto, mas dá um saltinho a Lisboa para mostrar a nova colecção aos mouros. Os estampados e as cores berrantes não são a praia da Pitaya. O que vai encontrar são peças de corte elaborado e tons neutros que nunca são demais do guarda-roupa de uma mulher.

Publicidade
Lobster

Lobster

Tem casa montada nas Amoreiras e é um verdadeiro charme. Para o Mercadito, a Lobster leva uma selecção de blazers e jaquetas que vai deixar a clientela pelo beicinho. Quando tiver mais tempo, visite a loja original. Pelo ambiente e pelos extras, vai ver que vale a pena.

Sopro Jewellery

Sopro Jewellery

O conceito de básico da Sopro Jewellery vai um bocadinho além do socialmente estabelecido. A atenção aos detalhes está sempre lá e, mesmo nas peças mais simples, os traços de uma joalharia mais elaborada não arredam pé.

Publicidade
Sweet Spot

Sweet Spot

Outro projecto vindo do Norte. Apesar de meter muito styling ao barulho, é na decoração que a Sweet Spot dá cartas. A especialidade são as colagens artísticas, com uma fórmula perfeita para viajar por todos os imaginários estéticos e mais alguns.

Outras coisas para fazer este fim-de-semana

Três sugestões para um fim-de-semana perfeito

Escolher um sítio para jantar, um concerto a não perder, uma boa sessão de cinema, uma visita para se deixar guiar, uma feira para dar largas às compras. Parece simples, mas às vezes dá trabalho. É para isso que cá estamos. Não dê mais voltas à cabeça a decidir o que fazer no fim-de-semana. A não ser que lhe digamos para ir andar na montanha russa.

Ler mais
Por Francisca Dias Real

Comentários

0 comments