Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Desafio Time In: uma curta-metragem por dia
Desafio - uma curta por dia
DR Desafio - uma curta por dia

Desafio Time In: uma curta-metragem por dia

Ficar em casa pode ser um desafio, mas estamos cá para o ajudar. Descubra estas curtas-metragens, uma para cada dia.

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Enquanto estivermos confinados aos nossos lares, na luta contra a propagação do novo coronavírus, há todo o mundo na Internet por desbravar. A Time Out transformou-se em Time In por uns tempos e aqui vai encontrar uma selecção de curtas-metragens, nacionais e internacionais, disponíveis online em todo o seu esplendor. Há de tudo um pouco: drama, comédia, terror, animação e imagem real, documentário ou ficção. Só não vai poder ver tudo de uma assentada só. Todos os dias acrescentamos uma obra cinematográfica de curta duração para o ajudar a passar melhor o tempo em casa.

Veja aqui todos os Desafios Time In

Desafio Time In: uma curta-metragem por dia

DIA 1 | Sleepwalk

"Nestes dias complicados, uma pequena alegria – vou poder finalmente partilhar a nossa curta-metragem com quem ainda não a viu." As palavras são de Filipe Melo, realizador, músico e argumentista responsável pelo primeiro filme de zombies português, I'll See You In My Dreams, pela série Mundo Catita ou bandas desenhadas como a trilogia Dog Mendonça e Pizza Boy, Vampiros e Comer/Beber, a BD que inclui o conto que dá origem a este Sleepwalk (publicado pela primeira vez na revista Granta Portugal). Siga a história de um homem que, na década de 80, percorre o interior dos EUA em busca de uma tarte de maçã, num filme rodado nos EUA em 2017 que já foi distinguido com vários prémios. Entre eles o Prémio Sophia, da Academia Portuguesa de Cinema, para melhor curta-metragem, o Prémio Onofre de melhor curta-metragem no Festival de Cinema Ibérico de Badajoz e uma menção especial do júri do prémio da Amnistia Internacional do Festival Corto Dorico em Itália. Se quiser também pode ver o making of aqui.

DIA 2 | Where Are They Now?

E se os desenhos animados fossem reais e Jessica Rabbit tivesse engordado imenso desde que filmou Quem Tramou Roger Rabbit?? O nervoso coelho do filme realizado por Robert Zemeckis em 1988 é o personagem principal desta verdadeiramente desoladora animação de Steve Cutts, um desconhecido, embora talentoso ilustrador e animador. Where Are They Now (2014) mostra-nos as vidas de diversas personagens de desenhos animados dos anos 1980, após terem abandonado a indústria. Espreitem como actualmente vive o He-Man, os Thunder Cats, ALF, o preguiçoso Garfield ou mesmo os Smurfs ou Estrumpfes (como se dizia em Portugal há uns anos). Algumas cenas podem ferir a susceptibilidade dos mais sensíveis.

Publicidade

DIA 3 | Aningaaq

Antes do sucesso de Roma, já o realizador mexicano Alfonso Cuáron tinha conquistado Hollywood. Primeiro com E a Tua Mãe Também (2001), nomeado para Melhor Argumento Original nos Óscares, e depois com Os Filhos do Homem (2007), nomeado para Melhor Argumento Adaptado, Fotografia e Edição. Mas foi com Gravidade (2013) que Cuarón arrecadou estatuetas da Academia, sete no total, entre elas a de realização, tornando-se o primeiro realizador hispânico a conseguir o feito. Em Gravidade, Sandra Bullock anda perdida no espaço a 500 km da Terra e o único contacto que a sua personagem Ryan Stone consegue fazer é com Aningaaq, um pescador inuit da Gronelândia. Só não falam a língua um do outro… Nesta curta-metragem vemos o outro lado da conversa, num trabalho de Jonás Cuarón, co-argumentista de Gravidade ao lado do seu pai Alfonso Cuarón, também realizador do filme.

DIA 4 | Banana Motherfucker

O género comédia de terror em Portugal ganhou força (e público) há uns anos graças a curtas-metragens como Blarghaaahrgarg (2010), de Nuria Leon Bernardo, Papá Wrestling (2009) de Fernando Alle e André Silva, ou este disparatado Bananamotherfucker (2011), de Pedro Florêncio e Fernando Alle. Uma curta-metragem vencedora do prémio para Melhor Curta-Metragem no Buried Alive Film Festival, em Atlanta, e no Nevermore Film Festival, em Durham, e que também recebeu uma Menção Especial no lisboeta MotelX. Mas deixamos o aviso: tem de ter um espírito mesmo muito aberto para apreciar Bananamotherfucker. A história acompanha a rodagem de um filme de terror que desperta uma antiga maldição que vai destruir o planeta. Uma obra para quem gosta de sangue. E de bananas.

Publicidade

Dia 5 | Castello Cavalcanti

Assinada pelo realizador Wes Anderson, esta curta-metragem foi filmada nos estúdios Cinecittà. Trata-se de uma encomenda da Prada para a campanha e projecto artístico 'Prada Classics', de 2013. Anderson escreve e dirige esta curta-metragem, cuja acção decorre na localidade de Castello Cavalcanti, Itália, em 1955. A história anda em torno de um piloto de automóveis (Jason Schwartzman) que segue em último lugar de uma corrida, até que embate com o carro no centro desta pacata aldeia. Uma curta-metragem imperdível para os fãs do realizador de premiados filmes como O Fantástico Mr. Fox ou Grand Budapest Hotel.

DIA 6 | Kung Fury

É uma verdadeira carta de amor do realizador sueco David Sandberg aos anos 80. Esta curta-metragem de 30 minutos foi lançada em 2015, graças a uma muito bem sucedida campanha de angariação de fundos na plataforma Kickstarter. E foi beber inspiração aos videojogos e aos filmes de acção da década de 80. Agora prepare-se para a sinopse: Kung Fury é um detective que, com a ajuda de uma máquina do tempo, viaja até à II Guerra Mundial para eliminar Adolf Hitler, aqui conhecido como o Kung Führer, para vingar a morte do seu amigo que morreu à mercê do ditador nazi. Mas um erro na máquina leva-o até à Era Viking. Uma comédia de acção carregada de efeitos especiais e cuja banda-sonora inclui um poderoso tema original de David Hasselhoff: “True Survivor”. O videoclipe vale igualmente a pena. Leia também este artigo de 2015 da Time Out Los Angeles sobre os 21 momentos ridículos que mais amaram neste Kung Fury.

Publicidade

DIA 7 | The Gunfighter

Eric Kissack é essencialmente editor de filmes, tendo inclusive sido nomeado para um Emmy pelo seu trabalho em Veep (episódio “Groundbreaking”). É também responsável pela edição de filmes como O Ditador ou Brüno ou por dezenas de episódios da série The Good Place, recentemente concluída, e para a qual ainda realizou uma webseries de seis episódios, em complemento à história principal. Não menos importante é este seu trabalho de 2015, vencedor do Audience Award do LA Film Fest, entre outros prémios festivaleiros. The Gunfighter é uma comédia western que começa com a entrada de um solitário cowboy num bar. As personagens conseguem ouvir a voz do narrador, aqui interpretado pelo actor Nick Offerman, da série Parks and Recreation, que acaba por intervir directamente na trama. Mas conforme a acção se desenrola, o narrador vai revelando a pouco e pouco a sua sede de violência.

DIA 8 | Long Way From Home (How Did We Get Here?)

Depois de uma sessão esgotada no Porto Post Doc, esta curta-metragem ficou disponível no YouTube no início de 2018. Tinha sido gravada poucos meses antes durante a 25.ª edição do Festival Paredes de Coura, pelos realizadores João Diogo Marques e Luís Sobreiro que aqui acompanham o dia-a-dia no emblemático festival de música. Um filme com quase meia hora, mas ainda assim dividido em capítulos como “Ida ao Intermarché” ou "O sítio onde ouvimos um poema lido pela Catarina Wallenstein". Tem ainda direito a subir ao palco com os Japandroids, a banda de rock canadiana de Brian King e David Prowse.

Publicidade

DIA 9 | Room 8

Um prisioneiro descobre uma caixa mágica na sua cela, mas apesar dos avisos do seu companheiro de clausura, a curiosidade leva a melhor. Mas só a curiosidade, porque Ives (interpretado por Tom Cullen) depara-se com um segredo que o pode condenar para sempre. Esta alucinante curta-metragem de James W. Griffiths venceu um BAFTA para Melhor Curta-Metragem de 2013 e é também um dos cinco filmes finalistas do Bombay Sapphire Imagination Series – um projecto cuja proposta foi a elaboração de uma curta-metragem a partir de um esboço de argumento sem indicações de cena. E esse argumento foi elaborado por Geoffrey Fletcher, vencedor do Óscar para Melhor Argumento Adaptado pelo filme Precious.

DIA 10 | Aquametragem

Aquametragem é a resposta de Marina Lobo, Engenheira do Ambiente e Mestre em Animação 3D, ao desafio lançado pela Lisboa E-Nova para a criação de um filme que alertasse para o desperdício de água. Estreou-se em Novembro de 2018 no Cinema São Jorge, numa sessão que incluiu a apresentação do objetivo nº 6 dos Objectivos de Desenvolvimento sustentável (ODS): “Água e Saneamento”. Conta a história de Hidro, um personagem que parece estar rodeado de água sem fim, até que começa a receber sinais de alerta, num trabalho que é também um recurso educativo disponível para todos. 

Produzida por aToca - Animação Digital (fundada por Marina Lobo), Aquametragem foi a curta-metragem vencedora da categoria Proteger o Nosso Planeta no último Festival de Filmes ODS em Ação, das Nações Unidas. Também arrecadou o Prémio Bronze no Handle Climate Change Film Festival; o Prémio Valor da Água – EPAL no CineEco Seia; e o Best Animation Short Film do New Earth International Film Festival, Polónia.

Publicidade

DIA 11 | The Neighbors' Window

Foi a vencedora da categoria Melhor Curta-Metragem (Imagem Real) na última edição dos Óscares e está agora disponível online. Um trabalho do realizador Marshall Curry que já tinha sido nomeado para filmes de curta duração, mas documentais, como A Night at the Garden (2017), If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front (2011) e Street Fight (2005). The Neighbors' Window não é um documentário, mas foi inspirado numa história verídica. Conta a história de Alli, uma mãe de família que vive frustrada com o marido e com a rotina diária. Até que dois jovens se mudam para o prédio no outro lado da rua e ela desenvolve uma obsessão estilo Janela Indiscreta, do Hitchcock, ao observar um modo de vida mais liberto. O elenco é composto por nomes como Maria Dizzia (Orange is the New Black, 13 Reasons Why, While We’re Young); Greg Keller (Lei e Ordem); e Juliana Canfield (Succession). Se ficar fã, explore o site oficial da curta-metragem.

DIA 12 | Pixels

A explosão de 8-bit que foi a longa-metragem Pixels (2015) começou com esta curta de Patrick Jean, o seu primeiro filme após anos a desenhar sequências de créditos para a televisão francesa. Neste original de 2010, personagens de jogos como Tetris ou Donkey Kong começam por invadir Nova Iorque, numa curta-metragem de animação que depressa chamou a atenção dos grandes estúdios que queriam transformá-la num projecto de maior envergadura. A Sony Pictures foi a que levou a melhor, integrando Patrick na lista dos produtores executivos e escolhendo Chris Columbus para a cadeira de realizador. Adam Sandler, fã da curta-metragem desde cedo, é um dos produtores e o líder do elenco.

Publicidade

DIA 13 | Sniffer

O primeiro filme do realizador e argumentista norueguês Bobbie Peers não tem gravidade. Numa sociedade surreal onde é preciso usar botas de ferro para não ser vítima da ausência desta força fundamental da natureza, um farejador profissional de uma fábrica de desodorizantes pondera aliviar o peso numa sociedade de consumo e conformista.
Este pequeno drama do género ficção científica venceu em 2006 a Palm d'Or de Curta-Metragem do Festival de Cannes.

DIA 14 | One Cambodian Family Please for My Pleasure

Foi uma das curtas-metragens finalistas das competições do London Film Week (2018) e do Sundance Film Festival (2019), uma história inspirada no passado da realizadora americana A.M. Lukas, filha de uma refugiada da Checoslováquia e de um imigrante italiano. Lukas nasceu na cidade de Fargo, Dakota do Norte, onde decorre a acção desta curta-metragem, onde uma refugiada checa escreve uma carta a solicitar uma família de refugiados a uma organização. Interpretada pela actriz britânica Emily Mortimer, a personagem Hanka descreve na sua carta as maravilhas do sonho americano no ano de 1981, enquanto a narrativa vai focando os problemas de adaptação da sua família a uma nova realidade.

Publicidade

DIA 15 | Mr. Foley

Um homem acorda num mundo sem som, excepto o produzido por uma equipa de efeitos sonoros e por uma pequena orquestra que o acompanham para todo o lado. Mr. Foley é um filme absurdo e bem-disposto assinado pela dupla irlandesa de realizadores D.A.D.D.Y. (Mike Ahern e Enda Loughman) que arrecadou dez prémios internacionais em festivais por todo o mundo. Apesar de Mr. Foley ter sido lançado em 2009, o site oficial ainda está disponível com conteúdos adicionais.

DIA 16 | North Atlantic

É o único filme realizado e escrito por Bernardo Nascimento, assistente de realização em filmes como O Crime do Padre Amaro (2005) ou o norte-americano Kick-Ass: O Novo Super-Herói (2010). Foi em 2010 que se sentou na cadeira principal para realizar North Atlantic, curta-metragem sobre um controlador de tráfego aéreo que está isolado numa pequena ilha dos Açores e é contatado por um piloto desamparado, à deriva sobre o Atlântico Norte. North Atlantic foi considerada a melhor curta-metragem no festival Anchorage International Film Festival, no Milano International Film Festival Awards, no Savannah Film Festival, no Curtas Vila do Conde - International Film Festival e no Warsaw International Film Festival. Foi ainda um dos dez finalistas do Your Film Festival, um festival de cinema online criado por Ridley Scott.

Publicidade

DIA 17 | História Trágica com Final Feliz

Enquanto a curta-metragem Tio Tomás, de Regina Pessoa, dá a volta ao mundo em prémios, a realizadora de animação associou-se à iniciativa Filmes Curtos Para Dias Longos, da Agência da Curta-Metragem, no Vimeo. É aí que encontra esta História Trágica com Final Feliz (2005), sobre uma menina cujo coração batia tão alto que incomodava os vizinhos. Este é o segundo filme de Regina Pessoa que integra uma trilogia dedicada à infância, com as também premiadas curtas de animação A Noite (1999) e Kali, O Pequeno Vampiro (2012). Mas esta que agora pode ver online é o filme português mais premiado de sempre, distinguido com cerca de 50 prémios, entre eles o The Annecy Cristal, o prémio principal do Festival de Cinema de Animação de Annecy, em França.

DIA 18 | Tufty

TUFTY from Jason Butler on Vimeo.

E se de repente descobrisse a verdadeira origem dos ursinhos de peluche? Neste mundo “ewokiano” criado por Jason Butler e Brendan Butler, os ursinhos de peluche são animais da floresta. Um filme com aventura, drama e terror (e também comédia para os mais insensíveis), onde irredutíveis caçadores procuram a próxima presa para vender no mercado negro dos ursinhos de peluche. Um filme macabro de 2009 que mesmo assim derreteu corações, vencendo o prémio Escolha do Público no Festival Internacional de Cinema Fantástico da Coruña e também no Dead by Dawn Horror Festival, na Escócia.

Publicidade

DIA 19 | World Cinema

É uma das 33 curtas-metragens que integram a antologia To Each His Own Cinema (2007), uma declaração de amor ao grande ecrã criada para celebrar o 60.º aniversário do Festival de Cannes. Esta colecção exibida em festivais de cinema inclui curtas de realizadores como David Cronenberg, Manoel de Oliveira, Gus Van Sant, Lars Von Trier, Jane Campion ou Joel e Ethan Cohen, responsáveis por este World Cinema. Um pequeno filme de três minutos sobre um rancheiro que entra num pequeno cinema onde estão dois filmes estrangeiros em exibição: Os Climas (2006), do realizador turco Nuri Bilge Ceylan, e Regra do Jogo (1939), de Jean Renoir. Para decidir o que ver, conta com a ajuda de um prestável funcionário da bilheteira que lhe fala sobre cada filme. World Cinema conta com as interpretações de Josh Brolin, Grant Heslov e Brooke Smith.

DIA 20 | Excuse me, I'm Looking For The Ping-Pong Room and My Girlfriend

De férias num resort no meio das montanhas, a namorada de Aron discute com ele e desaparece sem deixar pistas. Aron procura por ela, relutantemente, e pelo caminho faz amigos, joga ping pong, bebe cocktails e conhece outra rapariga. Escrita e realizada pelo austríaco Bernhard Wenger, esta longa curta-metragem de 23 minutos lançada em 2018 foi exibida em mais de 100 festivais de todo o mundo, Portugal incluído, e arrecadou vários prémios. Entre eles os galardões de para Melhor Curta-Metragem no Austrian Film Awards, Diagonale Festival of Austrian Film, Independent Days Karlsruhe (Alemanha) e no português FEST – New Directors, New Films Festival, da cidade de Espinho.

Publicidade

DIA 21 | Black Holes

Escrito e realizado pelos irmãos franceses David e Laurent Nicolas, esta curta-metragem de animação foi uma das nomeadas para o reputado Sundance Film Festival em 2017. Criada com o propósito de se transformar numa série de televisão, a história foca-se em Dave, um distinto astronauta ao qual é dada a maior missão da humanidade: conquistar Marte. Mas o seu grande momento é ofuscado por um melão que se apresenta como a reencarnação de um estilista, o que pode levar Dave à loucura. Uma comédia com referências a filmes como Forrest Gump ou 2001: Odisseia no Espaço, onde a voz do astronauta pertence a Conrad Vernon, o mesmo que deu voz ao Gingerbread Man de Shrek. O actor William Fichtner (Crossing Lines, Vida de Mãe) interpreta o personagem Youston.

DIA 22 | Lucy

A 11 de Maio de 1917, chegava uma carta à redacção do Jornal de Notícias onde se lia: “Foi participado pelos Espíritos (...) que no dia treze do corrente, há-de dar-se um facto a respeito da guerra, que impressionará fortemente toda a gente”, assinada por António, “espírita e propagandista da verdade”. Assim se dá início a esta curta documental de 2010, assinada por Nuno Costa e Cristiano van Zeller, que acompanha o milagre de Fátima e a pastorinha Lúcia que encontra uma senhora com saias pouco abaixo dos joelhos e que fala sem mexer os lábios. Lucy foi seleccionada para a competição nacional “Panorama do Cinema Português” da edição 2011 do Fantasporto. Se achar que conhece a voz do narrador de qualquer lado, acha bem. É Adolfo Luxúria Canibal.

Publicidade

DIA 23 | Hair Love

Nesta curta-metragem, os realizadores Matthew A. Cherry e Karen Rupert Toliver contam a história de um pai afro-americano que aprende a pentear a filha pela primeira vez. Foi um dos cinco filmes nomeados para Melhor Curta de Animação na última edição dos Óscares. E venceu. Mas primeiro começou por ganhar uma campanha no Kickstarter, uma iniciativa do também argumentista Matthew A. Cherry que superou de longe a meta inicial de 75 mil dólares (cerca de 69 mil euros), conseguindo atingir quase 300 mil dólares (275 mil euros). "Essa história nasceu da falta de representação nos principais projetos de animação e também do desejo de promover o amor ao cabelo entre jovens homens e mulheres de cor", lê-se na página da curta-metragem no Kickstarter.

DIA 24 | The Tale of the Three Brothers

Os fãs do universo Harry Potter conhecem bem esta história saída de Os Contos de Beedle o Bardo, um livro de J.K. Rowling publicado em 2008 (em Portugal, pela Editorial Presença) que inclui este “Conto dos Três Irmãos”. Um conto que revela a origem dos talismãs da morte, objectos com grande poder de magia (a Capa da Inviabilidade, a Pedra da Ressurreição e a Varinha das Varinhas) e que versa sobre três irmãos que enganam a morte ao recorrerem aos seus poderes para erguer uma ponte que os ajudasse a atravessar um perigoso rio. Uma história também contada por Hermoine em Harry Potter e Os Talismãs da Morte: Parte 1 (2010), numa sequência de animação de três minutos. Nesta curta-metragem, a história é em imagem real e contada por um avô ao neto, em jeito de história de encantar. Foi escrita por dois estudantes da New England School of Communications (EUA), Brandon Doyen e Sydney Hazzard, que conseguiram autorização da própria Warner Bros. (que detém os direitos dos filmes) para ser mostrada ao mundo em 2014.

Publicidade

DIA 25 | La Jetée

La Jetée (1962) [english subtitles] from D. Brion Ebey on Vimeo.

Um cais ou um pontão (jetée) de aeroporto é o ponto de partida para esta curta-metragem de ficção científica do realizador francês Chris Marker, uma das referências da nouvelle vague. Uma obra de 1962 dissecada até à exaustão por estudantes de cinema que serviu de base para o filme de ficção científica 12 Macacos (1995), com Bruce Willis, Brad Pitt e Madeleine Stowe e realizado por Terry Gilliam. Em La Jetée, a acção desenrola-se após a III Guerra Mundial que deixou Paris destruída e radioactiva, empurrando a humanidade para o subsolo. A única esperança é o Tempo e cientistas usam prisioneiros como cobaias de viagens no tempo, planeando enviar missionários ao passado e futuro para ajudar o presente. Uma narrativa de ficção científica montada através de fotografia (há apenas uma imagem em movimento) ao longo de quase meia hora.

DIA 26 | Alternative Math

2 + 2 são mesmo quatro? Ou a resposta certa é 22? Nesta curta-metragem vencedora de 15 prémios em festivais dos EUA, uma professora luta para constatar o óbvio da equação numa escola norte-americana. O problema escala depressa durante seis longos dias, numa América pós-facto, onde a professora se torna vítima de notícias falsas, vendo a sua integridade académica posta em causa por achar que a resposta só pode mesmo ser quatro. Uma radical. Realizada por David Maddox, a curta-metragem foi produzida pelos texanos Ideaman Studios, os mesmos da longa-metragem História de Um Fantasma (2017) com Casey Affleck.

Publicidade

DIA 27 | Os Estrangeiros

"À mercê de uma Vido cheia de tristeza, os estrangeiros abriram-se para a gentil indiferença do mundo". A frase que inaugura esta curta-metragem de Rita Al Cunha foi beber inspiração ao livro O Estrangeiro, de Albert Camus. A realizadora portuguesa viajou até Vido para conhecer três mulheres que após uma vida como emigrantes em França regressaram à terra. Numa Vido com pouca vida e entre muita melancolia, sentem-se de lado nenhum. Esta curta documental foi a vencedora em 2019 da iniciativa Alto Minho Storytelling - Novas Ideias, Novos Talentos e fez parte da selecção oficial dos festivais de cinema MDOC, Frames, Caminhos e Córtex.

DIA 28 | Out of Sight

Das universidades costumam sair bons filmes de curta duração e esta curta-metragem de animação é um bom exemplo, lembrando o estilo do cineasta japonês Hayao Miyazaki (A Viagem de Chihiro, O Castelo Andante, Princesa Mononoke). Out of Sight é um trabalho de final de curso para a National Taiwan University of Arts, realizado pela aluna Ya-ting, Yu, onde Chico, uma jovem cega, anda em busca de Gogo, o seu fiel amigo de quatro patas. Uma aventura mágica e terna de cinco minutos, onde a pequena tem de se socorrer de outros sentidos para conseguir encontrar Gogo.

Publicidade

DIA 29 | Rebooted

Um esqueleto animado de stop motion chamado Phil descobre que estão a fazer um remake do filme para o qual ele foi criado nos anos 60. E ninguém o convidou. Este filme, considerado a melhor curta-metragem australiana de 2019 pelo Flickerfest International Short Film Festival, é uma ode à história dos efeitos especiais, recorrendo num só trabalho à imagem real, stop-motion, GCI, entre outros efeitos que marcaram o cinema. Escrita e realizada por Michael Shanks, em Reboot a personagem central é um efeito especial desactualizado e a antiga estrela de 10 000 Sandals, um sucesso fictício dos anos 60. Mas Phil ainda não está preparado para desistir de uma carreira no cinema e responde à chamada para uma audição exclusiva para monstros. Veja também os bastidores de Rebooted aqui.

DIA 30 | Les 3 Boutons

Uma jovem de 14 anos, que mora no campo, recebe um pacote com um mágico vestido de baile demasiado grande para o seu tamanho. Este conto moderno anti-princesas integra uma série de curtas-metragens produzidas pela Miu Miu para a edição de 2015 do Festival de Cinema de Veneza que a marca de roupa baptizou de “Miu Miu Women's Tales”. Foram todas realizadas por mulheres e uma das autoras convidadas foi Agnès Varda (1928-2019) que apresentou Les 3 Boutons (Os Três Botões), a última curta-metragem da cineasta e fotógrafa, também conhecida por ser uma fervorosa feminista. Filmada entre Bonnieux (Provença) e a Rue Daguerre, em Paris, onde Varda viveu durante 50 anos, esta curta-metragem volta a abordar a questão da emancipação feminina, do ponto de vista de uma adolescente, entre cavernas, estalagmites, ruas, vitrines, obsessões e capacitação.

Publicidade

DIA 31 | Brains?

É um filme de zombies, mas a história conta-se da perspectiva dos mortos-vivos, que adoram a palavra “brains” (cérebros) e que têm de se proteger dos vivos, aqui os maus da fita. Realizada pelo neo-zelandês Giles McNeill, que assina o argumento com Paul Stephanus, esta comédia de 2012 chega a ser comovente. A curta-metragem passou por festivais por todo de mundo, mas foi criada para integrar o 48 Hours Film Project, da qual se sagrou vencedora, batendo centenas de outros trabalhos. E sim, foi feita em apenas dois dias.

DIA 32 | Big Buck Bunny

Localizada nos Países Baixos, também conhecidos por Holanda, a Blender Foundation dedica-se ao desenvolvimento de software com código aberto (open source). Mas tem outros projectos "abertos" como curtas-metragens de animação criadas com o seu próprio software, todas disponíveis no YouTube. Um dos trabalhos que pode ver gratuitamente é este Big Buck Bunny (2008), o segundo filme da Blender, onde um gigante, mas gentil coelho descobre que um grupo de roedores maléficos anda a matar as suas queridas borboletas. Um trabalho do realizador Sacha Goedegebure que ganhou o prémio Escolha do Público no FIKE - Festival Internacional de Curtas Metragens de Évora. Descubra as outras curtas-metragens Blender aqui.

Publicidade

DIA 33 | Chico Malha

O jogo da malha é uma modalidade antiga em Portugal que ainda hoje reúne adeptos em torno de um pino que tem de ser derrubado por discos de metal. Os realizadores Guilherme Gomes e Miguel Reis dedicaram-lhe este falso documentário sobre um dos maiores jogadores de malha de todos os tempos, conhecido por Chico Malha. Nascido na Terra da Horta, no Douro, desde cedo revelou o seu talento na arte de bem malhar, até que um dia foi descoberto por um clube da I Liga, o Clube de Custóias. Uma história que demonstra os perigos do sucesso, tanto na vida como no amor. Não perca ainda as gafes que acompanham os créditos finais desta curta-metragem vencedora de uma Menção Honrosa no Douro FIlm Harvest 2013, do Prémio do Público no Leiria Film Fest 2014 e que também foi considerada a Melhor Curta-Metragem do mês de Fevereiro do Shortcutz Lisboa (2014).

DIA 34 | 25 de Abril - Uma Aventura Para a Demokracya

Há precisamente 20 anos, Edgar Pêra realizou esta curta-metragem que utilizou imagens de arquivo do 25 de Abril de 1974 para criar este documentário experimental sobre o fim de 50 anos de fascismo em Portugal. Uma edição do Centro de Documentação do 25 de Abril que recorre a arquivos da RTP, Exército Português, do fotógrafo Luiz de Carvalho ou do próprio Edgar Pêra.

Publicidade

DIA 35 | Holy Moses

Holy Moses é a prova de conceito de um mundo mais alargado, mas para já é um conto que sobre milagres. A actriz Amanda Seyfried interpreta e assume a produção executiva desta curta-metragem de 2018 realizada pelo promissor Eli Powers e juntos planeiam transformá-la numa longa-metragem chamada Killer Snowflake. Começa na Irlanda do Norte, anos 60, onde uma freira vê uma vaca desaparecer do nada assim que se aproxima. O animal reaparece 25 anos mais tarde numa bomba de gasolina do Texas, para espanto de um funcionário chamado Justice, assim como como uma bíblica sarça ardente.

DIA 36 | Alone With People

A actriz, produtora, argumentista e apresentadora Queen Marcus cresceu no sul dos EUA e desde os seis anos que sabe que é gay. Mas o processo de saída do armário é coisa complexa e só aos 14 anos assumiu a sua sexualidade perante a família. Queen Marcus escreveu a sua história e Drew Van Steenbergen, realizador e colega de faculdade, desafiou-a a adaptar o seu testemunho ao cinema. Em Alone With People (2014), Marcus interpreta-se a si própria, mas no papel de Andy, num argumento que aborda um assunto sério com algum humor à mistura, também graças aos bons tempos de comédia da própria argumentista/actriz. A curta-metragem foi a Escolha do Público nos festivais L.A. Outfest e Out on Film, (Atlanta).

Publicidade

DIA 37 | Granny O'Grimm's Sleeping Beauty

Esta animação de 2008 da Brown Bag Films apresenta uma aparentemente doce velhinha que com a sua versão de A Bela Adormecida consegue aterrorizar a neta quando é hora de dormir. Uma versão distorcida e hilariante do clássico da Disney que no seu ano conseguiu uma nomeação para o Óscar de Melhor Curta-Metragem de Animação. Há até um vídeo da avozinha a falar sobre o convite que recebeu para a cerimónia, onde, de forma pouco simpática, ameaçar sentar-se ao lado do "Brad Clooney". E ainda outro dedicado ao Natal. Um encanto de senhora.

DIA 38 | 9 Kisses

O New York Times tem uma longa tradição de homenagear o que considera terem sido os melhores actores de cada ano. Um projecto chamado Great Performers que em 2014 reuniu grandes duplas para uma curta-metragem em torno da temática do beijo. O resultado são nove micro histórias sobre a arte de oscular no grande ecrã em situações bastante diferentes. O elenco de 9 Kisses foi agrupado da seguinte forma: Benedict Cumberbatch e Reese Witherspoon; Shailene Woodley e Jack O’Connell; Kristen Stewart e Chadwick Boseman; Jason Schwartzman e Patricia Arquette; David Oyelowo e Timothy Spall; Gugu Mbatha-Raw e Miles Teller; Rosario Dawson e Jenny Slate; John Lithgow e Julianne Moore; e Laura Dern e Steve Carell.

Publicidade

DIA 39 | East River

Lupita Nyong'o venceu o Óscar para Melhor Actriz Secundária pela sua fabulosa prestação em 12 Anos Escravo (2013), de Steve McQueen. Na altura, pouco se sabia sobre esta actriz queniana, provavelmente porque antes do filme que a tornou famosa, o único trabalho de Lupita como actriz foi East River. Uma curta-metragem sem diálogos que conta a história de um solitário viajante que chega a Nova Iorque e se ilude com um possível relacionamento amoroso.

DIA 40 | Alike

Em 2010, os animadores Daniel Martínez Lara e Rafa Cano Mendéz iniciaram o desenvolvimento desta curta-metragem, com a ajuda de ex-alunos da Pepe-school-Land, uma escola de animação 3D localizada em Barcelona. Criada com o software livre da Blender, a curta-metragem demorou cinco anos a ser produzida, mas valeu a pena. Recebeu o Prémio Goya para Melhor Curta-Metragem de Animação e já foi vista no YouTube por milhões de pessoas. Uma animação para toda a família onde, num mundo atarefado e cinzento, um pai tenta apontar o caminho certo ao seu filho, numa crítica à falta de criatividade na sociedade moderna.

Publicidade

DIA 41 | Knock Knock

Três amigas arriscam jogar em casa o Knock Knock Game (Jogo do Truz Truz) um ritual de magia negra que permite comunicar com o além através de uma porta. As jovens escolhem falar com Ivy Rose, a tia de Val que morreu assassinada. Um bom filne de terror realizado e escrito por Jeff Betancourt realizador da longa-metragem Boogeyman - O Regresso (2007) e editor de conhecidos filmes como Poltergeist (2015), American Pie: O Reencontro (2012) ou O Tigre e o Dragão: A Espada do Destino (2016). É um bocadinho puxado para espectadores mais sensíveis, mas foi premiado nos festivais SoCal Creative & Innovative Film Festival, Incredifest, International Horror Hotel, Big Easy International Film Festival, California International Film Festival, Williamsburg Independent Film Festival, Los Angeles Short Film Festival e RIP Horror Film Festival.

DIA 42 | Passeio de Domingo

O cineasta José Miguel Riberio é o criador da animação portuguesa mais premiada da história do nosso cinema: A Suspeita (1999). Quase uma década depois, este especialista e professor da área da animação realizou esta co-produção portuguesa, belga, francesa e holandesa em stop motion, falada em inglês (mas aquele sotaque português) sobre uma família prestes a implodir emocionalmente. Um passeio de domingo que não é muito agradável, entre miúdos a chatear, futebol a passar na rádio, uma sogra com língua afiada ou uma nova gravidez. Um dia de infelicidade que vai mudar as vidas da família Idalecio.

Publicidade

DIA 43 | Dirty Machines: The End of History

David Matthew Olson é um criativo norte-americano que em 2013 emigrou para a Suécia em busca de uma "utopia socialista", como descreve na biografia do seu site oficial. Aí começou a trabalhar como Director Criativo da empresa tecnológica Rebtel e em 2019 decidiu lançar-se como freelancer com esta curta-metragem que espera ser um primeiro passo para uma futura série. Olson escreveu, realizou e produziu Dirty Machines: The End of History (2020) que espera ver transformada num "mega-franchise à la Game of Thrones / Star Wars". Num mundo de ficção científica onde é possível fazer turísticas viagens no tempo, um homem assiste ao momento da criação da fórmula que torna tudo possível, com a ajuda de um aparelho electrónico que o guia como se estivesse num museu.

DIA 44 | The Arrival

Dos realizadores e argumentistas Jocelyn DeBoer and Dawn Luebbe nasceu esta comédia negra com laivos de surrealismo sobre um pequeno rapaz que precisa de atenção. Ao nascer uma fofinha irmã mais nova, a atenção da família e em particular da mãe, viram-se para o bebé, deixando Thomas invadido por ciúmes. A solução passa por pedir um desejo: convoca uma nova mãe. Esta curta-metragem de 2017 arrecadou prémios no Chicago Critics Film Festival, Napa Valley Film Festival, FUNCINEMA Argentina) e Way Down Film Festival. O protagonista é interpretado pelo talentoso Elias Harger, o Max de Fuller House (2016-2020), a sequela da série Full House (1987-1995) que na altura lançou as gémeas Olsen.

Publicidade

DIA 45 | Little Pyongyang

Realizada por Roxy Rezvany, jovem produtora inglesa de documentários e séries documentais, esta curta-metragem acompanha Joong-wha Choi, um ex-soldado norte coreano que vive em New Malden, nos subúrbios de Londres. Little Pyongyang (2018) é uma pequena janela para a fechada sociedade da Coreia do Norte através dos olhos de um desertor que conta um pouco da sua infância, a sua passagem para um novo mundo e como vai gerindo alguns sentimentos de culpa.

DIA 46 | Paul Is Dead

E se o Paul McCartney que hoje conhecemos não fosse o mesmo desde 1967? O aviso começa logo à entrada desta curta-metragem: a história não é verdadeira. É sim inspirada numa teoria da conspiração (chamada precisamente Paul is Dead) que defende o seguinte: Ringo, John e George ocultaram a morte acidental de Paul e contrataram alguém mesmo muito parecido para o substituir. Dessa forma, não perderiam o emprego como banda mais famosa do planeta. Este pequeno filme do realizador britânico George Moore aborda o assunto com graça e encontra num pastor de ovelhas um possível substituto para o lugar de McCartney. Neste momento, a equipa criativa de Paul is Dead está a desenvolver uma adaptação para longa-metragem.

Publicidade

DIA 47 | Goldman v Silverman

Depois do sucesso da longa-metragem Uncut Gems (2019), a dupla de realizadores Josh e Benny Safdie, também conhecidos por Irmãos Safdie, volta a juntar-se a Adam Sandler, desta vez num projecto de curta-duração. Goldman v Silverman (2020) põe em confronto duas estátuas-vivas na nova-iorquina e turística Times Square, num frente a frente entre um Sandler dourado e um Benny Safdie prateado.

DIA 48 | El Empleo

Em 2008, os realizadores argentinos Santiago 'Bou' Grasso e Patricio Plaza lançaram esta curta-metragem de animação que correu o mundo e levou para casa 100 prémios nacionais e internacionais. Um pequeno filme de seis minutos que acompanha um homem que se prepara para ir trabalhar. No entanto, todos os objectos, da mesa aos semáforos, são representados por pessoas, numa curta-metragem sem diálogo que reflecte sobre as relações laborais e a força do trabalho nos tempos modernos.

Publicidade

DIA 49 | Thunder Road

Durante o funeral da sua mãe Brenda, o agente da polícia Arnaud faz um discurso onde vagueia entre o elogio da sua querida mãe e alguns sentimentos de culpa. Uma despedida que inclui cantar e a dançar ao som da música preferida de Brenda, “Thunder Road”, de Bruce Springsteen. Uma comédia negra composta por um monólogo filmado num só take e que em 2016 venceu o Grande Prémio do Júri Curta-Metragem no Sundance Film Festival. Uma longa-metragem independente com o mesmo nome foi lançada em 2018, também com Cummings a assumir os principais papéis. Venceu o Grande Prémio do Júri no SXSW Film Festival.

DIA 50 | A Instalação do Medo

Uma mulher abre a porta de casa e dois homens anunciam que vão instalar o medo, para o progresso poder continuar. Um objectivo patriótico nesta história adaptada pelo realizador Ricardo Leite a partir do livro A Instalação do Medo (2012), de Rui Zink. Com os actores Cândido Ferreira, Nuno Janeiro e Margarida Moreira, o filme venceu alguns prémios, entre eles o Prémio Sophia Estudante, em 2017, atribuído pela Academia Portuguesa de Cinema. Foi ainda uma das curtas-metragens que estiveram em competição no MOTELX desse ano, o festival de cinema que no ano seguinte as levou a uma sessão na Cinemateca Francesa.

Publicidade

DIA 51 | Purl

Os famosos estúdios de animação da Pixar lançaram-se em 1995 com Toy Story, a primeira longa-metragem e o primeiro de muitos sucessos, como À Procura de Nemo, Up - Altamente, Carros, Brave ou Os Incríveis, só para dar alguns exemplos. Mesmo assim, a empresa norte-americana quer continuar a apostar em novos artistas, contadores de histórias e em pequenas produções onde, com menos orçamento, se exploram novas técnicas e abordagens. Foi para isso criado o programa The SparkShort que inclui uma série de curtas-metragens já divulgadas como Purl (2018), a história de uma cor-de-rosa novelo de lã (Purl) que vai trabalhar para uma empresa chamada B.R.O. Capital. Mas estará Purl disposta a mudar a sua personalidade para ser aceite pelos colegas?

DIA 52 | Skywatch

Num futuro próximo, dois hackers adolescentes entram no software que controla os drones de um evoluído sistema de entregas. O objectivo é pregar partidas aos vizinhos, trocando as encomendas, mas acabam por tropeçar numa perigosa conspiração política. Skywatch é uma curta-metragem de ficção científica escrita e realizada por Colin Levy, que deixou o seu trabalho como animador dos Pixar Animation Studios para terminar este projecto que espera ver convertido em longa-metragem. Financiado via Kickstarter, Skywatch demorou seis anos a concluir, um esforço que valeu a pena tendo em conta os efeitos visuais que estão ao nível de alguns blockbusters. Protagonizada pelos jovens actores Uriah Shelton e Zach Callison, a curta-metragem inclui um cameo de Jude Law.

Publicidade

DIA 53 | Cautionary Tales

Muitos se lembram de pequenos mitos alimentados pelos adultos enquanto éramos crianças. Coisas como ficarmos com a cara deformada se fizessemos caretas ou com uma árvore no estômago se engolissemos pevides. São estas histórias a base para a curta-metragem da dupla de realizadores britânica Luke Taylor e Chris Barrett (que em conjunto assinam “Us”), onde o personagem Aron se junta a um grupo de apoio para pessoas que não ouviram com atenção os alertas dos pais. Veja também o vídeo do making-of.

DIA 54 | A Viagem à Lua

Clássicos dos clássicos do cinema de curta-duração, este Le Voyage dans la lune (1902) do realizador francês George Méliès, é considerado o primeiro filme de ficção científica da história do cinema. Inspirado em obras dos contemporâneos Júlio Verne e H. G. Wells, o filme acompanha um grupo de astrónomos que constrói uma cápsula que os transporte até ao satélite natural da Terra. Depois de aterrarem no olho da Lua, talvez a imagem mais icónica desta viagem, saem da cápsula de cartola, casaco e corsário, sem qualquer tipo de assistência respiratória, e estendem uma mantinha para dormir. Mas os habitantes da Lua não estão para brincadeiras. Uma cópia a cores, pintada à mão, foi descoberta em 1993 e nove anos mais tarde também descobriram, em França, a cena final que se encontrava perdida. Aqui pode ver estas cópias, restauradas pela Lobster Films, La Fondation Groupama Gan pour le Cinéma e pela La Fondation Technicolor pour le Patrimoine du Cinéma, tudo acompanhado por uma nova banda-sonora original, apresentada na estreia deste restauro durante o Festival de Cannes de 2011.

Publicidade

DIA 55 | The Hook

Um rapaz entra numa academia de boxe de Chris, um antigo campeão cuja alcunha era The Hook (O Gancho). Ed comprou uma aula para experimentar a modalidade, mas o talento parece ter ficado em casa. E o encontro poderá mudar a vida de dois homens que aparentam ter muito pouco em comum. Uma comédia do realizador britânico Nick Flugge, estreada em 2015 e premiada em alguns festivais de cinema.

DIA 56 | The Water Phoenix

Uma sereia é a atracção principal de um aquário, mas apesar de ter sido resgatada de uma praia entre a vida e a morte, só deseja regressar ao oceano. Retida contra a sua própria vontade há dois anos, vai ter de encontrar uma forma de escapar, após ter sido traída pelo amor da sua vida, um biólogo marinho. The Water Phoenix (2017) é uma curta-metragem de Bola Ogun, realizadora afroamericana que também interpreta Anya, a sereia. Em 2015, Ogun tinha escrito um ensaio para a publicação online Indie Wire com o título “Enough with the ‘Black Movies’ Bring on the Black Mermaids”, onde promove a participação de mais actores e actrizes negras nos filmes de fantasia e ficção científica, de forma a enriquecer as narrativas com novas perspectivas.

Publicidade

DIA 57 | A Curva

Ao estilo de Blair Witch Project (1999), é um pseudo documentário de terror e um dos filmes portugueses mais vistos de sempre. No vídeo, três amigos seguem num carro com um brinquedo novo, uma câmara de filmar, e dão boleia a uma rapariga, a meio da noite e no meio do nada. Foi com este filme de David Rebordão, sem genérico e créditos finais, que nasceu o mito urbano de Teresa Fidalgo, uma jovem que morreu num acidente em 1983 e que desde então assombra a Serra de Sintra. Só que é tudo mentira, embora muito boa gente tenha caído que nem um patinho na armadilha do realizador português que começou por divulgar o vídeo no seu site oficial em 2004. Depressa apareceu no YouTube e a história chegou a ser partilhada em intermináveis correntes de emails sobre o fantasma de Teresa Fidalgo, nome inventado por Rebordão. A curta-metragem teve também impacto fora de Portugal e em muitos países a história foi apresentada como verdadeira, do México ao Japão.

DIA 58 | The Silly Bastard Next to the Bed

A frase que dá o título a esta curta documental traduz-se em qualquer coisa como “O sacana com ar de palerma ao lado da cama”. E foi proferida por John F. Kennedy, numa chamada telefónica em 1963, uma das mais desbocadas algumas vez feitas na Casa Branca. Esta curta-metragem de Scott Calonico revela a história por detrás do telefonema, que tem origem numa notícia do The Washington Post que dava conta de uma grande despesa que a Otis Air Force Base tinha feito para preparar um hospital especial, apto para acolher a primeira dama, então grávida de oito meses. Calonico foi também em busca do tal palerma que só tem culpa de ter sido fotografado ao lado da cama, destinada a Jacqueline Kennedy.

Publicidade

DIA 59 | Eater

Foi a série Stranger Things que catapultou a carreira da dupla de argumentistas e realizadores The Duffer Brothers, composta pelos gémeos Matt e Ross. Inseparáveis, frequentaram a mesma universidade e durante esse período na Chapman University (Califórnia) foram profícuos na criação de curtas-metragens. Uma delas é Eater (2007), uma história de terror adaptada de um conto do jornalista, autor e editor inglês Peter Crowther, onde um polícia novato tem de lidar com um canibal à solta na esquadra, durante um caótico turno da noite.

DIA 60 | Quaranteen - A tale of confinement

Do portuense Favo Studio, composto por uma criativa equipa de seis pessoas, já saíram vídeos e animação para marcas como a Louis Vuitton FC Porto, Samsung ou a Nike. Durante a quarentena a equipa fechou-se em casa e foi à distância que decidiram produzir a primeira curta-metragem do Favo Studio, chamada Quaranteen. “Uma idade já dada a muitas inseguranças e escolhas questionáveis, mas que se torna ainda mais confusa num contexto destes”, explica Hugo Raposo, que assume a produção executiva, bem como as vozes da curta-metragem. A realização é de Gustavo Carneiro e a música e o som de Carlos Geraldes.

Mais Desafios Time In

Desafio - Filme
DR

Desafio Time In: um filme por dia

Filmes

Aproveite estes dias para fazer coisas que sempre quis fazer. Por exemplo, ver ou rever aqueles filmes fundamentais que há muito lhe despertam a curiosidade ou de que tem saudades, mas que normalmente não tem tempo para ver – ninguém o está a julgar; sabemos que o tempo não chega para tudo, e todas as semanas havia filmes novos a estrearem-se e mais séries para ver na Netflix, na HBO, na Amazon, e mais restaurantes para conhecer e mais uma vida para viver. Só que agora não há desculpas. Reserve duas ou três horas por dia para ver estes grandes filmes.

Publicidade
Um disco por dia
DR

Desafio Time In: Um disco de música portuguesa por dia

Música Portuguesa

Entretenha os ouvidos com música. Se puder apoiar a música nacional, ainda melhor. Nas últimas semanas, choveram cancelamentos de concertos para os próximos meses. Confinados às suas casas, alguns músicos viraram-se para os ecrãs para continuar a partilhar um pouco da sua arte. Mas ninguém sobrevive com concertos online gratuitos, por isso, nesta altura a melhor forma de os apoiar é comprando música em lojas virtuais. Reserve uma hora por dia para ouvir um disco. Se puder, compre.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade