Woody Allen: o realizador no papel de clarinetista

São mais de mil músicas no reportório da New Orleans Jazz Band, mas nunca se sabe o que vai sair. A intenção é o improviso através do jazz, tão amado por Woody Allen que, por ele, nem Óscares vai receber. Calham sempre em noite de concerto

Photograph: Courtesy Jerry Zigmont

É um cancioneiro rico e carregado de nostalgia, mas ainda assim limitado. Por isso é fácil encontrar marchas, espirituais, blues ou hinos característicos dos anos iniciais do século XX. Mas qualquer coisa depois de 1930, para a banda de Allen, já é esticar um bocado a corda. E aí vão 11 músicas.

Woody Allen: o realizador no papel de clarinetista

The Old Rugged Cross, de George Bennard. Paris 1996

Shine, de Lew Brown, Ford Dabney e Cecil Mack; I Ain't Gonna Give You None Of My Jelly Roll, de Clarence Williams. Nova Iorque 2012

 

Publicidade

Lonesome Blues, de Lil Hardin. Los Angeles 2011

Wild Man Blues, de Louis Armstrong e Jelly Roll Morton. Paris 1996

Publicidade

When I Grow Too Old To Dream, de Sigmund Romberg e Oscar Hammerstein II. Participação especial de Bria Skonberg, no trompete. Nova Iorque 2013

I Can't Believe That You're in Love With Me, de Clarence Gaskill e Jimmy McHugh. Nova Iorque 2010

Publicidade

That Old Feeling, Lew Brown e Sammy Fain. Casino Estoril, passagem de ano 2007/ 2008

Nine Below Zero, de Sonny Boy Williamson II. Nova Iorque 2008

Publicidade

Bella Ciao, tradicional italiano. Roma 2011  

Martha, de Friedrich von Flotow e Larry Clinton. Fotogramas do documentário Wild Man Blues, de Barbara Kopple

Publicidade

Só para fãs de Woody Allen

Seis filmes nostálgicos de Woody Allen

Em fitas como Zelig, A Rosa Púrpura do Cairo ou Através da Noite, Woody Allen, que nasceu em 1935, regressa às décadas de 20 e 30 para filmar dramas ou comédias, sempre ao som do jazz dessa época, que é a sua música favorita e que costuma tocar ao vivo com a sua banda.

Ler mais
Por Eurico de Barros

Woody Allen em concerto, ou o músico escondido atrás do cineasta

Seja qual for a resposta, o músico por detrás do cineasta com uma queda por jazz, nas bandas sonoras dos seus filmes, tem-se mostrado um melómano conhecedor. E um propagandista, por assim dizer, de uma música que corresponde também a uma banda sonora de Nova Iorque, melhor, da Manhattan da sua imaginação. Dez exemplos já a seguir.

Ler mais
Por Rui Monteiro
Publicidade

Comentários

0 comments