A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

5 coisas que não sabe sobre... a EPAL

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

A EPAL comemora 150 anos de vida, embora a circulação de água potável em Lisboa não tenha corrido sempre debaixo do mesmo nome.

Foi a Companhia das Águas de Lisboa que abasteceu a cidade entre 1868 e 1974, ano em que foi constituída a sua sucessora, a EPAL – Empresa Pública das Águas de Lisboa. A partir de 1981 passou a chamar-se EPAL – Empresa Pública das Águas Livres.

1 - O Aqueduto das Águas Livres foi construído entre 1731 e 1799 e representa uma obra de engenharia notável para a época. O troço principal tem 14km de extensão, com início em Belas, na Mãe de Água Velha, e fim no reservatório da Mãe de Água das Amoreiras. É tudo muito bonito, mas a sua construção só foi possível com a criação de um imposto lançado sobre bens essenciais como o azeite, o vinho e a carne.

2 - O Reservatório da Mãe d’Água das Amoreiras (Catedral da Água para os amigos) é o mais antigo de Lisboa. E é também uma obra de arte que começou a ser construída em 1746, um projecto do arquitecto húngaro Carlos Mardel que hoje está aberto ao público como um dos quatro núcleos do Museu da Água (juntamente com a Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, o Reservatório da Patriarcal e o Aqueduto das Águas Livres). O espaço é palco de exposições, desfiles de moda e outros eventos, mas um dos mais importantes da sua história foi em 1862 quando recebeu durante três dias os festejos de casamento do rei D. Luís I e D. Maria Pia de Sabóia.

3 - Debaixo do Jardim do Príncipe Real encontra-se o Reservatório da Patriarcal, desactivado nos anos 1940. Já muitos lisboetas se sentiram o Indiana Jones ao percorrer (com um guia é certo) as galerias subterrâneas que dão acesso a este reservatório construído em meados do século XIX mesmo por baixo do Jardim do Príncipe Real. Chama-se Patriarcal porque neste local existiu a Capela Real, sede da Patriarcal, destruída por um fogo em 1769.

4 - Entretanto Lisboa cresceu, cresceu, cresceu e era preciso mais água a circular pela cidade. A solução encontrada foi a construção de mais um aqueduto, o do Alviela, entre 1871 e 1880 e da Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, situada onde existiu o antigo convento da ordem religiosa dos Barbadinhos Italianos. Recordamos que as ordens religiosas foram extintas em 1834 e, na altura, o convento passou para as mãos do Ministério da Guerra até ser erguida a estação elevatória.

5 - Havia cinco galerias que integravam o sistema do Aqueduto das Águas Livres e a Galeria do Loreto era uma delas. A extensão total chega aos 2835 metros, tudo subterrâneo, e abastecia locais como a Imprensa Nacional ou o Palácio dos Carvalhos, onde o Marquês de Pombal passava grandes temporadas. E onde estava quando começou o terramoto de 1755.

+ 5 coisas que não sabe sobre... a Ponte 25 de Abril

+ 5 coisas que não sabe sobre... a Pastelaria Benard

+ 5 coisas que não sabe sobre... o Ascensor da Bica

Últimas notícias

    Publicidade