A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Cereja do Fundão
© DR

A cereja é do Fundão, mas também chega a Lisboa

Como já é tradição, com a época da cereja chega a Lisboa a Rota Gastronómica Cereja do Fundão. Vários restaurantes incluem nos seus menus pratos feitos com este fruto.

Escrito por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

Está aberta a época da cereja: bonita e saborosa. Apareceu devagarinho nas últimas semanas, mas já não há banca de fruta que não a venda. E os próximos dias vão ficar ainda mais doces. À semelhança do que aconteceu em anos anteriores, a Câmara Municipal do Fundão promove em Lisboa a Rota Gastronómica Cereja do Fundão. Entre os dias 16 de Junho e 2 de Julho, restaurantes estrelados como o LOCO, de Alexandre Silva, ou a Fortaleza do Guincho, de Gil Fernades, apresentarão nas suas cartas pratos originais com a cereja do Fundão. Além disso, vai voltar à cidade o quiosque em forma de cereja, também conhecido como o “Cherry Móvel”, onde vai ser possível não só comprar esta fruta, como também uma variedade de produtos feitos com cereja (de chocolates, a chás e licores, há um mundo para descobrir). 

Se há altura do ano em que o Fundão fica mais perto é nesta, quando não faltam iniciativas para promover as cerejas que dão fama à região. E não pense que só restaurantes com estrela Michelin aderiram à festa. No FOGO, no Prado, no Suba, no Hotel Albatroz, no In.Vulgar e nas Tasca e Taberna da Esquina também haverá pratos onde a cereja brilha – e nem todos serão doces. Já no Porto, aderiram à rota gastronómica os restaurantes Almeja (chef João Cura), DOP (chef Rui Paula), Euskalduna e Semea (chef Vasco Coelho Santos) e Pedro Lemos (chef Pedro Lemos).

Já na Santini, voltou o sabor de gelado de cereja, do Fundão, pois claro. “A Cereja do Fundão é um dos nossos produtos-ícone. Além de marcar a chegada do bom tempo – e dos períodos de convívio , é um ingrediente de enorme potencial gastronómico que nos dá imenso prazer trabalhar, que deve ser saboreada nesta altura do ano para se desfrutar dela na sua época de maior qualidade”, escreve Eduardo Santini, administrador e responsável pela área de produção da gelataria. 

Ainda em Lisboa, caso não queira sair de casa ou queira surpreender alguém, é possível encomendar a cereja do Fundão através da Bolt Food, da Glovo e da Uber Eats. Melhor só se apadrinhar uma cerejeira. É possível e não tem nada que saber: por 20€ recebe dois quilos de cerejas e contribui para a regeneração da natureza, plantando e acompanhando o crescimento de uma árvore. Claro está que nos próximos anos, e como bom padrinho, pode visitar a sua árvore e ir colhendo os seus frutos. 

Se está a planear uma ida ao Fundão, Junho é o mês ideal para poder aproveitar o festival Fundão, Aqui Come-se Bem – Sabores da Cereja, onde vários restaurantes, bares e pastelarias prometem surpreendê-lo. Se calhar de estar pela zona neste fim-de-semana, ainda apanha a famosa Festa da Cereja com uma programação recheada de teatro, animação de rua, concertos, passeios pelos pomares, live cooking e artesanato.

“A Campanha da Cereja do Fundão volta mais uma vez a realizar-se com um conjunto diversificado de iniciativas, que mais não são actividades que pretendem mostrar, divulgar e consolidar o valor da Cereja do Fundão para a nossa região. O concelho do Fundão detém cerca de 60% da produção nacional de cereja o que faz dele um lugar privilegiado para o desenvolvimento de actividades ligadas ao turismo e à gastronomia, tendo sempre como base o fruto embaixador desta região, a cereja”, refere Paulo Fernandes, presidente da Câmara Municipal do Fundão, numa nota de imprensa. “Este ano prevemos um aumento da taxa de visitas em 15% o que, a concretizar-se, demonstra o trabalho profícuo que o município tem vindo a fazer ao longo dos anos, em torno da Cereja do Fundão.”

+ No Insólito, a vista acompanha com um cocktail e à mesa só chega um menu de degustação

+ No 18.68 não há bombeiros, mas a carta de cocktails e petiscos pode pegar fogo

Últimas notícias

    Publicidade