A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Confeere
Fotografia: Ricardo Lopes

A escultura de Confeere em Entrecampos perdeu o telemóvel

No final de 2021, Confeere plantou em Entrecampos a escultura ‘REALITY BLOCKER’, que critica o tempo que passamos ao telemóvel. Mas agora, telemóvel nem vê-lo.

Escrito por
Renata Lima Lobo
Publicidade

Não se sabe desde quando, mas está desaparecido o telemóvel de REALITY BLOCKER. A escultura do artista plástico Confeere, instalada desde Dezembro no túnel do viaduto de Entrecampos, na Avenida da República, e originalmente de olhos postos num telemóvel, alerta para o tempo que passamos mergulhados em equipamentos tecnológicos, ignorando o que se passa à nossa volta. 

REALITY BLOCKER
© Chris CostaConfeere e o seu 'REALITY BLOCKER', antes de lhe roubarem o telemóvel

“Por enquanto não está só nas minhas mãos a reparação da obra. A partir do momento em que deixo as minhas obras na rua, elas deixam de ser só minhas e, como tudo na vida, estamos sempre sujeitos a mudanças”, explica Confeere, acrescentando que este estrago da sua obra de arte “é um bocado o reflexo da nossa sociedade”. Mas sem dramas, porque não se importa de “assumir que as peças vão-se alterando com o tempo e de assumir o contacto do ser humano com as peças”.

Construída com recurso a têxteis recicláveis, a escultura é também “um apelo à transição da comunidade têxtil para uma economia circular, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável e combatendo o problema dos resíduos”, explica a Underdogs Gallery, a impulsionadora desta iniciativa que integra o seu Programa de Arte Pública, em parceria com a Galeria de Arte Urbana da Câmara Municipal de Lisboa.

+ Estação de Santos ganhou um mural. “É importante tornar a arte inclusiva e acessível”

+ Siga este roteiro de arte urbana em Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade