A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

A Musa faz dois anos, este sábado há festa

Por Miguel Branco
Publicidade

No fundo é a Musa a dobrar. Dois anos de cerveja com uma festa sempre animada por duplas: Conan Osiris e bailarino, Irmãos Makossa, La Fua Blanca, entre outros. Do meio-dia às duas da manhã.  

A estrada sempre foi um bom motor de arranque, o princípio de muita coisa. A Musa, marca de cerveja artesanal lisboeta, não foge à regra. “Algures na A1, numa viagem entre Porto e Lisboa nos idos de 2014, Bruno e Nuno, colegas numa grande consultora mas com muita (mesmo muita) vontade de mudar de vida, decidiram que era altura de se começar a beber cerveja realmente boa em Portugal”, explica-nos Bárbara Simões, responsável pela comunicação da Musa. Muitos mais quilómetros depois, com conhecimento obtido entre produtores e especialistas por todo o mundo, os amigos instalavam-se em Marvila, num armazém velho que transformaram em fábrica (há dois anos) e em tap-room (há um). Nascia assim um conceito que viria a mudar o paladar (e as saídas nocturnas) de muitos lisboetas. Este sábado, para celebrar os dois anos de vida, a Musa dá-nos uma festa a dobrar, com uma programação musical baseada em duos. Tchim-tchim. 

Mas isto já tem o seu tempo. A Marvila virgem que encontraram na altura, que ajudaram a desenvolver (inclusive com a criação do Lisbon Beer District em parceria com as cervejeiras Dois Corvos e Lince), é hoje o símbolo máximo de uma cidade em crescente gentrificação, de uma Lisboa já sem território desconhecido, ou livre de turistas, tanto que já muitas vezes dão indicações em inglês: "Já acontece várias vezes. Mas a loucura babeliana do eixo Cais do Sodré-Baixa-Chiado ainda não chegou a Marvila. A língua oficial por cá ainda é o português. Dito isto, tem sido drástico o acréscimo de trânsito na zona, principalmente às sextas e sábados. Já há carros mal-estacionados e rebocados, polícia na rua, arrumadores por todo o lado e ruas cheias de gente. Curioso e entusiasmante, pois há um, dois anos atrás estava praticamente deserto”, conta. 

Este sábado, o ex-deserto será uma enchente, também a dobrar: “Neste caso, o festejo a dobrar celebra os nossos dois anos, no dia 12 até às 2 da manhã com super-mega-duos. Em palco e atrás da cabine estarão sempre duas pessoas. Conan Osiris e bailarino, TOCHAPESTANA, Vive Les Cones, Irmãos Makossa e uma série de duplas da casa que vão fazendo transições e dando música ao bairro. Para fechar a noite vamos ter La Fua Blanca (Fua – Lovers & Lollypops + La Flama Blanca). Não sabemos se é para ver a dobrar (cada um sabe de si), mas é definitivamente para ouvir a dobrar”, conclui Bárbara. E agora concluímos nós, para ser a dobrar. 

Musa. Sáb 12.00-02.00. Entrada livre. 

Os melhores bares de cerveja em Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade