Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right A música irónica mas sincera da nova editora de Lisboa: Geleia Lenta
Notícias / Música

A música irónica mas sincera da nova editora de Lisboa: Geleia Lenta

Geleia Lenta

O colectivo lisboeta Geleia Lenta edita a primeira mixtape a 24 de Maio. O single "howuwantit" é o primeiro avanço do que vem aí.

No princípio, eram os Juba. Foi com esse nome que João Isaac, Joel Lucas, Miguel Marinho e Tomás Frias escreveram e editaram Mynah, um disco de rock vagamente psicadélico e matemático, em 2013. Após um “bloqueio criativo” separaram-se, mas reencontraram-se passado um algum tempo e perceberam que estavam outra vez no mesmo comprimento de onda. A Geleia Lenta começou a ganhar forma.

Isaac descreve a Geleia Lenta como um “colectivo/editora wtv”, mas os quatro membros continuam a operar como uma banda, mesmo que agora cada um tenha a sua identidade: Isaac é AMIK, Joel é miianmar, Miguel é Lagoa Laguna e Tomás é TOMMY BOY. A 24 de Maio, vão editar música para divorciados, uma primeira mixtape que segundo Isaac “acaba por reflectir um pouco uma visão irónica mas sincera do panorama musical atual”. Quando falam daquilo que os inspirou, referem o r&b dos 90s, o trap e a vaporwave actuais.

Todas as canções foram compostas em conjunto, apesar de creditadas individualmente. “Acabámos por contribuir todos”, resume Tomás. “[A diferença é que] em Juba, tínhamos uma abordagem de composição em ensaio. Com Geleia é mais um trabalho cirúrgico de estúdio”, aprofunda Joel. “A canção surge sempre de uma pessoa ou de um conjunto de pessoas. O resto do pessoal acaba sempre por acrescentar algo numa fase mais avançada da composição”, conclui Miguel.

Depois de música para divorciados, a ideia é continuar a lançar singles individuais e trabalhar na reprodução destas canções ao vivo. “A médio-longo prazo gostávamos de editar outros artistas”, adianta Joel. “E uma segunda mixtape, já com mais pessoal à mistura.”

+ Longa vida ao Village

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments