Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Admirável Mundo Novo: uma série sobre o lado negro da felicidade
NUP_187456_0125.jpg
Peacock BRAVE NEW WORLD -- "Pilot" Episode 101 -- Pictured: Alden Ehrenreich as John the Savage -- (Photo by: Steve Schofield/Peacock)

Admirável Mundo Novo: uma série sobre o lado negro da felicidade

A HBO estreia a série ‘Admirável Mundo Novo’ esta quinta-feira. Recordamos a distopia escrita por Aldous Huxley e as adaptações anteriores à TV.

Publicidade

Quando Aldous Huxley começou a escrever Admirável Mundo Novo, na Primavera de 1931, queria parodiar as utopias de ficção científica (FC) do seu compatriota H.G. Wells. Mas, à medida que escrevia, entusiasmava-se cada vez mais com o enredo e com o mundo futuro que estava a criar. E acabou por assinar aquilo a que chamou de “anti-utopia”, que se tornou num dos títulos de referência da literatura de FC na modalidade das distopias, que pintam futuros pessimistas e totalitários de vários tipos, sejam científica e tecnologicamente avançados, sejam de desolação pós-apocalíptica.

A história passa-se no ano de 2540, em Inglaterra e num mundo em que a expressão de qualquer tipo de sentimentos ou ideias dissonantes é controlada pelo Estado, alegadamente em nome do bem global e tendo como justificação o estabelecimento da sociedade perfeita, impecavelmente ordenada, segura e harmónica, na qual família, dinheiro, monogamia e privacidade foram abolidos. Temas como a manipulação genética e psicológica, a reprodução em laboratório, a eugenia e o uso de fármacos para controlo social surgem em Admirável Mundo Novo, cujo irónico título Aldous Huxley foi buscar a A Tempestade, de William Shakespeare.

O livro nunca foi levado ao cinema, embora Ridley Scott tivesse pensado nisso em 2009. O filme teria Leonardo DiCaprio à frente do elenco, mas foi abandonado. Houve já duas versões para televisão, ambas telefilmes. A primeira, e melhor e mais fiel ao livro, data de 1980, com Keir Dullea, Bud Cort, Kristoffer Tabori e Julie Cobb nos principais papéis, e foi então exibida em Portugal na RTP2. Seguiu-se-lhe, em 1998, uma versão bastante menos colada à obra, com Peter Gallagher, Leonard Nimoy, Sally Kirkland e Miguel Ferrer. A HBO apresenta agora a primeira versão em série de Admirável Mundo Novo, criada por David Wiener (Fear the Walking Dead), numa co-produção entre a Amblin de Steven Spielberg, a NBC e a Universal.

Alden Ehrenreich, Demi Moore, Jessica Brown Findlay e Harry Lloyd desempenham os papéis principais. Bernard Marx e Lenina Crowne, cidadãos de Nova Londres, só conhecem uma ordem social rígida, um medicamento perfeito chamado Soma e uma cultura de gratificação instantânea e de sexo livre e omnipresente. Tudo vai mudar quando decidem visitar as Terras Selvagens e são salvos de uma situação perigosa pelo “selvagem” e ingénuo John, que regressa com eles a casa. E que vai abalar a paz e a estabilidade da sociedade totalitária e de felicidade artificial em que vivem.

HBO. Qui (estreia T1)

+ As melhores séries para ver em Julho

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade