A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Biblioteca de Alcantara
Câmara Municipal de LisboaA sala de leitura da biblioteca

Alcântara tem uma nova biblioteca no Palacete dos Condes de Burnay

É a terceira maior da rede de bibliotecas públicas da cidade. Tem uma galeria, um espaço para famílias, uma sala multiusos e um jardim.

Por Sebastião Almeida
Publicidade

Alcântara tem uma nova biblioteca no Palacete dos Condes de Burnay. O edifício, cuja intervenção se iniciou há três anos, a cargo da arquitecta Margarida Grácio Nunes, foi reconhecido com uma menção honrosa de melhor intervenção de impacto social do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2020. Está aberto ao público desde esta segunda-feira, 5 de Outubro.

O novo equipamento municipal é a terceira maior biblioteca de Lisboa e insere-se num território que foi um dos redutos republicanos onde se conspirou primeiro contra a monarquia e, mais tarde, contra a ditadura do Estado Novo. A requalificação, disse à Lusa a vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto, teve em conta a importância e memória histórica do bairro. Foi na mesma rua onde nasce agora a biblioteca que o artista plástico e militante antifascista José Dias Coelho foi assassinado pela PIDE. Depois do 25 de Abril, e tendo sido denunciada a sua morte pelo cantor José Afonso em A morte saiu à rua, a artéria recebeu o nome do artista caído às mãos da polícia política.

A intervenção procurou manter a traça original, conferindo mais luz natural ao interior. Os frescos foram recuperados, procurando conferir um design mais moderno ao espaço. Com cinco pisos (o último com vista para o bairro e para o Tejo), a biblioteca terá uma loja, uma sala multiusos, um espaço para famílias, o jardim e uma galeria, que tem patente uma exposição de aguarelas de Emília Dias Coelho, irmã de José Dias Coelho. A complementar a obra, foi colocada uma peça escultórica do artista plástico José Pedro Croft no jardim.

Esta trata-se da 18.ª biblioteca inserida na Rede de Bibliotecas de Lisboa. O objectivo, sublinhou a vereadora, é que o raio de acção se estenda além do bairro onde está inserida. Por agora, está previsto estrear-se uma peça no teatro comunitário baseada na vida de José Dias Coelho e um coro ensaiado pelo maestro Pedro Branco. Até Dezembro, haverá uma visita guiada por dia às instalações. Também será possível a devolução de livros 24 horas por dia, através de um dispositivo numa das paredes.

Rua José Dias Coelho, 27-29 (Alcântara). 21 8173 730. Seg-Sex 10.00-12.30/ 14.00-17.00, Sáb (2.º e 4.º de cada mês) 10.00-12.30/14.00-17.00

 + Leia grátis a Time Out Portugal desta semana

+  Conheça as bibliotecas de Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade