A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
estação do arco do cego
©Time Out

Antiga estação do Arco do Cego vai ser convertida no Técnico Innovation Center

Dez anos depois, vão finalmente arrancar as obras para a construção do Técnico Innovation Center na antiga estação do Arco do Cego.

Escrito por
Renata Lima Lobo
Publicidade

Ciência, inovação e cultura. São estas as palavras-chave do Técnico Innovation Center (TIC), que vai finalmente começar a ser construído na antiga estação do Arco do Cego. Será um futuro farol da produção e divulgação de conhecimento, com uma componente cultural de apoio a novas actividades económicas, onde a população não universitária também será convidada a entrar. 

Estação do Arco do Cego
©DRImagem de projecto do futuro Tecnico Innovation Center

A 17 de Abril de 1882, foi construída a Estação do Arco Cego, na antiga Quinta do Poço Caído, uma estrutura que funcionou como recolha de eléctricos da Carris até 1997. Depois ainda foi um terminal rodoviário e chegou aos dias de hoje como um simples parque de estacionamento automóvel. Porém, há dez anos, o Instituto Superior Técnico (IST) e a Câmara Municipal de Lisboa assinaram um protocolo de cedência de superfície que previa a construção de um espaço de ciência, arquitectura, engenharia e tecnologia, destinado a alunos e professores do IST e a toda a comunidade lisboeta. O direito de superfície foi constituído em 2013, o projecto foi aprovado em 2017 e 2023 será o ano de inauguração do TIC, prometeu Rogério Colaço, professor e presidente do IST, durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra, que decorreu esta segunda-feira na estação do Arco do Cego.

O projecto promete dar uma nova vida às três naves da estrutura metálica que faz parte da paisagem lisboeta, numa espécie de extensão do campus da Alameda, ali quase ao lado. O TIC irá incluir 1000 m² de “espaço colaborativo”, onde os estudantes podem desenvolver projectos em parceria com empresas ou criarem as suas próprias startups; 2000 m² estarão destinados a uma área de exposição permanente aberta ao público e com programação cultural associada; e outros 1000 m² ficarão reservados a um espaço de lazer com zona de restauração aberta a toda a cidade. O financiamento foi garantido pelo CCDR-LVT (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo) e também pela Fidelidade, um mecenas privado que se torna assim um dos principais parceiros do projecto, num investimento total de 13,9 milhões de euros.

Estação do Arco do Cego
©DRImagem de projecto do futuro Tecnico Innovation Center

Para Rogério Campos Henriques, presidente da comissão executiva da Fidelidade, “ Portugal precisa da ligação entre universidades e empresas para criar conhecimento e gerar riqueza”, descrevendo o futuro TIC como um “local de síntese” entre a academia e a sociedade civil. Também presente na cerimónia, Isabel Ferreira, Secretária de Estado da Valorização do Interior, considera este projecto “uma aposta clara na ciência”, acrescentando que essa é a “melhor fórmula para criar riqueza”. Num final de tarde recheado de convidados especiais, também o Ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, subiu ao palanque, deixando um repto para a futura área de exposição aberta ao público: uma mostra de ciências e tecnologias do mar, sublinhando a importância do IST na contribuição para o desenvolvimento sustentável.

+ Obras na Garagem Lis desenterram vestígios do Real Colyseu de Lisboa

+ O Quake está prestes a reproduzir a experiência do terramoto de 1755

Últimas notícias

    Publicidade