A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

"Better Call Saul" de volta à Netflix

Escrito por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

O Saul Goodman de Breaking Bad não foi sempre Saul Goodman (Bob Odenkirk), antes disso o advogado foi Jimmy McGill e é essa vida que conhecemos em Better Call Saul. O primeiro episódio da quarta temporada estreia-se hoje na Netflix.

À quarta temporada, o universo de Breaking Bad e Better Call Saul confunde-se cada vez mais, para gáudio dos fãs, mas a verdade é que Better Call Saul vale por si. Ou seja, se é daqueles que vê a série à procura de um vislumbre de Walter White, está a fazê-lo com a intenção errada.

É verdade que a série de Vince Gilligan é o ideal para matar saudades de Breaking Bad, mas não é apenas pelas personagens, mas pelo simples facto de se tratar de televisão de qualidade.

Nos novos episódios que chegam agora à Netflix (ao ritmo de um por semana), Jimmy entra cada vez mais no mundo do crime, afastando-se da carreira de sucesso que ambicionou ter na advocacia – ou pelo menos da ideia de se tornar num advogado sério como o irmão, Chuck McGill (Michael McKean). Foi, aliás, a relação com o irmão que moldou toda a série até aqui. Jimmy sempre fez tudo para agradar, acabando sempre menosprezado. Agora que Chuck morreu, Jimmy importa-se menos em sujar as mãos, entra no mundo do crime e aproxima-se cada vez mais daquilo que será Saul Goodman. Não é o advogado dos pobres, mas dos criminosos, sempre com um esquema em mente.

As semelhanças com Breaking Bad não vão estar apenas nas personagens – Better Call Saul já nem seria a mesma série se não tivesse Mike (Jonathan Banks) e Gus (Giancarlo Esposito) –, mas também no pano de fundo: guerras entre cartéis e muita droga.

+ Dez séries originais Netflix que tem de ver

Últimas notícias

    Publicidade