A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Espaço Nido Numa Casca de Noz
Gabriell Vieira

Café, loja e sala de brincar: o Espaço Nido é isto tudo e ainda mais

No novo Espaço Nido Numa Casca de Noz quase tudo gira à volta das crianças. Fomos conhecer o café para famílias em que cada um paga o que considera justo .

Escrito por
Vera Moura
Publicidade

A visita tinha tudo para ser curta: íamos apenas conhecer um novo café, pequenino, que nas redes sociais dava nas vistas pelas paredes com bonecos coloridos e pelas crianças sentadas no chão a desenhar com giz no balcão de ardósia. A visita acabou por ser longa, muito longa: é que a história de Tatiana e Filipe, os donos do Espaço Nido Numa Casca de Noz, em Campo de Ourique, é tão cheia de aventuras que não cabe nestas páginas. E o projecto, afinal, vai muito além de um cafezinho family-friendly, juntando-lhe ideias e ideais que vão da sustentabilidade ao empreendedorismo feminino, da economia colaborativa à maternidade positiva. Nem as paredes são só crocodilos com botas, tigres de barriga azul ou gorilas de camisola de gola alta para nos facilitar o trabalho: há frases do cientista Stephen Hawking, pequenos jacarés de madeira pendurados (não parece mas são cadeiras de comer para bebés) e um menu de comidas, bebidas e brunch sem preços. 

A jornalista não sabe para onde se virar nem por onde começar. Uma coisa é certa: desta vez não dá para começar pelo princípio. Talvez pelo fim? A ver. 

Espaço Nido
Gabriell Vieira

No dia 2 de Outubro abriu em Campo de Ourique um lugar diferente. “Há sítios zero pensados para crianças e sítios só pensados para crianças”, diz Tatiana, ex-fotógrafa de moda brasileira. “Aqui é as duas coisas”. E por isso o Espaço Nido é tudo o que as famílias sonham: seguro (há uma cancela de madeira para impedir que alguma criança kamikaze fuja para a rua), divertido (há uma tenda de circo “no meio do caminho” para aqueles miúdos mais tímidos, que não querem perder os pais de vista), prático (há cabides para pendurar carrinhos de bebé), descontraído (os miúdos podem fazer barulho e mexer em tudo), didático (há sessões de leitura infantis, aulas de yoga, oficinas e rodas de conversas) e confortável (há uma sala de brincar com tapetes, almofadas, livros e uma casinha de madeira, qual quarto dos brinquedos). 

Mas é mais, muito mais – houvesse linhas para enumerar tudo. É café, já o dissemos, mas não um café banal. Tem tostas, croissants e quiches, bolos caseiros, tortas e waffles. Tem hambúrgueres vegetarianos, dadinhos de tapioca e pão de queijo, sumos e bebidas quentes. E também tem brunch, com algumas destas coisas mais ovos mexidos e iogurte com granola. O que não tem é preços. “Aqui quem dá o preço final é o cliente, com base no que quer pagar, no que pode pagar e no que acredita que vale”, resume Filipe, especialista em economia colaborativa e do bem comum. “Tem sido interessante, com todo o tipo de reacção. Mas sabe? 90 por cento das pessoas paga mais do que o valor que teríamos cobrado.” Ainda assim, a ideia causa-lhe algum desconforto? Aqui não há julgamentos nem a conta é um bicho-papão: o cliente coloca o dinheiro num frasco, tira o troco, se for o caso, ou serve-se da máquina multibanco sem ter de pedir ajuda ao casal brasileiro. 

Espaço Nido
Gabriell Vieira

Achava que já tinha acabado? Longe disso. O Espaço Nido Numa Casca de Noz (nido é o latim de ninho; casca de noz é o nome do best-seller do físico Stephen Hawking) também é loja: um negócio colaborativo com espaço para os projectos infantis de várias pequenas empreendedoras – todas mulheres – que Tatiana foi descobrindo desde que chegou a Portugal, e que fazem companhia à sua própria marca de almofadas de amamentação, A Cor de Abóbora. “Não é só uma montra”, esclarece a proprietária, mãe de três. “Pego na mão delas e vamos juntas. Faço fotos, vídeos, ajudo com as redes sociais… Cuidado e acolhimento são os nossos lemas.” Cestos dos Mimos de Avó, roupa da Monami, carimbos da Unbox me, bonecas cabeludas da Xiba Balia e figurinhas de croché de Carla Ferrino são algumas das coisas que pode descobrir entre dois golos de cappuccino ou duas garfadas no bolo de laranja fofinho. 

A descrição do novo espaço ficaria incompleta sem parar na instagramável sala multiusos, que tanto serve para os miúdos brincarem enquanto os pais descontraem no café, como de sala de aula para sessões de leitura, yoga ou dança ou para fazer festas de aniversário quando encerram ao domingo. Ao lado fica a cozinha compartilhada, totalmente equipada e certificada para outros empreendedores poderem alugar. 

O espaço está a esgotar-se e, agora que relê o texto, a jornalista confirma que não começou pelo princípio, quando Tatiana e Filipe se conheceram no Rio de Janeiro, começaram a construir uma família, se mudaram para Lisboa, trocaram a Penha de França por Campo de Ourique, pediram ajuda num crowdfunding, conseguiram o apoio da Câmara Municipal com o programa Lisboa Empreende + e construíram com as próprias mãos (e muitos ajudantes improváveis, que chamam de “anjos”) tudo o que agora está à vista. Mas afinal também não conseguiu começar pelo fim, como ia tentar, que isto ainda agora começou e não faltam ideias aos donos para crescer ainda mais. O melhor é lá ir ver com os próprios olhos, deixar os miúdos à-vontade, e ouvir como tudo começou. 

Rua Maria Pia 556 (Campo de Ourique). Ter-Sex 09.30-18.00. Sáb 09.30-17.00

+ Fim-de-semana perfeito em família

Últimas notícias

    Publicidade