A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Festival Internacional Balões de Ar Quente
Festival Internacional Balões de Ar Quente

Fim-de-semana perfeito em família

Chegou o fim-de-semana e não sabe o que fazer com as crianças? Temos várias sugestões de coisas para fazer em família.

Raquel Dias da Silva
Escrito por
Vera Moura
e
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Estamos quase no final do Verão, mas as temperaturas não dão sinal de abrandar. O que significa que não há melhor altura para fins‑de-semana perfeitos em família, desde que à sombra, claro. Às vezes basta uma visita a um dos melhores parques e jardins da cidade para fazer a festa. Mas se precisa de entreter as crianças até ficarem sem pilha e ser hora de voltar para a cama outra vez, explore outras sugestões para encher o sábado e o domingo. Há teatro, workshops, passeios e muitas outras propostas para, arriscamos escrever, todos os gostos e feitios. Só tem de escolher como os entreter. Se tiver dúvidas, não nos pergunte a nós: pergunte-lhes a eles.

Recomendado: As melhores coisas para fazer este fim-de-semana em Lisboa

Fim-de-semana perfeito em família

  • Coisas para fazer
  • Oeiras

O arranque da 25ª edição do Festival Internacional de Balões de Ar Quente (FIBAQ) acontece, pela primeira vez, em Oeiras. O festival, organizado pela Publibalão desde 1997, ainda não tem as restantes datas marcadas, mas a organização diz que nesse dia irá revelar as novidades do FIBAQ 2022, que habitualmente enche de cor os céus do Alentejo. O ponto alto (literalmente) será o Night Glow, um espectáculo nocturno de luz, cor e som, com as chamas dos queimadores dos balões a serem libertadas ao ritmo da música. Os mais aventureiros poderão assistir ao espectáculo nas alturas, ao se inscreverem num baptismo de voo cativo (balão fixo com subidas e descidas), gratuito e limitado às vagas existentes, preenchidas por ordem de chegada.

  • Teatro
  • Belém

Era uma vez um casal sem filhos, que queria muito uma criança. Era uma vez uma grávida, com desejos de rabanetes, que ousou roubar os da vizinha. Era uma vez uma jovem de longos cabelos louros, aprisionada no cimo de uma torre por uma feiticeira vingativa. A história é conhecida, mas agora chega-nos com sons e ritmos diferentes, pela mão da Byfurcação. “É uma adaptação do conto tradicional dos Irmãos Grimm, que nos leva a tentar o musical infantil”, diz o encenador Paulo Cintrão, que também subirá a palco, juntamente com João Ascenso, João Parreira, Carlos Gonçalves e Ricardo Karitsis. Depois de estrear com sucesso na Quinta da Ribafria, em Sintra, RAPunzel – Talvez Musical convida as famílias a rumar até ao Jardim Botânico Tropical, em Belém.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Com Ricardo Carriço a dar a voz a toda a narração, esta exposição imersiva é a mais recente criação de OCubo. Em “Misterioso Egipto”, no Reservatório da Mãe d'Água, somos levados a explorar alguns dos momentos e elementos mais simbólicos da civilização egípcia, através de recriações originais de conteúdos e dezenas de imagens de museus e bibliotecas de todo o mundo.

  • Coisas para fazer
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

A Feira do Livro do Museu Bordalo Pinheiro está marcada para este fim-de-semana, entre as 11.00 e as 18.00, e o programa inclui desde apresentações até visitas guiadas e oficinas para todas as idades (inclusive de colagens para famílias com crianças). A entrada é livre e a programação, dinamizada por várias livrarias lisboetas, dará especial destaque ao humor, à ilustração e à banda desenhada. Entre as livrarias convidadas, está já confirmada a presença da Baobá, da Cult. e da Legendary Books. Esta última também estará a servir comes e bebes.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Parque das Nações

O direito humano à água e ao saneamento foi reconhecido pela ONU em 2010. Mas, para cerca de um terço do planeta, um gesto tão banal como abrir uma torneira e ter água potável continua a ser um sonho impossível. É urgente torná-lo realidade: eis o que diz a exposição do Pavilhão do Conhecimento, que convida as famílias a experimentar e a descobrir as múltiplas facetas da disponibilidade e uso deste bem essencial. Do “Ciclo Desequilibrado”, que desafia a rever o impacto da acção humana no ciclo da água, até à “Mercearia da D. Rosalia”, onde a factura, que podemos mesmo imprimir e levar para casa, apresenta o nosso perfil de consumidor hídrico, há muito para descobrir sobre a regalia que é viver num “Presente com acesso a água”.

  • Miúdos
  • Belém

O ilustrador João Fazenda tomou-lhe o gosto e invade o LU.CA novamente, com uma exposição e uma peça de teatro, a sua segunda criação para crianças. Elias e o Dinossauro Rex são os protagonistas de uma aventura que ensina que às vezes é preciso mudar de lugar para perceber melhor o que nos rodeia e que certos problemas se resolvem cantando a uma só voz. 

Publicidade
  • Miúdos
  • Belém

Com inspiração nas exposições do Maat, esta oficina de exploração tecnológica e artística para crianças parte das plásticas com recurso a sistemas robotizados para pensar conceitos, temas e desafios que as obras sugerem. A ideia é construir máquinas-artistas que desenham, reagem, produzem sonoridades e ajudam a perceber, e olhar de novo o mundo que nos rodeia.

  • Arte
  • Belém

A representação do corpo é um dos temas pelos quais as crianças mais demonstram interesse. Por isso, o Museu Coleção Berardo apresenta agora a exposição Dos Pés à Cabeça, pensada para os mais novos. A mostra, que pretende dar a conhecer a forma como os artistas modernos e contemporâneos pensam e representam o corpo humano, é constituída por obras de Ana Mendieta, Henri Michaux, Caetano Dias, Ângelo de Sousa, Helena Almeida, Georg Baselitz, Keith Haring, Peter Blake e Álvaro Lapa, entre muitos outros artistas representados na Colecção Berardo. Há ainda uma sala lúdica onde as crianças podem participar em actividades.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Jogos e passatempos
  • Baixa Pombalina
  • preço 1 de 4

Quem ainda teve oportunidade de visitar a Feira Popular de Lisboa, fechada desde 2003, lembra-se dela com especial carinho: dos salões de jogos cheios de luzes aos restaurantes onde se parava para recarregar baterias. “O frenesim de ver a roda. O cheiro das farturas. Os gritos de felicidade, que tornavam a entrada no recinto um acontecimento só por si”, evoca Marta Pereira Duarte, gestora de projectos da Escape Hunt, antes de nos convidar a descobrir a nova sala de fuga. Chama-se A Feira Popular, em homenagem à Feira Popular de Lisboa, agora apenas uma memória cada vez mais distante. Não tem carrinhos-de-choque, caracóis, farturas, casa assombrada ou uma montanha russa imponente, mas não faltam atracções com que brincar. Há espaço para dois a cinco jogadores (inclusive crianças a partir dos oito anos, desde que acompanhadas por adultos), mas se forem seis, ninguém leva a mal. Os preços variam entre 55€ e 80€ por grupo (quanto maior, mais barato fica a cada um).

  • Coisas para fazer
  • Grande Lisboa

A plataforma Hoopers continua a promover a requalificação de campos de basquetebol. Desta vez quem assina a intervenção artística é o colectivo Crack Kids, que teve oportunidade de dar uma nova vida ao campo polidesportivo junto à Rua Mário de Sá Carneiro, em Cacilhas. Além do artista Miguel Negretti, mais conhecido como DJ Glue, membro fundador do colectivo e também DJ da histórica banda almadense Da Weasel, Francisco Freitas também assina o projecto. O artista visual, conhecido por Chikolaev, é residente no local e subscreve o carinho pelo campo, utilizado constantemente pelas crianças, jovens e famílias do bairro.

Publicidade
  • Desporto

Quem entra nestes parques de trampolins sabe que é para saltar como se tivesse molas nos pés e quisesse chegar ao infinito e mais além. Instalam-se em grandes armazéns, normalmente na periferia, com um grande pé alto e espaço para receber rampas, camas elásticas e trampolins para os mais pequenos e para os crescidos, que também podem ser crianças quando o espírito interior assim o quiser.

Coisas para fazer com crianças em casa

  • Miúdos

Ver televisão o dia inteiro está fora de questão – mas também não seja intransigente, um episódio por dia nem sabe o bem que lhes fazia (a eles e aos pais). Entre leituras, pinturas, cozinhados e trabalhos manuais, o que não falta são coisas para fazer com os miúdos dentro de casa. Boa sorte!

  • Miúdos

Num período de incertezas o conforto e a segurança de casa nunca falham. Sobretudo se for capaz de entreter os miúdos sem perder a paciência nem revirar a sala de estar ou a cozinha do avesso. Para o ajudar, fomos à procura de actividades online para miúdos irrequietos, desde aulas de tecnologia para os mais cromos até sessões de yoga para os mais ágeis, sem esquecer histórias para os adormecer a todos, claro.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade