A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Audaz gastropub
©Manuel Manso

Campo de Ourique ficou mais Audaz com um novo gastrobar

Por
Ines Garcia
Publicidade

Escusa de fazer piscinas. O Audaz, em Campo de Ourique, é um tudo em um – pode jantar, beber um copo e deixar-se ficar até tarde. 

Há bons restaurantes no bairro de Campo de Ourique, mas faltava um espaço onde desse para fazer tudo sem ter de correr as capelinhas todas. Comer e beber um copo, por esta ordem ou a inversa, ficar para ouvir música ou ter conversas longas. O novo grupo de restaurantes da cidade, Osande, chegou para colmatar essa falha e apresenta o seu primeiro projecto: chama-se Audaz e tem como chef executivo Manuel Lino (ex-Tabik e Local).

Pezinhos de coentrada
Fotografia: Manuel Manso

“É um sítio descontraído com uma cozinha criativa. Tem um grande foco no bar e um ambiente mais nocturno, mas não é um bar nem uma discoteca. É uma espécie de restaurante onde a coisa se pode prolongar. Ou se quiseres vir só a seguir ao jantar, beber qualquer coisa”, explica Manuel Lino, responsável pela parte das comidas. O menu é reflexo disso. Há 14 propostas, todas pensadas para partilhar, que partem de uma matriz vincadamente portuguesa. E por isso não é de estranhar as moelas de galinha, aqui estufadas com espuma de batata e alho (8€), os pezinhos de porco de coentrada com sames de bacalhau fritos e crocantes (8€) ou a orelha de porco, um dos favoritos do chef mas um dos mais menos prezados, numa versão crocante prensada com escabeche de mexilhões e um surpreendente molho de francesinha a envolver e ligar tudo (8€). 

Orelha de porco com molho de francesinha
Fotografia: Manuel Manso

Encontrará, também, carapau alimado com pão frito e óleo de coentros (6,50€), tártaro ora de beterraba assada (8€), ora de vaca (11€), ambos com picles caseiros, um mais tradicional bacalhau confitado (17€) ou uma bochecha de vitela estufada com cremoso de batata doce (17€).“A base é a cozinha portuguesa mas não nos quisemos limitar. Falámos todos [a equipa de cozinha] e deixamos as influências do percurso de cada um influenciar alguns pratos”, admite Lino. Por isso há, por exemplo, uma corvina na brasa com molho asiático tom yum e alho francês assado (18€). Lá para Março/Abril, conta introduzir algo com enguia na carta. “Os pratos nunca vão mudar todos. Mas isso não quer dizer que a carta não seja dinâmica. Daqui a um mês e meio, dois, metemos mais três, tiramos três que não estejam a funcionar tão bem”, justifica. 

Bochecha de vitela estufada com cremoso de batata doce
Fotografia: Manuel Manso

Nas sobremesas as mesmas raízes, com pudim de pão do Sátão servido com gelado de anis (5€) ou uma encharcada com gelado de azeite virgem extra e azeitona crocante (5€)a conviver com um arroz cotta, uma panacota de arroz doce com caramelo de canela e arroz crocante (5€). 

Desassossego
Fotografia: Manuel Manso

A complementar e harmonizar tudo isto está André Peixe, que tratou da parte do bar, com uma carta bem maior do que a de comida, com vários capítulos. Comecemos pelos cocktails de autor, onde está o Audaz, com whiskey, café, xarope de açúcar e cerveja (10€) ou o Desassossego, uma mistura que leva pisco, leite de quinoa, sumo de lima, xarope de agave e katsuobushi, uma conserva seca de atum bonito (8,50€). Há bebidas bem estudadas sem álcool, todos os clássicos, e sugestões “audazes” infusionadas com chá, que usam o gin, o rum, a tequila ou um whiskey. Isto sem falar nas referências portuguesas de vinho e nas oito opções de cerveja artesanal. 

O chef Manuel Lino
Fotografia: Manuel Manso

O Audaz em Campo de Ourique é o primeiro de um conceito que será replicado noutros bairros da cidade, sempre com Manuel Lino à frente da cozinha. Neste, há um mural da artista Tamara Alves, que durante três dias se dedicou à parede mais próxima da cozinha e do bar – onde estará sempre uma mesa de mistura para DJs ou outros convidados para uma programação cultural ainda por anunciar – e fez nascer tigres e verduras a aconchegá- -los. Nas próximas réplicas audazes, querem ter sempre uma parede pintada a personalizar o espaço e a dar-lhe vida. Um palco, explicam, para artistas emergentes. E um género de pista para um pezinho de dança num restaurante que também é bar. Se lhe der a fome perto da hora de fecho, não há problema – a cozinha fecha uma hora antes de o espaço encerrar, mas nesse período há uma carta de snacks com opções tão gulosas como as asas de frango fritas (7€), o prego de atum (9€) ou os baos de leitão (9€).

Rua 4 de Infantaria, 3A (Campo de Ourique). 21 134 9094. Dom-Qua 17.00-01.00, Qui-Sáb 17.00-02.00. 

+ Restaurantes e bares para jantar e começar a noite

Últimas notícias

    Publicidade