Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Campolide festeja. Eléctrico 24 vai funcionar em pleno em Maio
Notícias / Vida urbana

Campolide festeja. Eléctrico 24 vai funcionar em pleno em Maio

Eléctrico 24
João Barata/JFC

A data ainda não está fechada, mas os testes já arrancaram e desde há uns dias que o eléctrico 24 circula entre o Largo Camões e Campolide. À Time Out, o presidente da Junta de Freguesia de Campolide, André Couto, revelou que a carreira vai ser oficialmente inaugurada em meados de Maio.

“Foi uma luta gigante, mas correu bem. Não se trata apenas de termos conseguido o regresso do 24, que muitos acharam impossível, mas é o regresso a uma parte muito emblemática de Campolide”, diz-nos André Couto. “Não há ninguém que não tenha recordações fantásticas do eléctrico.”

Eléctrico 24

 

João Barata/JFC

 

Foi em 1905 que o 24 saiu à rua pela primeira vez. Ligava o Rossio a Campolide, fazendo paragens no Cais do Sodré, Rua do Alecrim, Príncipe Real, Rato e Amoreiras. Com a passagem dos anos foi sofrendo alterações e a linha chegou a ser prolongada até à Avenida Duque de Ávila, Rua Morais Soares e Alto de São João. Em 1995 a carreira foi suspensa. Até hoje.

“Assumi esta batalha e fiz questão que o eléctrico regressasse como uma carreira para qualquer lisboeta andar e não apenas num formato turístico, como se chegou a falar”, conta o presidente da junta, destacando como os “populares têm reagido com entusiasmo ao ver o eléctrico na rua”.

Eléctrico 24

João Barata/JFC

 

“É bom para colocar Campolide no mapa, vem dar auto-estima à freguesia. Afinal também estamos no centro da cidade. Os meus colegas no centro histórico queixam-se que têm turistas a mais, Campolide tem a menos”, continua, com a certeza de que a economia local vai sair a ganhar.

Apesar de o eléctrico estar já em testes, a Carris ainda não fechou todas as paragens da carreira, sabendo-se apenas que este vai circular entre o Largo Camões e Campolide.

Eléctrico 24

João Barata/JFC

“Costumava-se dizer que Campolide tinha duas coisas: o aqueduto e o eléctrico. O aqueduto felizmente não pode sair daqui, o eléctrico regressa agora”, conclui André Couto.

+ Eléctrico 24 já circula entre o Camões e Campolide

Publicidade
Publicidade