A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Jazz 2020
Fotografia: Fundação Calouste Gulbenkian

Cancelado o Jazz em Agosto, Gulbenkian cria evento ao ar livre para compensar

Entre 31 de Julho e 9 de Agosto, volta a ouvir-se jazz no anfiteatro ao ar livre. A programação aposta sobretudo em músicos portugueses.

Por Raquel Dias da Silva
Publicidade

O Festival Jazz em Agosto, que se realiza anualmente no Anfiteatro ao Ar Livre da Fundação Calouste Gulbenkian, não vai acontecer este ano. Mas o evento Jazz 2020, anunciado esta segunda-feira, vai ocupar-lhe o lugar. O objectivo é apoiar o regresso dos músicos portugueses ao palco e ao reencontro do público. Entre Julho e Agosto, conte com dois fins-de-semana de música improvisada e exploratória.

“Numa altura em que muitos artistas viram os seus projectos cancelados ou adiados, esta edição é também uma oportunidade única para apoiar mais de 60 músicos e as equipas técnicas envolvidas na produção destes concertos”, segundo a Gulbenkian, que refere ainda uma parceria com a Associação Porta-Jazz, no Porto, e com o Jazz ao Centro Clube, em Coimbra. Estas duas identidades têm-se destacado na divulgação do jazz em Portugal e vão também apresentar um ciclo de concertos, em datas e locais a anunciar.

O Jazz 2020 contará com seis concertos em Lisboa (31 de Julho e 1, 2, 7, 8 e 9 de Agosto), dois no Porto e dois em Coimbra. A programação, composta por projectos nacionais, seleccionados entre os trabalhos discográficos e as actuações ao vivo que marcaram o último ano da cena jazz em Portugal, incluem nomes como Susana Santos Silva, João Lencastre, João Mortágua, Luís Vicente, Pedro Melo Alves, Ricardo Toscano e Miguel Mira. O programa completo está disponível para consulta no site da Gulbenkian.

+ Oito bateristas de jazz portugueses que precisa de ouvir

Últimas notícias

    Publicidade