A Time Out na sua caixa de entrada

Música, Buba Espinho
©Facebook/Buba EspinhoBuba Espinho

Carta de Amor a Lisboa: Buba Espinho

Desafiámos alfacinhas com jeito para as palavras a escrever a Lisboa, a cidade do nosso coração.

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Querida Lisboa,

Que saudades tinha de te falar e de te ver. Sei que não estás a atravessar os melhores dias, mas não te entristeças, pois continuas linda! Aliás, ver-te mais vazia, ainda tem mais encanto:

O Tejo continua a abraçar-te, o Castelo permanece alto e imponente, Belém sem turistas tem outra beleza, Alfama continua linda, mesmo sem ter marchado nos Santos Populares. Hoje vejo-te como uma menina livre e contente e isso alegra-me.

Não nos conhecemos desde a infância, mas sempre me encantaste, e inspiraste. Esta tua nova faceta, faz-me lembrar um pouco o meu Alentejo, descomprometido, livre, e acredita que gosto muito de ti assim. Parece que me identifico mais contigo, e que te compreendo melhor do que antes. Antes só te via cheia de gente, cansada de viveres todos os dias como se fosse o último, e isso deixava-te abatida, não mostrava a tua verdadeira beleza, que agora está aos olhos de todos, pois estás despida do disfarce que te tem alimentado nos últimos anos.

Tenho saudades de conversar contigo pela noite dentro, apenas com a lua a ouvir. Antes, talvez não me ouvisses, mas hoje sei que me ouves e que me entendes! Nunca deixes de ser Lisboa, a menina bonita!

- Buba Espinho, músico

+ Entrevista: Buba Espinho, cantor e fadista

+ Leia, grátis, a Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade