A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Sirigaita na manifestação de 30 de Setembro
DRSirigaita na manifestação de 30 de Setembro

Cinco anos de Sirigaita dão em festa este sábado (mesmo na iminência de despejo)

Espaço auto-gerido com forte dinâmica comunitária, activista e cultural vê terminar em Fevereiro o contrato de arrendamento do espaço nos Anjos.

Escrito por
Rute Barbedo
Publicidade

Este sábado, 9 de Dezembro, a Sirigaita, uma associação que reúne diferentes colectivos, celebra "cinco anos de festa, de auto-gestão, de apoio mútuo, de experimentação artística, de encurtar distâncias, de solidariedade não-sectária, de luta alegre, de cuidado e de convívio entre quem é contrário ao deserto à sua volta". Para o colectivo instalado no 12F da Rua dos Anjos, e apesar da iminência de despejo (já que o contrato de arrendamento termina em Fevereiro de 2024 e não deverá ser renovado), estes cinco anos provaram "que é possível fazer-se muita coisa em conjunto, sem incentivo de lucro ou de prestígio". A melhor forma que têm de contrariar a saída, acreditam, é prolongar a festa. "Resistir ao despejo significa, no nosso caso, que não vamos sair do único espaço que temos sem termos para onde ir", afirmam na página da associação.

Do programa fazem parte a inauguração da exposição "Despejados para Nada", que aborda o panorama dos "lugares colectivos" (de casas ocupadas a clubes desportivos) que têm sido "despejados, por vezes à força, por vezes com urgência… para nada", na opinião dos elementos da Sirigaita. A partir das 17.00, colectivos como as Manas, a Biblioteca das Insurgentes ou o movimento Stop Despejos protagonizam a cabine de DJ. Às 19.00 começa um leilão de 30 cartazes, serigrafados, pintados e colados à mão, com o objectivo de "angariar fundos para essa batalha que se adivinha, contra um mega-senhorio". Às 20.00, antes de mais música em formato DJ set, há um jantar comunitário dinamizado pelo colectivo À Mesa e por mãos de "quem vive o bairro e tem fome de contrariar activamente o resultado dramático do aumento do custo de vida e da falência de um sistema desigual de distribuição de alimentos na cidade”.

O aniversário é, ao mesmo tempo, mais um momento para apoiar as despesas dos dias vindouros, sejam elas "legais para fazer frente ao despejo", ou materiais de campanha e obras num eventual novo espaço. Em Outubro, em declarações à agência Lusa, Marco Allegra, membro da Sirigaita, explicava que “muitos espaços estão em risco agora, por causa da dinâmica da mudança urbana". A companheira de luta, Maria João Costa, frisava, em paralelo, que "muitos espaços colectivos têm vindo a fechar, e muitos continuam com as paredes emparedadas, muitos anos depois de estarem vazios". É por esse motivo que a Sirigaita quer resistir ao fenómeno de "esvaziar a cidade daquilo que é sinónimo de vida". "Acredito que é isso que estamos a fazer aqui, a produzir vida urbana. Juntamos pessoas, ideias, é um ponto de cruzamento”, afirmou.

A Sirigaita opera desde 2018 num rés-do-chão da Rua dos Anjos, onde tem acolhido e dinamizado projectos ligados ao ambiente, à cultura, à alimentação, à luta contra as desigualdades sociais e a discriminação. Tem também sido uma participante activa das mais recentes manifestações sobre o problema da habitação em Lisboa. Além da doação de fundos, outra forma de apoiar a Sirigaita é fazer um turno no bar. Neste espaço de Lisboa (que paga renda), ninguém é pago, pelo que o tempo e a disponibilidade para lavar pratos e servir copos são bem-vindos.

Sirigaita, Rua dos Anjos, 12F. Horário variável.

+ Leia, grátis, a edição digital da Time Out Portugal deste mês

+ Arroz Estúdios despede-se do Beato: "Não vamos parar até nos pedirem para sair"

Últimas notícias

    Publicidade