A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Casa do Alentejo
©DRCasa do Alentejo

Com as quebras de facturação de 80%, a Casa do Alentejo só aguenta até ao fim do ano

A Casa do Alentejo, que começou por se chamar Grémio Alentejano, tem quase 100 anos e está de portas abertas no antigo Palácio Alverca, construído em finais do século XVII e classificado Monumento de Interesse Público. E está na luta para não ter de as fechar.

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

É mais um dos casos sonantes de espaços que correm o risco de encerrar actividade, na sequência das restrições impostas para combater a actual pandemia. Com as fontes de rendimento a sofrer um profundo golpe, a administração confessa que não será possível continuar sem apoios.

A Casa do Alentejo esteve encerrada entre Março e Maio e, mesmo com o restaurante e bar abertos e as actividades a decorrer, enfrenta uma situação dramática. “Com as quebras de facturação na ordem dos 80%, só é possível aguentar até final de Dezembro de 2020, se entretanto não for possível fazer um plano por parte do Governo para este sector”, lamenta Manuel Verdugo, vice-presidente da direcção da Casa do Alentejo, onde também representa o concelho de Sousel. A Casa do Alentejo é uma associação sem fins lucrativos, mas a restauração é fundamental para a manutenção de todas as actividades culturais que aqui se desenvolvem. E também para o investimento no imóvel, um Monumento de Interesse Público para o qual, diz Manuel Verdugo, nunca receberam apoios ou compensações financeiras pela sua manutenção. “Nós em recuperação de frescos e imobiliário, e outras reparações de conservação neste últimos cinco anos, investimos cerca de um milhão de euros. É obra… com custos suportados pelas das receitas da Casa do Alentejo”, explica o vice-presidente.

Casa do Alentejo
©DRClaustro da Casa do Alentejo


Antes da pandemia, forneciam cerca de 300 refeições por dia no restaurante, mas quando reabriram em Maio, nada voltou ao normal. Nos melhores dias conseguiram vender cerca de 15, 20 refeições por dia, números baixos que ficaram ainda mais reduzidos “à medida que a contingência foi apertando”. Em meados de Outubro, por dia, o serviço resumiu-se a uma ou duas refeições consumidas. E Dezembro, que costuma ser o melhor mês do ano, em 2020 não será como dantes, numa altura em que estão habituados a receber muitos almoços e jantares de grupo. “No bar está quase sempre composto, porque o espaço é reduzido por imposição da Direcção-Geral da Saúde. Mas também diminuiu muito a afluência de clientes”, diz.

Manuel Verdugo avança que até agora já falou com a Câmara Municipal de Lisboa, com vereadores municipais, com o Grupo parlamentar do PCP e também com a Federação Nacional das Colectividades, aos quais expôs a actual situação, e aguarda resposta aos pedidos de apoio que fez ao Ministério da Economia e do Emprego, à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDR Alentejo) e ao presidente da Assembleia Municipal de Lisboa. 

Tal como todos os espaços de restauração, a Casa do Alentejo está sempre a adoptar os horários consoante as indicações do Governo. No próximo fim-de-semana volta a estar fechada, mas de segunda a sexta-feira os horários são os seguintes: Restaurante: 12.00-15.00, 19.30-22.30; Taberna: 10.00-22.30; Espaço Alentejo: 12.00-20.00. Passe por lá e demonstre o seu apoio na companhia de uma lebre com feijão branco, uma selecção de presunto e queijos regionais ou uma verdadeira açorda alentejana com ovo escalfado. Espreite também o menu de take away que a Casa do Alentejo preparou para quem prefere comer em casa. Vá também consultando a oferta cultural, divulgada na página oficial de Facebook.

+ Leia a edição desta semana: Dinastia fungi

+ Solar dos Presuntos vai doar 10% da receita desta semana à União Audiovisual

Últimas notícias

    Publicidade