A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Jardins Abertos
Aline Macedo/Jardins AbertosJardim da Residência do Embaixador dos EUA

Consultório de plantas, visitas a jardins e oficinas de jardinagem: vêm aí os Jardins Abertos

O festival Jardins Abertos será repartido por dois fins-de-semana, 18 e 19 e 25 e 26 de Julho, e terá um formato presencial e outro digital. Estão programadas visitas presenciais, visitas livres e outras virtuais.

Por
Francisca Dias Real
Publicidade

O festival Jardins Abertos, este ano, realiza-se nos fins-de-semana de 18 e 19 e 25 e 26 de Julho e insere-se na programação da Capital Verde Europeia 2020. Será também a primeira vez que o festival tem uma edição mista com actividades virtuais e presenciais. Nestas últimas, serão tomadas as medidas de protecção necessárias para garantir a segurança da equipa e participantes de acordo com as recomendações da Direcção-Geral da Saúde. 

As visitas este ano fazem-se sob três modalidades: visitas livres, em que pode ir a qualquer hora consoante o horário do local, visitas guiadas e visitas virtuais. Entre os locais com visitas livres contam-se o Jardim Gulbenkian, Parque Botânico do Monteiro-Mor, Quinta Urbana NÃM, Telhado Verde da Fábrica de Água de Alcântara, Quinta Conde dos Arcos, Estufa Fria, jardins do CCB, Jardim do Palácio Pimenta — Museu de Lisboa, British Cemetery, Jardim da Biblioteca Nacional, Parque Ribeirinho Oriente ou o Jardim do Palacete de São Bento.

Jardins Abertos
Jardim do Palacete de São BentoAline Macedo/Jardins Abertos

Entre os sítios a que vai ser possível fazer visitas guiadas estão o Sapal do Estuário do Tejo, a Fito-ETAR do Parque Florestal de Monsanto, os jardins do CCB, a Quinta Conde dos Arcos, o Jardim do Goethe-Institut, os bastidores do Jardim Gulbenkian, o Jardim do Palácio Pimenta ou o Espaço da Biodiversidade de Monsanto, numa visita nocturna. 

Através de live stream no Youtube serão também transmitidas algumas visitas e conversas, mas o melhor é consultar o programa de cada dia para perceber o tipo de visita que mais lhe interessa.

Há também oficinas e outras actividades, por exemplo no Parque Florestal de Monsanto, onde será possível participar em Banhos de Floresta (dia 19.00 10.00), com Pedro Trindade, uma caminhada pela floresta e trilhos de Monsanto. Na Quinta Conde dos Arcos,  João Paulo Carmo, da equipa da Escola de Jardinagem da Câmara Municipal de Lisboa, vai ensinar a plantar e cuidar de variadas plantas aromáticas – e há live stream (dia 18 11.00).  No Jardim Gulbenkian, Fernanda Botelho mostra o papel fundamental das plantas silvestres e as suas vertentes medicinais (dia 26 11.00). 

No contexto da programação online, serão disponibilizados gratuitamente 100 kits de jardinagem (sementes, vaso, planta, substrato, tesoura de poda, regador e luvas) para participar em oficinas virtuais no Youtube. Os kits serão distribuídos por giveaway no Instagram, sendo os vencedores anunciados no dia 10 de Julho. Quem não ganhar pode igualmente participar nas oficinas, mas com material próprio.  

Entre oficinas, passeios guiados e livres, ainda pode deitar olho às exposições desta edição. "Jardins Históricos: Memória e Futuro" estará patente na Biblioteca Nacional. Também o Museu Nacional de Arte Antiga apresenta um itinerário pela iconografia botânica da sua colecção, dando a conhecer as espécies mais representadas e o seu significado simbólico.

Pelos mupis da cidade, estará também a exposição "#naohaervasdaninhas", de Fernanda Botelho e Nuno Antunes, que é um movimento de apoio às mal-amadas ervas daninhas. 

Jardins nas varandas e um consultório verde

Nesta edição, com uma programação especial em todos os sentidos, surge também o projecto Varandas Verdes, uma open call que vai transformar num jardim quatro fachadas da cidade. Se tem um grupo de vizinhos castiço que se junta por tudo e por nada basta inscrever-se e explicar porque é que a fachada do vosso prédio merece intervenção verdejante. 

Os materiais (plantas, vasos ou substratos) vão ser deixados à porta do prédio e cada vizinho fica encarregue da actividade de plantio com a ajuda, à distância, dos técnicos e jardineiros da equipa através de um megafone. As intervenções são gratuitas e feitas com o apoio da Planta Livre.

Além deste projecto, haverá ainda um consultório de plantas pelo qual a loja Limbo estará responsável. Os responsáveis desta loja de plantas e cerâmicas vão estar de portas abertas para o receber e tirar todas as dúvidas sobre plantas de interior, sobre rega, fertilização e pragas e prontos para dar a conhecer as novas espécies do espaço.

No dia 26, haverá um mercado de plantas no Príncipe Real (14.00-18.00) e, nesses dia e no mesmo local, às 16.00, haverá uma conversa sobre justiça ambiental urbana, sob o tema "Como criar uma Lisboa mais verde para todas e todos?", numa parceria com o Goethe-Institut Portugal e a Fundação Friedrich Ebert em Portugal.

O projecto Jardins Abertos é promovido por profissionais da cultura, botânica e sustentabilidade, e quer difundir o conhecimento da natureza em ambiente urbano e sensibilizar o público para a preservação dos espaços verdes.  

+ Leia aqui a revista Time Out Portugal desta semana e descubra onde comer peixe fresco 

+ Os melhores sítios para comprar plantas em Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade