A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
oceano
Fotografia: Matt Hardy

Década do Oceano celebra-se este ano com várias iniciativas online

O objectivo é promover a protecção dos oceanos e da vida marinha e reflectir sobre a importância da “economia azul”.

Por Raquel Dias da Silva
Publicidade

A Década da Ciência do Oceano para o Desenvolvimento Sustentável, que começa em 2021 e vai até 2030, foi proposta pela Organização das Nações Unidas em 2017, para que todos os países se unissem num esforço de consciencialização para a importância da sustentabilidade dos oceanos. Em Portugal, o Clube de Lisboa propõe dois dias de conferência online, já para a próxima semana, a 22 e 23 de Fevereiro.

A ideia de dedicar uma década a um único tema surgiu nos anos 60 e desde então foram criadas mais de três dezenas de iniciativas focadas em diferentes áreas, do desarmamento à educação. O objectivo é que, durante dez anos, as atenções e esforços dos países-membros partilhem uma meta em comum e desenvolvam acções coordenadas para mitigar determinado problema. Desta vez, todas as actividades vão ser lideradas pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da UNESCO, órgão da ONU responsável por apoiar a ciência e os serviços oceânicos globais.

Inicialmente prevista para acontecer em Junho de 2020, também em jeito de pontapé de partida para esta iniciativa, a 2.ª Conferência dos Oceanos foi adiada para 2022, mas está já a ser planeada a organização de “um evento de alto nível no Verão de 2021, em conjunto com Portugal e Quénia [co-organizadores da conferência], e com o apoio do Enviado Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas”, como se lê no site do governo português. Até lá, vale a pena estar atento à Agenda da Década do Oceano, que contempla várias iniciativas e eventos digitais.

A programação, que apela à cooperação internacional, concentra-se em seis grandes áreas: um oceano limpo; um oceano saudável e resiliente; um oceano previsível; um oceano seguro; um oceano produtivo e explorado de forma sustentável; e um oceano transparente e acessível. A principal missão é pensar e conversar sobre alguns dos maiores desafios relativos à temática, como manter uma exploração sustentável do oceano e promover a chamada “economia azul”.

Década do Oceano em Portugal

Com a cooperação da Embaixada do Japão em Portugal e em colaboração com a Agência Marítima de Segurança Europeia e outras entidades dedicadas à preservação do oceano e da vida marinha, o Clube de Lisboa vai organizar a conferência “O Oceano que pertence a todos”. Terá transmissão online e em directo nos dias 22 e 23 de Fevereiro, a partir das 09.00, no Zoom (com tradução simultânea, mas lugares limitados) e no Youtube (na língua dos oradores, sem necessidade de inscrição prévia).

Divididos por sete painéis, os participantes – académicos, activistas ambientais, políticos, militares, líderes e gestores de instituições públicas, privadas e da sociedade civil – são especialistas nos respectivos temas. O último painel, em modo de mesa-redonda, é composto por jovens activistas de diversas geografias oceânicas, que se propõem a reflectir sobre os temas da Conferência e a reforçar a participação do público mais jovem.

A primeira conversa, prevista para segunda-feira, 22 de Fevereiro, irá focar-se na invasão de plásticos nas cadeias alimentares (09.30-11.00), seguindo-se debates sobre a extensão das plataformas continentais (11.30-13.00), o degelo do Árctico (14.30-16.00) e águas seguras (16.30-18.00). No dia seguinte, 23, aborda-se a “economia azul” (09.00-10.30), as prioridades da investigação sobre o Oceano (10.35-10.55) e o oceano que precisamos para o futuro que queremos (11.00-12.30).

A participação é gratuita e é possível consultar o programa completo, bem como o leque de oradores nesta página. Se assistir por Zoom, poderá solicitar por e-mail (cl@clubelisboa.pt) um certificado de participação após a conferência.

+ Conheça os bastidores do Oceanário de Lisboa sem sair de casa

+ Leia já, grátis, a edição digital da Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade