Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Depois das dúvidas, O Sol da Caparica regressa a Almada em Agosto

Depois das dúvidas, O Sol da Caparica regressa a Almada em Agosto

Publicidade

É verdade: ainda há festa. A Câmara Municipal de Almada anunciou esta quinta-feira mais uma edição do festival O Sol da Caparica. O conceito mantém-se, mas a produção já não é a mesma.

Avultado prejuízo com a realização do festival foi determinante para que a autarquia decidisse deixar de assumir integralmente os custos” e contratasse uma nova produtora. Mas nada tema: o evento está de volta a Almada, entre os dias 15 e 18 de Agosto, para promover a língua portuguesa e a lusofonia.

Foi há cerca de duas semanas que uma fonte da Câmara de Almada revelou à agência Lusa que, na última edição, a autarquia investiu 1,7 milhões de euros, mas as receitas foram de apenas 765 mil euros, tendo um prejuízo de cerca de 962 mil euros. “Considerando que, desde 2014, decorreram cinco edições, estaremos a falar de um prejuízo acumulado de perto de 5 milhões de euros", explicou então.

A organização do evento estava a cargo da AMG Music, mas o contrato com a empresa terminou este ano e a próxima edição vai ser produzida pelo Grupo Chiado, em parceria com a empresa Storm Productions.

O cartaz ainda não foi anunciado, mas o ano passado foi marcado pela diversidade, percorrendo a distância considerável entre o fado e o rock, a kizomba e o r&b, a canção de recorte clássico e o hip-hop.

+ Teatro do Silêncio: a tradição regressa ao Lavadouro de Carnide

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade