A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
castelo de São Jorge, S.Jorge, castelo,
Fotografia: Duarte DragoCastelo de São Jorge

Desconfinamento em Lisboa vai ser feito em três semanas. Conheça o plano ponto por ponto

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Em 14 pontos, a câmara de Lisboa divulga as principais medidas para desconfinar Lisboa, um plano que começa a 11 de Maio com a EMEL na rua. Seguem-se museus municipais e outros espaços culturais que vão abrir de forma faseada.

Os serviços e as entidades municipais de Lisboa preparam-se para retomar a actividade, após cerca de dois meses de confinamento provocado pela pandemia. A primeira data é 11 de Maio, a próxima segunda-feira, altura em que a EMEL retoma a fiscalização do pagamento na via pública, embora com excepções. Como o estacionamento gratuito para residentes com dístico nos parques de estacionamento EMEL (até 30 de Junho) e a extensão automática dos dísticos atribuídos até Junho de 2020 ou até Junho de 2021 para os dísticos renovados a partir de 1 de Março. O atendimento presencial volta a estar disponível a partir de 1 de Junho, mas até lá continua em acção no site da EMEL. Os elevadores públicos, sob a alçada da empresa municipal, serão reabertos com um protocolo de limpeza diária que também abarca a rede de bicicletas GIRA.

De portas abertas também passam a estar muitos dos espaços municipais encerrados desde Março. É o caso dos espaços verdes do Palácio Pimenta, que abrem a 12 de Maio, entre as 11.00 e as 17.00. A partir de 18 de Maio é a vez dos museus da Marioneta, do Fado, Bordalo Pinheiro, Aljube, núcleos do Museu de Lisboa e das Galerias Municipais (com excepção do Atelier Museu Júlio Pomar e da Casa Fernando Pessoa), do Padrão dos Descobrimentos, da Estufa Fria e do Jardim da Cerca da Graça. No mesmo dia regressam as Bibliotecas Municipais, mas só para empréstimos, devoluções e reservas de livros, abrindo os restantes serviços a 1 de Junho (excepto salas infantis). Por "razões de obras", o Castelo de São Jorge também só reabrirá nesse dia.

O Arquivo Municipal de Lisboa abre de forma faseada a partir de 18 de Maio, e com marcação prévia no Bairro da Liberdade, no Arquivo Fotográfico, no Arco do Cego e na sala de leitura do Gabinete de Estudos Olisiponenses, enquanto que a Videoteca entra em funções a 1 de Junho.

Os serviços de Higiene Urbana também têm novidades. A recolha do lixo volumoso voltou ontem, quarta-feira, com o reforço da desinfecção e higienização de todos os equipamentos de espaço público junto às escolas que irão abrir a 18 de Maio. Outra medida é a manutenção do Hospital de Campanha do Estádio Universitário que se vai manter operacional até Dezembro de 2020, prevendo a possibilidade de sermos assolados por uma segunda vaga da pandemia. Trocado por miúdos, fica em operação o Pavilhão 3, enquanto que os Pavilhões 1 e 2 ficam a postos para serem reactivados no prazo de uma semana, caso haja necessidade.

No que diz respeito ao atendimento ao munícipe, a partir de 1 de Junho reabre a Loja Lisboa Cultura, sob marcação, e a Lisboa Film Commission, mas continua a dar-se preferência ao atendimento não presencial. O mesmo se recomenda para as Lojas Lisboa de Entrecampos, Marvila, Alcântara e Baixa, que abrem a 11 de Maio, atendendo mediante agendamento. Consulte o site oficial da Câmara Municipal de Lisboa para ter acesso a todos os contactos e informação adicional.

+ Leia grátis a Time In Portugal desta semana

+ Zoo de Lisboa reabre ao público esta semana com novas regras

Últimas notícias

    Publicidade