A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
The Himalayas
Photograph: Shutterstock

É oficial: o planeta Terra ficou a ganhar com os humanos em quarentena

Por
Ellie Walker-Arnott
Publicidade

Embora alguns aproveitem a quarentena para se reconectarem com a natureza, a verdade é que enquanto continuamos confinados às nossas casas, o mundo natural está a passar um bom bocado sem nós.

Desde que grande parte da população mundial entrou em isolamento, houve relatos de animais a aventurarem-se por espaços anteriormente dominados pela actividade humana. Há veados em Londres, patos vagueiam pelas ruas de Paris e orcas a nadar bem perto da cidade de Vancouver, no Canadá. Leões fazem pausas para relaxar em ruas geralmente povoadas de turistas em safari, enquanto um guarda florestal de Yosemite descreveu a vida dos ursos no seu parque como algo semelhante a uma "festa". Ora espreite estas cabras atrevidas que continuam a passear como se nada fosse, por uma terra no País de Gales.


Entretanto, cientistas relataram que a diminuição do trânsito e o "zumbido humano" em geral levaram a terra sob os nossos pés a, literalmente, movimentar-se menos. A calma que se vive na superfície do planeta fez com que estes cientistas pudessem captar mais com os seus instrumentos, como pequenos terramotos que normalmente se perderiam no barulho colossal que fazemos.

É certo que os voos cancelados atrapalharam os nossos planos de férias, mas foi um ponto positivo para o planeta. Isso, aliado a uma diminuição nos transportes e na indústria, contribuiu para uma forte queda na poluição do ar observada na China, EUA e Europa. Estas imagens mostram um resultado surpreendente dos confinamentos rigorosos que se vivem nessas zonas.

Aqui, poderá observar uma queda significativa nos níveis de dióxido de nitrogénio, um gás proveniente da queima de combustíveis fósseis, sobre a China nos últimos meses.

Nitrogen dioxide levels over China, 2020
Photograph: Wikimedia Commons

O mesmo pode ser visto em França e no norte de Itália.

Nitrogen dioxide levels over Europe, 2020
Photograph: European Space Agency

Tal como na costa dos EUA.

Nitrogen dioxide air levels over USA, 2020

Photograph: NASA

Há até relatos de pessoas na Índia a conseguir ver os Himalaias no horizonte, pela primeira vez na vida, graças a um aumento radical da qualidade do ar nas últimas semanas.

Embora tudo isto pareçam boas notícias (e todos precisamos de boas novas neste momento, por isso vamos aceitar), é importante salientar que estas diferenças são ainda muito pequenas em comparação com o que é necessário para virar a maré da mudança climática e proteger o nosso planeta.

"O corte esperado nas emissões, por exemplo, ainda é menor do que os cientistas dizem ser necessário todos os anos desta década para evitar impactos desastrosos no clima, para grande parte do mundo", relata o The Guardian.

Algo de bom saiu desta nossa súbita mudança de comportamento durante o ano de 2020, mas, em grande parte, os problemas ambientais que enfrentamos globalmente ainda existem. A reacção do mundo a esta ameaça à nossa saúde provou que somos capazes de adaptar o nosso comportamento de modo a beneficiar o planeta, mas o verdadeiro teste à mudança climática começa quando a crise terminar.

Leia a Time In Portugal desta semana para conhecer os projectos sustentáveis que estão a salvar as nossas cidades e as melhores ideias para ser amigo do ambiente, sem sair de casa.

+ Lisboa com bom ar: níveis de poluição baixam drasticamente na cidade

Últimas notícias

    Publicidade