Notícias / Comida

Eat Tasty: há uma cantina virtual que lhe leva o almoço ao local de trabalho

Eat Tasty
©Arlindo Camacho

Serviço de confecção e entrega de comida caseira aos almoços no local de trabalho abrange as áreas do Tagus Park até ao Parque das Nações.

Ora porque não tem muito tempo para ir almoçar a um restaurante e corre o risco de o serviço atrasar, ora porque se esqueceu da marmita em casa, é provável que haja sempre um dia, a meio da semana, em que chega à hora de almoço e não tem um prato pronto a comer. Orlando Lopes e Rui Costa fundaram a Eat Tasty, uma start up portuguesa de confecção e entrega de comida caseira no local de trabalho, que é “uma espécie de cantina virtual com comida de qualidade”.

Esta é “uma empresa de comida e não uma de transporte”, começa por explicar Orlando, em referência a outros serviços de entrega. E nasceu de uma oportunidade, afinal “ter uma cantina com concessão numa empresa é um custo extraordinário que as empresas não podem suportar". "O metro quadrado está cada vez mais a aumentar”, diz, reforçando que querem ser “um hábito”. A prova de que está a funcionar é que começaram em 2016, com uma área de actuação mais moderada, e entretanto já estão a fazer entregas em grande parte da Grande Lisboa. “O nosso melhor cliente do ano passado, em 231 dias úteis, encomendou 200”, conta Orlando.

 

 

Croquetes de pato, espetadas de peru e empanadas de polvo e camarão
Fotografia: Arlindo Camacho

 

 

Todos os dias há, pelo menos, três pratos disponíveis – um de carne, outro de peixe e um vegetariano, de “comida do mundo”: tanto pode ser arroz de pato, como caril ou um prato de massa com camarão. É sempre rotativo e nunca repetem um prato na mesma semana, a não ser que exista um pico de vendas “astronómico” que compense repetir.

“Nunca são produções em grande escala, queremos ter sempre um toque caseiro”, continua um dos fundadores. Têm desde o primeiro dia um chef a trabalhar e a confeccionar receitas, produzidas em cozinhas certificadas, e têm também algumas parcerias com restaurantes, como a Empanaderia El Pibe. “A lógica é sempre a mesma: os restaurantes parceiros produzem as nossas receitas ou, no limite, nós adaptamos uma receita deles para nós”, explica.

Nós testámos: fizemos a encomenda (via site) para o almoço de segunda-feira da redacção Time Out na sexta-feira e chegou à hora prevista e quente. Apesar de termos feito com antecedência – para não corrermos o risco de determinado prato esgotar – as encomendas podem ser feitas no próprio dia, até às 11.55.

As entregas acontecem dentro de mais ou menos uma hora – há dois períodos de entrega, das 12.15 às 12.45 e das 12.45 às 13.15. “Nós produzimos sem vendas, o que significa que quando estão a encomendar, a comida já está feita”, explica Orlando sobre a rapidez do serviço, que neste momento tem 15 estafetas. Uma das questões que ainda estão a tentar mudar é a das embalagens de plástico. “Conseguimos não cobrar transporte porque fazemos muitas entregas por hora e por estafeta. A comida tem de ter conservação quente e estas embalagens garantem isso. Além de que o estafeta tem de conseguir levar bastantes e por isso têm de ser empilháveis. Já testámos de tudo, estamos à procura de um material para substituir”, refere.

Entre 85 a 90% das encomendas são feitas no próprio dia mas no início da semana pode escolher e fazer a encomenda para a semana toda. Os pratos custam 5,90€ (já com o preço da entrega incluído), fora uma ou outra excepção em parceria com algum restaurante, como o poké de salmão (7,90€). É possível comprar o prato único ou adquirir um crédito de 11,80€, de 40€ (com oferta de um bónus de 4€), de 80€ (bónus de 10€) ou de 120€ (bónus de 15€).

www.eattasty.com

+ As melhores entregas ao domicílio em Lisboa

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments