A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
The Crown, temporada 5
© Netflix

Elizabeth Debicki é Diana: “Não sei o quão difícil será sair desta personagem”

No dia em que estreia a quinta temporada de ‘The Crown’, olhamos para a mais jovem entre os protagonistas deste novo capítulo na história da família real britânica: Elizabeth Debicki.

Escrito por
Mauro Gonçalves
Publicidade

Aos 32 anos, Elizabeth Debicki é um nome medianamente conhecido do público. Nascida em Paris mas de nacionalidade australiana, soma mais de uma década de aparições no grande ecrã, embora tenha sido Tenet, de Christopher Nolan, a proporcionar-lhe o derradeiro salto para a ribalta, em 2020.

Na pele de Diana, princesa de Gales, a escolha parece perfeita – as semelhanças físicas ficaram ainda mais evidentes com o trabalho de caracterização e guarda-roupa, o sotaque e a linguagem corporal na quinta temporada de The Crown aproximam-na de um convincente clone de Lady Di, que completou 32 anos em plena turbulência conjugal e mediática.

The Crown Season 5
© Keith Bernstein

Para Elizabeth, que possui um currículo muitíssimo modesto em televisão, o papel é, para já, um marco na carreira. "Demorei algum tempo até entender a abordagem do Peter [Morgan] desta pessoa [...]. É claro que tive de deixar aqui algum espaço para a memória que existe dela e também para o trabalho feito por quem desempenhou a personagem antes", afirmou a actriz, durante a conferência de imprensa colectiva dada na última terça-feira de manhã, a partir de Londres, à qual a Time Out Lisboa foi convidada a assistir.

Se a rainha, por esta altura sexagenária e interpretada por Imelda Staunton, continua a ser a pedra angular desta trama fortemente baseada em factos reais, Diana é a sua estrela mais proeminente e, tal como durante a década de 90, o centro das atenções. Para a preparação, a actriz conta ter tido um "arquivo à disposição". Um "desafio impressionante", nas palavras de Debicki, que é também um dos rostos na capa da edição de Dezembro da Vogue Britânica.

The Crown, temporada 5
© Keith Bernstein

Além do treino de voz – o tom, o ritmo e o sotaque – e de movimento – ombros quase sempre arqueados para a frente, cabeça inclinada e olhos quase sempre tristes –, o guarda-roupa não poderia exigir menos esforço. "O que há de tão icónico nas suas escolhas de guarda-roupa é precisamente o facto de ter trazido o privado para o espaço público e isso foi bastante transgressor aos olhos de muita gente", referiu ainda a actriz. Por trás dos fatos de xadrez, dos botões dourados, mas também dos calções de licra, das sweatshirts e dos quispos, está Amy Roberts, vencedora do Emmy para Melhor Guarda-roupa de Época em 2020, pelo trabalho nesta mesma série.

À revista Vanity Fair, a figurinista falou sobre a construção de um guarda-roupa para Diana. "Há muito pouco dela em público a usar vestidos glamorosos. É sobretudo o seu lado interior e mais privado. Ela saiu da jaula em que estava na quarta temporada, o Palácio de Buckingham, e mudou-se para uma outra – o seu apartamento no Palácio de Kensington. O casamento é um desastre. Vemo-la muito dentro de casa, com os miúdos ou sozinha", notou Roberts, que considerou especialmente úteis fotografias da princesa no seu dia-a-dia, tiradas por paparazzi. Excepção aberta para o famoso revenge dress, que surge ao quinto episódio numa versão muito próxima do original assinado por Christina Stambolian.

The Crown, temporada 5
© Netflix

A quinta temporada de The Crown, em que a acção decorre entre 1991 e 1997, mas sem chegar à morte da princesa de Gales, a 31 de Agosto desse mesmo ano, levanta o véu sobre os bastidores do longo e tumultuoso processo de separação – e mais tarde divórcio – do príncipe herdeiro, agora interpretado por Dominic West. As cenas são maioritariamente informais, com Diana a receber em casa o amigo James Colthurst, intermediário na recolha dos áudios que deram origem ao livro Diana: Her True Story – In Her Own Words, do jornalista Andrew Morton, mas também a sair para nadar, para visitar doentes no hospital e nos encontros furtivos com o repórter da BBC Martin Bashir.

"Ver Diana no seu espaço mais íntimo é dar às pessoas acesso a uma certa crueza", acrescentou Elizabeth Debicki, que fez questão, na mesma conferência de imprensa, de destacar o elenco infantil da nova temporada, em particular os actores Timothee Sambor, Teddy Hawley (os príncipes William e Harry, respectivamente) e Senan West (filho do actor Dominic West), que interpreta a versão mais velha de William na segunda metade da temporada. "Todos os dias mando mensagem ao director de casting: 'Obrigado por teres encontrado estes miúdos fantásticos'", adicionou.

The Crown Season 5
© Keith Bernstein

Na conferência de imprensa que antecedeu a estreia da série da Netflix, já esta quarta-feira, estiveram os actores Imelda Staunton, Jonathan Pryce, que interpreta o papel de príncipe Philip, Lesley Manville (princesa Margaret), Dominic West e Jonny Lee Miller (o primeiro-ministro John Major), o único do painel que não integra o elenco da sexta e última temporada de The Crown. Os restantes continuam em gravações. Questionada pela moderadora sobre como será deixar a personagem, Elizabeth respondeu hesitante: "Ainda aqui estou, não tenho como fugir. E não sei o quão difícil será sair desta personagem."

Quem tem medo de The Crown?

+ Oito pontos altos da quinta temporada de The Crown

Últimas notícias

    Publicidade