Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Este festival quer quebrar estigmas e discute a saúde mental com cinema, conversas e teatro
Helfer de Anna Szöllősi, Festival Mental
Helfer ©Anna Szöllősi

Este festival quer quebrar estigmas e discute a saúde mental com cinema, conversas e teatro

Já vai na quarta edição mas não perde de vista o objectivo principal: quebrar estigmas e a falta de informação sobre a temática da saúde mental.

Publicidade

O Cinema São Jorge, o Espaço Atmosfera M Lisboa e a Fábrica Braço de Prata servem de cenário à 4.ª edição do Festival Mental, que chega à cidade entre 30 de Setembro e 9 de Outubro. A programação divide-se entre conversas, cinema, teatro, dança, música e literatura. 

Nunca a saúde mental esteve tanto na ordem do dia como agora, nunca foi tão necessário falar sobre ela depois de meses trancados em casa e entregues ao confinamento. E é precisamente para tratar o tema da saúde mental que o festival tem vindo ao longo das últimas edições a quebrar estigmas e a falta de informação através da cultura e das artes. 

“O Festival Mental tem já um largo historial de várias edições em que o principal objectivo sempre foi o de promover a visibilidade da saúde mental junto do público em geral. Em 2020 esta necessidade torna-se ainda mais urgente de garantir, tal como a acessibilidade à cultura”, pode ler-se no comunicado de imprensa do festival. 

O festival arranca assim no dia 30 com a perfomance Dança Movimento Terapia: “Acontece” (20.30) e segue para o debate (21.00) Pandemia: do Real ao Digital, com Fátima Caçador, João Gata, Susana Marvão e Tiago Sigorelho, num evento de sala aberta e que convida às questões do público presente. Ambas as iniciativas decorrem no Cinema São Jorge. A 1 de Outubro, no mesmo local, será apresentada Baile de Máscaras, uma peça de teatro (19.30) do Grupo de Teatro da Unidade W+ da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. 

De volta nesta edição está também o M-Cinema, a Mostra Internacional de Curtas Metragens, que estará dividida por sessões e apresenta um conjunto de 19 filmes selecionados através da Open Call 2020 e que se unem pela temática da saúde mental. A primeira sessão acontece a 2 de Outubro, no Cinema São Jorge, às 18.00. Nesse dia, às 21.00, decorre também a primeira M-Talk, painéis temáticos sobre um assunto relacionado com a saúde mental  e que são sempre acompanhados de uma projeção de uma longa-metragem. Este será sobre ansiedade e o filme escolhido é Guia para um Final Feliz de David O.Russell.

A segunda sessão do M-Cinema acontece dia 3, no São Jorge às 17.30, e por lá continua a programação com a M-Talk sobre Toxicodependências (21.00) e o respectivo filme O Ben Está de Volta, de Peter Hedges.

Sem sair do São Jorge, as curtas-metragens continuam no dia 4 às 17.30, e às 21.00 volta a debater-se mais um tema nas M-Talks, desta vez será stress pós-traumático, uma conversa seguida do filme Nunca Estiveste Aqui, de Lynne Ramsay.

A 8 de Outubro dá-se o lançamento do livro (18.30) “Cartas do Confinamento de 16 de Março a 1 de Maio”, de Tiago Salazar e Frederico Duarte Carvalho, no Espaço Atmosfera M Lisboa. No dia seguinte e a encerrar o Festival Mental, a Fábrica Braço de Prata reebe Surma e Katia Guerreiro para dois concertos com história (21.00). 

Aliando-se a esta programação acontece também o Mental Júnior, porque falar da saúde mental é também para os mais pequenos. O dia 4 de Outubro será dedicado aos miúdos e arranca com uma sessão de yoga com a YMCA Setúbal no Cinema São Jorge (14.00), e segue para sessões de cinema temáticas (14.45) no mesmo local. Será projectada a curta-metragem Um Seguidor Inabalável e o filme de animação O Amigo Gigante.

Em breve a organização divulgará o método de aquisição dos bilhetes para as sessões.  

+ Leia aqui a edição digital da Time Out Portugal

+ Festival TODOS: teatro, piqueniques, concertos e visitas numa ode à multiculturalidade

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade