Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Fresquinhas e boas: são estas as sardinhas vencedoras das Festas de Lisboa
festas de lisboa
© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público Vencedores do Concurso Sardinhas 2020

Fresquinhas e boas: são estas as sardinhas vencedoras das Festas de Lisboa

Publicidade

Foram 3639 as propostas para a edição do famoso Concurso das Sardinhas deste ano. Entre 53 países, saíram vencedores Portugal, Turquia, Itália e Canadá.

Puxaram a brasa à sua sardinha e venceram. Da pandemia ao ambiente, passando pelas festas lisboetas à janela, tudo serviu de inspiração para as criações deste ano. No pódio, convivem três sardinhas portuguesas e três internacionais. Às seis magníficas, que vão receber um prémio no valor de 1500€, juntam-se três espécimes distinguidas com menções honrosas através de uma votação online do público, levada a cabo na página das Festas de Lisboa.

Keep Together, de Muhammet Akyıldız, da Turquia, ilustra um alfinete de segurança; a Estamos Juntos, de Susana Carvalho, retrata a situação actual de pandemia através de dois vizinhos que conversam à janela; a Pescador, de Irene & Irene, de Itália, mostra o descanso de um dos ofícios tradicionais portugueses na calmaria do pôr-do-sol; enquanto a Em Casa, de Amalteia, ensina a fazer a festa em casa, com pão, vinho e muita cantoria. Já a Espera sentado!, de Maraca (Jullyvrose), imita uma senha para esperar a sua vez; e a For better or for Worse, de Boris Biberdzic, do Canadá, assume-se como uma peça conceptual, que tanto pode significar um problema ambiental, como a situação que se vive actualmente ou a cooperação entre países e a mobilização de profissionais de saúde.

sardinhas

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

 

sardinhas

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

 

sardinhas

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

 

sardinhas

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

 

sardinhas

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

 

sardinhas

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

A “coerência gráfica e plástica” foi apontada como uma das razões para a escolha desta selecção variada e inevitavelmente representativa do contexto actual. O júri de serviço foi composto pelo artista plástico Ricardo Ramos (que assina como Xico Gaivota e tem desenvolvido obras com lixo recolhido nas praias); pela radialista e apresentadora de televisão Inês Lopes Gonçalves; pelo escritor, realizador, ilustrador e músico Afonso Cruz; e pelo designer Jorge Silva, “Pai da Sardinha”.

No concurso escolar, A Turma da Sardinha, a vencedora foi a Sardinha SMILE, com escamas azuis e brilhantes compostas por “homenzinhos smile”, vinda directamente da Escola E.B. 2/3 Professor Paula Nogueira, em Olhão. A criação de Manuel Santos Sousa Ramalhete foi eleita por Jorge Silva e pela apresentadora e actriz Cláudia Semedo.

sardinhas

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

Nesta décima edição do concurso, que decorreu entre Março e Abril, excepcionalmente em regime de quarentena, foram submetidas 3693 propostas de sardinhas, mais 1686 em relação ao ano passado. À Turma da Sardinha, que se realiza apenas pela segunda vez consecutiva, candidataram-se 672 propostas de escolas de todo o país. 

 

sa

 

© 2020, EGEAC - Programação em Espaço Público

 

Além das seis sardinhas vencedoras, foram ainda distinguidas com menções honrosas a O que nos (en)canta, de Ana Leite, que homenageia a fadista Amália Rodrigues; a Santos Quarentales, de Dai Morales Loire, que representa o espírito que se vive entre as casas e os vizinhos que conversam janela a janela, com música pimba de fundo; e a Aquele Abraço, de Fil Oliveira e Miguel Madeira, que agradece aos profissionais de saúde que nos protegem de um inimigo comum.

+ Qual o futuro da cultura? Há respostas num festival com Vhils, Salvador Sobral e a Ministra da Cultura

 

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade