A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Salvador Sobral
DR

Qual o futuro da cultura? Há respostas num festival com Vhils, Salvador Sobral e a Ministra da Cultura

Por
Francisca Dias Real
Publicidade

Concertos, conversas, performances, masterclasses, comida e bebida – o Gerador vai levar a casa de todos um festival online de 18 a 20 de Junho, numa parceria com a Câmara Municipal de Oeiras. Em debate está a o futuro da cultura e da criatividade com convidados como Vhils, Sara Barros Leitão, Salvador Sobral, Capicua ou Benjamim. 

Oeiras, enquanto candidata à organização da Capital Europeia da Cultura em 2027, juntou-se ao Gerador para organizar o Oeiras Ignição Gerador, o primeiro grande fórum de discussão sobre cultura após o início da pandemia, dando voz ao longo de três dias a mais de 40 autores, artistas, músicos e pensadores bem conhecidos do público. 

A edição começa no dia 18 às 10.00 com a apresentação do estudo Barómetro Gerador Qmetrics, um estudo feito em parceria com a Qmetrics, empresa especializada em estudos de mercado, que mostrará o impacto da pandemia na cultura e na sociedade. O estudo teve o seu foco ”na disponibilidade dos portugueses para voltar aos espaços de cultura habituais e na importância futura dos canais online, tentando dar ferramentas essenciais aos artistas e decisores culturais para tomarem decisões”, referem em comunicado.

O dia segue no Palco Conversas com Alexandre Farto (Vhils), Ana Matos Fernandes (Capicua), Jorge Barreto Xavier e Rui Horta que discutem às 11.30 “Como está a cultura hoje?”. Às 15.00, o tema de conversa é outro – “Pode a pandemia fazer-nos repensar as fronteiras da cultura?”, com Joana Gomes Cardoso, João Teixeira Lopes e Paulo Pires do Vale. 

Grada Kilomba, Margarida Pinto Correia, Salvador Sobral e Sérgio Machado Letria discutem às 16.00 “O que muda no consumo da cultura?”, neste contexto que se vive. O dia encerra neste palco às 17.00 com Clara Não, Constança Entrudo e José Taborda que debatem “Por onde passa o futuro da cultura?”.

No Palco Gerador, às 18.30 será apresentada a 31.º número da Revista da plataforma, e às 20.30, Luís Severo trata da música com um pequeno concerto. 

Dia 19 arranca no Palco Oeiras com uma série de apresentações de autores de várias dimensões culturais e artística a partilharem temas que os inquietam. São eles: Sara Barros Leitão (11.00), Mundo Segundo (11.30), Maria João Luís (12.00), María Acaso (Museo Reina Sofia; 12.30), Tó Trips (15.00), Miguel Januário (15.30), Selma Uamusse (16.00), André Gago (16.30), Nina Simone (CEO da OF/BY/FOR ALL; 17.00), chef Kiko (17.30) e Vasco Araújo (18.00).

Mais tarde, às 19.00, no Palco Gerador há DJ set de La Flama Blanca e às 20.30 será apresentada Espero-te Bem, uma obra performativa criada em exclusivo para o festival e pensada de raiz para uma plataforma digital. É interpretada por Carla Chambel, Heitor Lourenço, Mariana Pacheco e Pedro Laginha. 

O dia 20 é dedicado às masterclasses e a primeira acontece às 11.00 com Matilde Campilho sobre o tema “Porque precisamos de histórias?”. Às 12.00, Wouter van der Horst, do Rijksmuseum Museum em Amesterdão, ministra a masterclass “Como fazer a transformação digital de um museu?”

As aprendizagens seguem com Carlos Coelho (15.00) e a sua aula sobre “Qual a importância das marcas para a cultura?”, e logo a seguir discute-se “Como fazer teatro no século XXI?”, às 16.00, com Carla Maciel. 

O ilustrador Nuno Saraiva trata da aula das 17.00 sobre “A caricatura política voltou para ficar?”, seguido de Benjamim  (18.00) que questiona “Qual o futuro da música independente?”. A encerrar o dia neste palco, haverá uma intervenção da Ministra da Cultura, Graça Fonseca (19.00).

O festival fecha com um concerto de Benjamim (20.00) e com o espectáculo Laboratório do brinde, às 21.00, com Isabel Costa e Mia Tomé que brindam ao festival e aos artistas. O programa completo pode ser consultado aqui.

Pode comprar o passe de três dias como early bird (até 10 de Junho) por 19€ (fica 9€ se for sócio Gerador ou residente em Oeiras). A partir de 11 de Junho, o preço sobre para 29€ e os bilhetes diários ficam-lhe a 15€. O festival acontece numa plataforma própria que será lançada em breve. 

E como em todos os festivais há um food court pronto a satisfazer quem tem fome e sede. E lá por ser online nada impede que a coisa não se faça: o Oeiras Ignição Gerador tem parceiros como a EatTasty e a Musa, de onde pode mandar vir comida e cerveja.

+ Leia aqui a edição gratuita da Time In desta semana

+ Cinema Ideal reabre com duas estreias que celebram o fim da Segunda Guerra Mundial

Últimas notícias

    Publicidade