Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Gerador vai abrir uma escola de ofícios no Lumiar com cursos para todos
Notícias / Vida urbana

Gerador vai abrir uma escola de ofícios no Lumiar com cursos para todos

miguel bica do gerador
Fotografia: Arlindo Camacho Miguel Bica numa tela ainda em branco

Trampolim Gerador, Ignição Gerador, Revista Gerador ou a Rádio Gerador são apenas algumas do milhão de iniciativas levadas a cabo por um dos mais activos agentes culturais de Lisboa. Agora o Gerador fundou uma escola de ofícios no Lumiar. Para todos. Abre dia 21.

Fartam-se de gerar ideias e projectos e agora geraram uma escola que a partir da próxima segunda-feira arranca num edifício restaurado contíguo ao palacete da Junta de Freguesia do Lumiar. A associação Gerador voltou a fazer das suas e é no Lumiar que está a nascer a Central Gerador, um espaço multidisciplinar que vai acolher uma escola diferente com seis oficinas de 25 horas em pós-laboral.

Planeamento na Produção de Eventos Culturais; Curto-Circuito de Ilustração, Criatividade na Gestão Cultural, Sensibilidade na Fotografia, Programação do Espaço Cultural e Design Editorial. A lógica é a de aprendiz/mestre e os dois melhores alunos de cada ofício têm direito a trabalhar com a Gerador num projecto a definir. Mas podem ser mais: "O que nos obrigamos é a valorizar sempre quem tem ideias e quem se destaca neste aspecto e integrá-los na equipa nem que seja de uma forma pontual", conclui Miguel Bica, um dos sócios fundadores da Gerador.

A Central Gerador vai partilhar o edifício com outros projectos associativos convidados pela junta e que de alguma forma contribuem para o bem-estar dos fregueses, num edifício devoluto de habitação que foi todo restaurado para receber a Casa da Cidadania. Mas o que é afinal a Central Gerador? "Vamos fazer uma coisa que possa ser não só uma referência para a comunidade em termos de ocorrência cultural e artística, como mostrar que o Lumiar é mesmo aqui perto", começou por descortinar Miguel Bica. Escritórios numa sala do primeiro andar e no piso térreo uma versátil sala virada para a rua, com cafetaria recheada de comida e bebida portuguesas de um lado e área para concertos, teatro ou exposições do outro. A porta dá para o actual parque de estacionamento da Junta de Freguesia que num futuro não muito longínquo se transformará no Largo das Conchas aberto a todos e decorado com uma esplanada da Central Gerador.

Esta nova casa da associação é inspirada nos cafés centrais das terrinhas e o espaço está a ser decorado por um conjunto de arquitectos chamado "Depois," que usa material reciclado e que lhe vai dar um ar diferente do branco todo que agora se vê. Mas há uma parte que vai ficar imaculada de início. "Pode ser um espaço preto para teatro, como ser pintado de fio a pavio por um artista de arte urbana. A ideia é que tenha uma cadência relativamente grande com o máximo de áreas artísticas possíveis", explicou Miguel que será o mestre da oficina Planeamento na Produção de Eventos Culturais.

Ao final da tarde, em dias de oficina, a Central transforma-se numa sala de aula e a porta fecha como se de um espectáculo se tratasse. "Queremos fugir da ideia académica da coisa e pensar como é que eu ensino esta pessoa a ser um profissional igual a mim. Não porque achamos que substitua outra lógica qualquer no ensino, mas que faz muito sentido para muita gente com toda a certeza", continuou.

Todos os ofícios da Escola Gerador custam 260€ e para se inscrever só precisa de se tornar sócio do Gerador. Custa 25€ por ano e dá direito a receber a revista Gerador em casa e a uma série de descontos em parceiros da associação, do São Luiz Teatro Municipal à livraria Tigre de Papel.

Rua Pastor Macedo (Lumiar). 

+ Pint of Science: o festival onde aprende ciência em bares de Lisboa

+ Motor Vintage 2018 regressa em Junho

Publicidade
Publicidade

Latest news