A Time Out na sua caixa de entrada

Alexandre Silva
©DRChef Alexandre Silva

Há quatro chefs portugueses num dos maiores eventos culinários do mundo, o Grand Gelinaz! Shuffle

Por Tiago Neto
Publicidade

José Avillez, António Galapito, Alexandre Silva e Henrique Sá Pessoa são os nomes portugueses a integrar esta edição do The Grand Gelinaz! Shuffle, um dos maiores eventos culinários do mundo, que este ano acontece a 3 de Dezembro. Belcanto, Prado, Loco e Alma são os palcos nacionais em que a cozinha é posta à prova.

No próximo dia 3 de Dezembro, cada chef irá preparar um jantar único no seu restaurante, inspirado nas receitas de outro chef participante, mas dando a cada prato um cunho pessoal. Criado pelo italiano Andrea Petrini – o homem que Vogue e Time rotularam como o "Deus da comida" – o Gelinaz! 2019 conta com a participação de 148 chefs, 138 restaurantes, 700 horas de cozinha e 38 países. O conceito é simples: cada chef escolhe uma receita que é enviada para o sorteio, sendo totalmente aleatório o destino da mesma. No final, deve reproduzir no seu restaurante a receita de outro chef que lhe foi sorteada.

Cada um dos participantes envia instruções para oito pratos – um menu de degustação completo –, e terá depois um mês para interpretar o novo menu antes de o servir a clientes pagantes no seu próprio restaurante. A identidade do chef com quem trocaram o menu só será conhecida na noite de dia 3.

A edição deste ano viu algumas alterações, nomeadamente na promoção de "trocas" de chefs. Assim, ao invés de terem de se deslocar ao restaurante do chef sorteado, os chefs não necessitam de sair da cozinha. Em entrevista à Vanity Fair americana, Andrea Petrini diz que "esta é uma medida que faz com que os chefs tenham de se adaptar aos ingredientes mas também às ideias".

"O que é que acontece se Gunnar Karl Gíslason, do Dill, na Islândia, receber receitas do Alex Atala, do D.O.M, no Brasil? Não vai importar formigas e peixes de água doce; terá que descobrir outra coisa que faça sentido. O que acontece se o Gianluca Gorini, do daGorini, em Itália, que cobra 40 euros pela carta, receber Alain Ducasse, do Alain Ducasse au Plaza Athénée, e uma receita que exige 150 gramas de caviar ossetra? É preciso dialogar com diferentes identidades económicas. Não é só uma troca de receitas, porra."

René Redzepi (Noma, Dinamarca), Massimo Bottura (Osteria Francescana), Albert Adrià (Pakta, Espanha) ou Clare Smyth (Core By Clare Smyth, Inglaterra) são outros dos nomes que fazem parte da iniciativa. As reservas e bilhetes são adquiridos através do site. Basta para isso clicar no nome do chef pretendido.

+ Festival de street food Veggie Vibes acrescenta “onda solidária” à ementa

Últimas notícias

    Publicidade