Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Há um eclipse lunar parcial e duas chuvas de meteoros este mês
Notícias / Vida urbana

Há um eclipse lunar parcial e duas chuvas de meteoros este mês

chuva de meteoros
Fotografia: Austin Schmid/ Unsplash

Aponte a data: dia 16 de Julho há um eclipse parcial da Lua. Em Portugal, não terá de fazer directa ou madrugar. Mas há mais para ver (ou pelo menos tentar). Entre os dias 12 de Julho e 23 de Agosto e 17 de Julho e 24 de Agosto, há duas chuvas de meteoros. A melhor forma de assistir ao fenómeno é evitar a poluição luminosa da cidade e procurar um horizonte desimpedido.

Este é o segundo eclipse lunar de 2019 – o primeiro foi total e decorreu logo no início do ano, em Janeiro. Como será apenas parcial, é menos raro, mas nem por isso menos belo. Para o ver, basta saber que a Lua entra na penumbra às 19.42 de 16 de Julho, com o eclipse máximo a ocorrer pelas 22.31 e a terminar já no dia seguinte, 17 de Julho, às 01.20. Não vai, portanto, deitar-se muito tarde. Mas, se for fã de fenómenos astronómicos, há uma chuva de meteoros para ver antes e outra para ver depois. É caso para dizer que este mês é de especial beleza celestial.

Neste momento, há, na verdade, três chuvas de meteoros a acontecer até 5 de Julho (Perseidas), 17 de Julho (Táuridas) e 24 de Julho (Ariétidas), mas os picos de intensidade máxima já passaram. O próximo enxame de meteoróides, que se transformam em meteoros quando penetram na atmosfera terrestre, começa já esta sexta-feira, 12 de Julho. A consequente chuva de meteoros nocturna decorrerá até 23 de Agosto. 

“A actividade máxima de intensidade decorrerá no dia 30 de Julho. A constelação de Aquário estará acima do horizonte, bem visível a partir das 23.40, na direcção sudeste. A partir dessa altura, será possível iniciarem-se as observações astronómicas”, explica à Time Out a astrónoma Suzana Ferreira, do Observatório Astronómico de Lisboa. “A intensidade deste enxame é rápida e forte o suficiente para se poder observar até vinte e cinco meteoros por hora, quando o enxame se encontra no Sul. A Lua também ajudará, pois a fase de Lua Nova ocorre no dia 1 de Agosto”, acrescenta.

Se ainda não tem planos, pode marcar uma sessão privada no Observatório Astronómico de Lisboa ou aventurar-se sozinho nas observações astronómicas. Deverá escolher um ambiente com pouca poluição luminosa, céu limpo e horizonte desimpedido, neste caso na direcção Sudeste, entre as 00.00 e as 02.30; Sul, entre as 02.30 e as 04.30; e Sudoeste, entre as 04.30 e as 06.30.

Ainda este mês, a partir de 17 de Julho, decorre outra chuva de meteoros, a do enxame das Perseidas, popularmente chamado as Lágrimas de São Lourenço, em homenagem ao mártir São Lourenço de Huesca, celebrado pela Igreja Católica a 10 de Agosto. A actividade máxima, contudo, ocorre dias mais tarde, a 13 de Agosto, entre as 03.00 e as 16.00. Em Portugal, a melhor altura para observar o fenómeno a olho nu será no início desse intervalo, onde será possível ver até 110 meteoros por hora.

+ Os melhores sítios para ver as estrelas em Lisboa

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments