A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Jacqueline de Montaigne
Fotografia: Francisco Romão PereiraThe Language of Flowers, de Jacqueline de Montaigne

Há um novo mural em Lisboa que fala a linguagem das flores

Jacqueline de Montaigne pintou um mural no Largo Hintze Ribeiro, em Lisboa. É um dos ramos do projecto The Language of Flowers, que também inclui uma florida exposição.

Escrito por
Renata Lima Lobo
Publicidade

Sabe o que é a floriografia? Mesmo que não esteja familiarizado com o conceito, é possível que já tenha usado esta forma antiga de criptografia que utiliza as flores para comunicar uma mensagem. Foi muito popular na Inglaterra vitoriana e serviu de inspiração à artista anglo-portuguesa Jacqueline de Montaigne, que trouxe a floriografia para um contexto mais moderno, o da arte urbana, no mural que agora pintou no Largo Hintze Ribeiro.

“As flores são usadas há milhares de anos como forma de comunicação”, explica a artista. É uma antiga prática que ainda hoje utilizamos muitas vezes sem saber. Elas eram usadas ​​para expressar e representar todos os tipos de emoções, mas especialmente o amor. De uma mãe pelo seu filho, um amor platónico e, claro, o passional.” No mural de 14 metros que pintou em São Bento, por exemplo, estão representadas dez espécies de flores, para partilhar a mensagem de “amor sem restrições”.

Jacqueline de Montaigne
Fotografia: Francisco Romão PereiraThe Language of Flowers, de Jacqueline de Montaigne

Mas o trabalho de Jacqueline de Montaigne não vai ficar por aqui. O mural é apenas dos ramos do projecto The Language of Flowers (A Linguagem das Flores), que contou com a produção da Because Art Matters (BAM), plataforma portuguesa que aproxima artistas e colecionadores de arte, não só através de uma galeria digital, mas também através de exposições, como a que vai inaugurar a 7 de Abril, na porta 2B do mesmo Largo Hintze Ribeiro, com 19 obras de arte originais da artista.

“Vivemos tempos atípicos e estivemos privados durante a pandemia de ver quem mais gostamos, por isso eu quis criar algo positivo de uma forma muito pública. Ao mesmo tempo que revisito e me inspiro numa antiga tradição pela qual sempre fui fascinada”, acrescenta. Residente em Cascais, Jacqueline de Montaigne já desenhou mais de 60 murais de grande escala, de âmbito público e privado, e a sua obra está representada em colecções nacionais e internacionais. Pode conhecer melhor o seu trabalho no site oficial.

Largo Hintze Ribeiro, 2B. 8 a 18 de Abril, 15.00-20.00. Entrada livre.

+ Estação de Santos ganhou um mural. “É importante tornar a arte inclusiva e acessível”

+ Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Últimas notícias

    Publicidade