A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Há uma petição pública contra a gestão privada no Maria Matos

Por Miguel Branco
Publicidade

Com nomes como Mark Deputter, Sérgio Hidalgo ou Ricardo Neves-Neves, uma petição pública criada esta quinta-feira pretende travar a futura gestão privada do Maria Matos anunciada pela Câmara Municipal de Lisboa. 

A vereadora da cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, anunciou esta semana uma remodelação na rede de teatros municipais que passa pela entrega do Maria Matos para mão privada, com o intuito de explorar, de uma forma onde a rentabilidade é quem mais ordena, o equipamento municipal. 

O resultado foi a indignação de várias pessoas do meio, que através deste mecanismo ao dispor da sociedade civil, lançou uma petição pública que quer evitar este destino para o Maria Matos. 

Na página da petição pode ler-se a sua posição, que não questiona a remodelação da Câmara Municipal de Lisboa. "Em causa está a cedência ao sector privado de um equipamento municipal público em pleno funcionamento e em reconhecido crescimento. E no qual, ao longo dos últimos 10 anos, se fez um investimento público continuado que abarcou obras de requalificação do espaço, a compra de equipamento técnico actualizado e de ponta, a formação de recursos humanos, a capacitação de agentes culturais e a formação de públicos diferenciados. Investimento este que não apenas fortaleceu o tecido cultural da cidade e do país como recolocou o teatro no território que lhe é circundante, e o tornou um ponto central de várias redes culturais internacionais. A entrega do teatro Maria Matos à gestão privada não só anula todo este trabalho e investimento público, como oferece os seus frutos de mão beijada à entidade à qual vier a ser concessionado, pondo em causa a vocação pública que este equipamento conquistou, e empobrecendo a cidade e o território onde se insere."

 

Últimas notícias

    Publicidade