Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Há Zunzum à beira-rio: é o novo gastrobar de Marlene Vieira
Marlene Vieira
Mariana Valle Lima

Há Zunzum à beira-rio: é o novo gastrobar de Marlene Vieira

O primeiro restaurante do ambicioso projecto da chef Marlene Vieira, no Terminal de Cruzeiros de Lisboa, já abriu. Saiba o que pode comer e beber no Zunzum Gastrobar.

Publicidade

Marlene Vieira, a chef com presença no Time Out Market e com um restaurante no Tagus Park, em Oeiras, está agora à beira-rio com um projecto grandioso no novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa, um dois em um que viu a sua inauguração adiada por culpa da pandemia. O primeiro restaurante, o Zunzum Gastrobar, abriu ao público esta quinta-feira, 30 de Julho. Para Outubro fica o restaurante de fine dining, no mesmo espaço de 550 m2 projectado pelo arquitecto Carrilho da Graça.

Marlene Vieira

 

Mariana Valle Lima

 

Do lado mais próximo da ciclovia, fica o gastrobar. Tem muita luz, com os apontamentos vermelhos da mobília a contrastar com as mesas em mármore claro e com as prateleiras carregadas de produtos portugueses. À noite ganha outro ambiente, que se viverá também na esplanada, toda em tons de encarnado. “Aqui há alta-cozinha a preço acessível”, descreve Marlene. A carta tem cerca de 20 propostas, todas para partilhar.

“É uma cozinha trendy, de sabores portugueses com técnicas do mundo”, explica. Começa logo com um couvert composto por chips de peixe (feitas com moreia frita), pão de fermentação lenta e brioche feito na casa, manteiga dos Açores e pasta de chouriço (5€).

Marlene Vieira zunzum gastrobar

 

Filhós de berbigãoMariana Valle Lima

 

Depois há, por exemplo, um corn dog – mas aqui não tem salsicha, é feito antes com choco e camarão (duas unidades, 12€). “Vivi nos Estados Unidos dois anos e comi muitos, adoro. É guloso. Mas aqui é um corn dog

com os nossos sabores. É por isso que falo em técnicas do mundo, mas utilizo sempre ingredientes portugueses e os nossos sabores”, justifica. Marlene destaca ainda a feijoada de carabineiro, com feijão branco, enchidos e coentros (21€) ou a filhós de berbigão à Bulhão Pato, com creme de berbigão, coentros e limão (duas unidades, 9€).

Marlene Vieira, zunzum gastrobar

 

Feijoada de carabineiroMariana Valle Lima

 

Para continuar a partilha, há ovos com ervilhas e farinheira (9€), ceviche de espadarte com maracujá e pimenta da terra (10€), espetadas de porco preto (duas unidades, 12€) ou mini- -sanduíches de rosbife ou beterraba (duas unidades, 10€). Há pratos mais tradicionais para quem não é fã de dividir, como o arroz de pato (10€) ou o polvo à lagareiro (13€), mas a chef incentiva mesmo a que vá com companhia e peçam uns cinco pratos.

Enquanto o bar de sobremesas não está a funcionar em pleno, tem seis à escolha, como os papos de anjo e hortelã (5€) ou um arroz doce numa versão tudo menos tradicional mas com todo o sabor do clássico (5€). E além da carta de vinhos, no Zunzum tem também cocktails de autor (a partir dos 10€). Em resumo: “É uma cozinha jovem, actual mas descontraída, com um preço médio de 30€.”

Marlene Vieira, zunzum gastrobar

 

Arroz doceMariana Valle Lima

 

Em Outubro abrirá o Marlene, um restaurante completamente diferente do gastrobar, com menus de degustação surpresa. “O cliente vai de peito aberto, pronto a receber todo o nosso amor. Queremos que se sente apenas e desfrute”, conta. Não vai haver carta e no momento da reserva, obrigatória, terá apenas de informar se tem alguma alergia ou se não gosta de algum ingrediente específico. Haverá um preço fixo por pessoa e terá cerca de 12 momentos. Quando o Verão terminar, voltamosa falar.

Edifício Nor te, Doca Jardim do Tabaco, Terminal de Cruzeiros de Lisboa (Santa Apolónia). Qua-Dom 17.00-23.00.

+ Marlene Vieira: “A restauração dantes dava para todos, agora só vai ficar quem gosta e luta”

+ Novas esplanadas em Lisboa para desconfinar e arejar 

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade