A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Intimista: o Alentejo cabe neste pedaço de Lisboa

Por Tiago Neto
Publicidade

Há tapas ou petiscos, há pratos completos, há um salão para grupos e licores caseiros, no fim das refeições, que são oferta da casa. O Alentejo em Lisboa pode chamar-se Intimista e não mata só o bicho, também mata saudades.

O número 9 da Rua Ramalho Ortigão começou há uns anos como uma experiência de sushi alentejano mas a portugalidade cortou-lhe a existência. Pelo meio, houve uma dedicatória à cozinha do Alto Alentejo, mas não resultou. Agora, finalmente, e já noutras mãos, o Intimista nasce como uma aposta para todo o Alentejo pelas mãos de Joaquim Loureiro e do chef Miguel Marçalo. 

Fotografia: Manuel Manso

Na ementa há cerca de trinta tapas que podem ser escolhidas individualmente ou, se a coragem – ou o cepticismo – o ditarem, a roda alentejana (25€), um exercício de liberdade totalmente a cargo do chef, com sete tipos de petiscos. Esta é, aliás, a estrela da companhia, como explica Joaquim. “Vêm muitas pessoas provar a roda do chef sem passar pelas restantes opções", diz-nos. "O chef Miguel Marçalo é supercriativo, está sempre a ver o que pode fazer para tornar os pratos mais apetitosos.” A missão é democratizar a cozinha alentejana com apostas ousadas mas sem comprometer os mais apegados ao tradicional. “Queríamos ser Alentejo, não estar limitados a pôr um grelhador a funcionar e passar carne grelhada para a mesa. Queríamos algo mais abrangente, mais elaborado, talvez.”

A roda alentejana
Fotografia: Manuel Manso

Por isso mesmo a casa não se faz unicamente das tapas. A açorda (14€), como bandeira da região, está lá também. E não faltam também a sopa de cação (8€), de tomate (7€), a grelhada mista (1 pessoa 17€ / 2 pessoas 32€), o naco de novilho (22€) e, claro, o bacalhau à lagareiro (15€), que Joaquim diz ser, sem reservas, o melhor que comeu. “É um espanto. Claro que qualquer um o pode fazer em casa mas aqui há uma técnica, fica incrível.” Os acompanhamentos, bem à medida da região, sofreram pequenos toques do chef. Há migas de feijão, de espargos, batatas a murro e grelos salteados.

Sopa de tomate
Fotografia: Manuel Manso

Durante a semana há menu de almoço (8,50€). Para finalizar, há sericaia com ameixa de Elvas (4,5€), mousse de chocolate no forno com gelado de baunilha (4,5€) e leite creme à antiga (3,5€) como opções. E que sosseguem os vegetarianos, aqui há mesa para todos e inclui carpaccio de curgete e tofu fumado (15€), aveludado de quinoa (14,5€) ou beringela recheada (13€). Depois de tudo, a cereja no topo são os licores caseiros, oferta da casa.

Rua Ramalho Ortigão 9 (S. Sebastião). Ter-Dom. 12.00-15.00/ 19.30-23.00

+ Os melhores restaurantes de cozinha tradicional em Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade