Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Lena d’Água abre Jazz na Praça, este ano com um cartaz no feminino
Notícias / Música

Lena d’Água abre Jazz na Praça, este ano com um cartaz no feminino

lena dagua
Fotografia: Duarte Drago

Todas as sextas-feiras de Setembro, das 19.00 às 20.15, conte com música na Praça Paiva Couceiro e projectos musicais de mulheres portuguesas.

A 9ª edição do Jazz na Praça começa a 6 de Setembro com Lena d’Água, acompanhada da sua nova banda, que inclui Benjamim, Francisca Cortesão e outros músicos dos They’re Heading West. Juntos vão tocar Desalmadamente (2019), o esperado último álbum de originais da cantora, com músicas de Pedro da Silva Martins, num concerto que sucede ao de apresentação do mesmo, que decorreu a 9 de Junho no Teatro Villaret. Desta vez a entrada é livre e a cantora assegurou à Time Out que voltarão a tocar outros temas da sua carreira, como de resto aconteceu na grande festa do Villaret. Para os que à primeira vista estranham a presença Lena d’Água neste evento convém frisar que a cantora também se movimenta no mundo do jazz: além do disco Sempre – Ao Vivo no Hot Clube, de 2007, ainda há três anos, quando celebrou 40 voltas ao Sol em palco, mais uma vez mostrou dominar um repertório jazzístico.

Na semana seguinte, a 13 de Setembro, sobe ao palco o Paula Sousa Trio. A pianista e compositora já teve uma carreira na pop (Repórter Estrábico e Três Tristes Tigres), mas acabou por abraçar o jazz nos seus dois álbuns em nome próprio: Valsa para a Terri (2007) e Nirvanix (2010).

A 20 de Setembro é a vez de ZOE, o projecto de canções originais de Inês Laginha (teclados e voz) e Marta Garrett (ukelele e voz) a partir de poemas escritos por mulheres. O programa termina com a actuação de Suzie and The Boys a 27 de Setembro, onde Miss Suzie (voz) se faz acompanhar de Tiago Santos (guitarra), Nuno Sarafa (bateria), Mo Francesco (baixo), Fausto Ferreira (piano), Hugo Menezes (percussão), Nuno Reis (trompete) e Zé Andrade (saxofone). Juntos interpretam blues, swing, rock n’ roll e ritmos latinos dos anos 50 e 60, transportando o público para as noites de boémia de um cabaret.

Todos os concertos são gratuitos e integrado no Jazz na Praça está ainda o Impor Jam, um evento que decorre todas as sextas-feiras após os concertos na PENHA SCO (Rua Neves Ferreira, 10B) entre as 21.00 e as 23.00. Uma iniciativa que convida a população a ouvir ou a tocar numa jam session com as músicas Joana Guerra (violoncelo), Maria do Mar (violino), Maria Radich (voz), Helena Espvall (violoncelo), Carla Santana (electrónica) e Anna Piosik (trompete), integrantes do primeiro grupo feminino de improvisação em Portugal, as Lantana.

Para não ficar a seco, nem de estômago vazio, a praça vai estar recheada de street food. O Quiosque Dom Fruto vai ter um Menu Jazz; a Crepe 28 serve crepes numa carrinha a representar o eléctrico; a Pica-Aqui Pica-Ali tem comida de rua carnívora e vegan; a Holta Cafetaria apresenta gastronomia dos Balcãs, com doces caseiros e licores; o bar de cerveja artesanal Flor de Lúpulo refresca o evento; e a associação de Jazz CAMALEAO vende merchandising e faz divulgação. 

O Jazz na Praça é organizado pela Junta de Freguesia da Penha de França, este ano em parceria com a PENHA SCO, uma cooperativa de produção e difusão artística sediada numa antiga fábrica têxtil, que inclui espaços de trabalho, galeria e café. Desde 2010 que por aqui já passaram artistas como Trio Lokomotiv, Mikado Lab, Rat Swinger, Corações de Atum ou Budda Power Blues. A criação deste evento tem por objectivo dar vida, no mês de Setembro, a este espaço central da freguesia.

+ 12 pianistas de jazz portugueses que precisa de ouvir

+ Lena d’Água: “Não podia morrer sem fazer novas canções”

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments