Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Literatura na rua... nos eléctricos e nos autocarros. Está aí o Festival da Palavra
Tinta nos Nervos
Fotografia: Duarte Drago

Literatura na rua... nos eléctricos e nos autocarros. Está aí o Festival da Palavra

Publicidade

O Abecedário Festival da Palavra está prestes a invadir Lisboa para uma 2.ª edição. Entre 20 e 22 de Março, cinco livrarias da cidade vão explorar os vários sentidos da palavra “fado”, dando-lhe voz através de tertúlias e leituras encenadas.

A iniciativa é da Cabine de Leitura, que volta a celebrar o poder da palavra com um festival literário. Durante três dias, o Abecedário instala-se em vários locais da cidade de Lisboa, desde livrarias independentes e de rua até eléctricos e autocarros. Antes faz-se o aquecimento com a inauguração de uma exposição de design e lettering urbano, marcada para 19 de Março, às 21.30, no espaço do Atelier Ideias com Peso e da editora Stolen Books, em Alvalade. Seguem-se tertúlias, leituras encenadas e outras actividades paralelas, como uma exposição de fotografia e instalação de poemas de Guerra Junqueiro na calçada da Avenida homónima.

“Daremos destaque ao fado enquanto elemento formador da identidade portuguesa, enquanto matriz identitária da cultura lusófona e enquanto Património Imaterial da Humanidade”, lê-se em nota informativa sobre o Festival da Palavra, que este ano se realiza em parceria com as livrarias Barata, Ler por Aí, Tigre de Papel, Tinta nos Nervos e Menina e Moça.

O evento tem início no dia 20 de Março, com leituras encenadas de poesia portuguesa no eléctrico 25E e nos autocarros 713, 738 e 773, das 11.00 às 16.00, pela Brigada da Poesia da Junta de Freguesia da Estrela. No mesmo dia, às 17.00, a Livraria Tinta dos Nervos será palco de uma tertúlia sobre a relação entre “Os 3 F’s”: fado, futebol e Fátima. Segue-se, às 19.00, uma conversa sobre o fado na perspectiva das artes. Mais tarde, às 21.30, será a vez da Casa Fernando Maurício abrir portas para discutir sobre a herança e o destino para quem vive o fado.

No dia seguinte, 21 de Março, celebra-se o Dia Mundial da Poesia, com uma homenagem ao poeta Abílio Manuel Guerra Junqueiro (1850-1923), às 11.30, na Cabine de Leitura da Praça de Londres. Depois de almoço, a Livraria-Bar Menina e Moça, no Cais do Sodré, irá promover duas tertúlias, às 15.00 e às 17.00, respectivamente: o que representa o fado na vida de um escritor e como conciliar a liberdade individual com uma possível predestinação são as questões em cima da mesa. Às 19.00, há mais conversa, mas na Livraria Barata, antes do encerramento da agenda do dia com a inauguração da exposição de fotografia “Tudo Isto É Fado”, sobre o fado de Rodolfo Contreras, às 21.30, no Mercado de Alvalade.

O Festival da Palavra termina a 22 de Março, com tertúlias na Livraria Tigre de Papel, às 11.00 e às 15.00, e na Ler Por Aí, às 17.00 e às 19.00. Para mais informações, basta estar atento à página de Facebook do evento.

+ Os espaços pop-up que não pode perder em Lisboa

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade