A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Panorâmica do Almada Innovation District
©DRPanorâmica

Mega projecto vai fazer nascer uma cidade inovadora em Almada

O Almada Innovation District é um grande projecto para o concelho e vai envolver a criação de habitação e emprego, espaços verdes, a reabilitação de Porto Brandão ou a extensão do Metro Sul do Tejo até à Costa da Caparica.

Escrito por
Renata Lima Lobo
Publicidade

A Universidade NOVA de Lisboa apresentou esta quarta-feira, 17 de Março, o Almada Innovation District, um mega projecto para a cidade que envolve uma intervenção numa área total de 399 hectares. E 110 hectares são destinados a zonas verdes.

Em conjunto com um grupo de proprietários do Monte da Caparica e de Porto Brandão, e com o apoio da Câmara Municipal de Almada (CMA), a instituição de ensino superior (que em Almada tem a Faculdade de Ciências e Tecnologia) tem por objectivo principal a criação de “uma nova cidade global com um estilo de vida único e sustentável”.

Mapa de intervenção
©DRMapa de intervenção do Almada Innovation District


As propostas para que isso aconteça atacam várias frentes da vida urbana, da mobilidade à habitação e ao emprego. Serão criadas mil novas habitações, com capacidade para novos 4500 habitantes, numa área com 250 000 m2, aos quais se irão juntar 86 000 m2 destinados a infraestruturas turísticas. No final, está prevista a criação de 17 mil postos de trabalho. O investimento total deste projecto, que tem por base o conceito “live-work-play”, está na ordem dos 800 milhões de euros e também inclui a reabilitação pública de Porto Brandão e a extensão do Metro Sul do Tejo até à Costa da Caparica.

Projecto de zona empresarial em Almada
©DRZona empresarial do Almada Innovation District


“O principal activo para triunfar na economia do conhecimento são as pessoas: o seu talento e as redes que estabelecem entre si. É esta a génese do Innovation District”, diz José Ferreira Machado, vice-reitor da Universidade NOVA de Lisboa. E acrescenta: “As pessoas precisam de sítios para viver e para interagir: lugares onde possam residir, trabalhar, conversar e usufruir dos seus tempos livres, ou seja, precisam de cidades como aquela que irá nascer em Almada e que irá reforçar a internacionalização da região da Grande Lisboa”.

Para Inês de Medeiros, presidente da CMA, este é um projecto estruturante para a afirmação da cidade “enquanto pólo de inovação e de criação de soluções de sustentabilidade inovadoras, assumindo também um papel de projecção de Portugal a nível internacional”.

+ Leia a edição desta semana: Silêncio, finalmente

+ Conheça os novos projectos de renda acessível do Restelo

Últimas notícias

    Publicidade