A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Fernana Lapa
Fotografia: João Miguel RodriguesFernana Lapa

Morreu a actriz e encenadora Fernanda Lapa

A directora artística da companhia Escola de Mulheres tinha 77 anos. Morreu esta quinta-feira.

Por Raquel Dias da Silva
Publicidade

A actriz e encenadora Fernanda Lapa morreu esta quinta-feira, aos 77 anos, no Hospital de Cascais, onde estava internada. “É com profundo pesar e imensa tristeza que a Escola de Mulheres comunica a morte de Fernanda Lapa, directora artística desta companhia desde a sua fundação, em 1995”, escrevem Marta Lapa e Ruy Malheiro, também membros da direcção da Escola de Mulheres, em comunicado.

Fernanda Lapa iniciou o seu percurso artístico no Teatro dos Alunos Universitários de Lisboa, em 1962. Co-fundadora da Casa da Comédia, em Lisboa, foi neste espaço que se estreou como actriz, em 1963, e como encenadora, em 1972, na peça de Almada Negreiros Deseja-se Mulher. Desde então dirigiu peças de teatro, teatro-dança e óperas, desenvolvendo paralelamente acções pedagógicas nas áreas do teatro e do cinema.

Em 1979, Fernanda Lapa foi bolseira da secretaria de Estado da Cultura, na Polónia, onde trabalhou com Szajna e Zigmunt Hubner na Escola Superior de Encenação de Varsóvia, onde se diplomou em Encenação. Estagiou ainda no Teatro Laboratório de Grotowski, no Teatro Contemporâneo de Wroclaw e no Teatro Stary de Cracóvia.

Em 1995, co-fundou a Escola de Mulheres, onde se privilegia a criação e o trabalho feminino no teatro, problemática que sempre a preocupou, como refere o comunicado da companhia, citando as suas próprias palavras: “O teatro reflecte todas as contradições, avanços e recuos do papel da mulher na sociedade contemporânea. Ao longo dos séculos, a voz das mulheres foi silenciada em várias áreas, e também na Cultura, e não vale a pena escamotear esta realidade. Sofremos, ainda, as sequelas dessas mordaças, embora muito se tenha avançado, a partir do 25 de Abril em Portugal, pela luta das forças progressistas, mas sobretudo das próprias mulheres e das suas organizações.”

Várias vezes premiada, inclusive com um Globo de Ouro, Fernanda Lapa coordenou as comemorações do centenário de Bernardo Santareno, que tiveram início em Janeiro de 2020 e foram interrompidas pela pandemia, mas se vão prolongar até 2021, sob a coordenação de Domingos Lobo. Neste âmbito, a Escola de Mulheres vai levar a palco, já em Novembro, no dia 19, a obra O Punho, de Bernardo Santareno, com versão cénica da actriz e encenadora.

+ As peças de teatro para ver esta semana

Últimas notícias

    Publicidade