As peças de teatro para ver esta semana

Se há coisa que não queremos é ouvi-lo a dizer: "Não vou ao teatro faz agora três anos". Deixamos-lhe as peças de teatro para ver esta semana em Lisboa.
Posso Saltar do Meio da Escuridão e Morder
Sofia Berberan
Por Miguel Branco |
Publicidade

Como dizer? É mais ou menos aquela coisa do, vá lá, não seja forreta, vá lá, não seja preguiçoso. Se vemos tantos filmes no cinema, se vamos a tantos bares e restaurantes, mercados e exposições, qual a justificação para não irmos mais vezes ao teatro? Esta é a nossa forma, delicada, de lhe dizer para se fazer à cena, para se fazer ao palco. Sim, que mostrar-se solidário perante a comunidade artística fica bem, mas sabe a pouco. A agenda cultural de Lisboa está ao rubro, com muitas peças boas para ver. Estas são as que pode ver já esta semana.   

Recomendado: As peças de teatro em Lisboa a não perder

 

As peças de teatro para ver esta semana

1
Posso Saltar do Meio da Escuridão e Morder
©DR
Teatro

Posso Saltar do Meio da Escuridão e Morder

icon-location-pin Teatro do Bairro, Bairro Alto
icon-calendar

Rogério de Carvalho volta a dirigir o Teatro GRIOT nesta “selecção e montagem colectiva de textos” para interrogar o que “vive abaixo da superfície da sujeição”. Pergunta ainda se a “ausência de liberdade pode fazer morrer uma alma”. E é assim que a “insubmissão surge como a única possibilidade de sobrevivência” para uma mulher, “que se descobre mulher e negra no contexto dos lugares estanques da escravatura”. O espectáculo cria um percurso que é uma provação “como via para a consciência” interpretado por Daniel Martinho, Gio Lourenço e Zia Soares.

2
A Casa de Bernarda Alba
©DR
Teatro

A Casa de Bernarda Alba

icon-location-pin Teatro Ibérico, Xabregas
icon-calendar

Morre o segundo marido e Bernarda Alba decreta luto para oito anos, sujeitando as filhas à reclusão dentro de uma casa fria de janelas sempre fechadas. O que não dá grande resultado, pois duas das filhas, apaixonadas pelo galanteador que ronda as redondezas, Pepe Romano, entram numa disputa cruel, perigosa mesmo, para conquistarem o amor desse homem. Isto resume o que escreveu Federico Garcia Lorca e, agora, serve a João Garcia Miguel para representar “um apelo contra o isolamento que aumenta no mundo.” Sendo por isso “um libelo, um resistir” interpretado por Sean O’Callaghan, Annette Naiman, Paula Liberati e Duarte Melo.

Publicidade
3
quartett
Herman Sorgeloos
Teatro

Quartett

icon-location-pin Teatro Nacional D. Maria II, Santa Maria Maior
icon-calendar

Quartett, de Heiner Müller, é seguramente dos textos que mais se levou à cena em Portugal nos últimos anos. Mas desta maneira, feitos pelas companhias Rosas e Tg STAN – dois dos mais centrais projectos de artes performativas na Bélgica e na Europa – seguramente que não. Até porque a primeira versão desta co-produção aconteceu em 1999 e esta actualização tem tudo para tornar Heiner Müller mais fresco. Será por certo uma visão mais dançável e performática deste drama. A persuasão e a esgrima amorosa a dois.

4
Il Cielo Non È Un Fondale
Claudia Pajewski
Teatro

Il Cielo Non È Un Fondale

icon-location-pin São Luiz Teatro Municipal, Chiado
icon-calendar

A dupla de criadores Daria Deflorian e Antonio Tagliarini são das vozes mais importantes do teatro italiano. Vêm ao São Luiz, durante três dias, apresentar Il Cielo Non È Un Fondale, um espectáculo que se baseia na palavra, no dizer, para navegar ficção e realidade, entre interior e exterior.

Publicidade
5
Senso Comum
Ana Gil
Teatro

Senso Comum

icon-location-pin Rua das Gaivotas 6, Chiado/Cais do Sodré
icon-calendar

No novo espectáculo da Terceira Pessoa – estrutura de Ana Gil e Nuno Leão sediada em Castelo-Branco – em nova colaboração com Óscar Silva o palco é uma página de Word. Tudo é leitura. A cena mede-se nesse silêncio, tanto quanto no som dos dedos a bater nas teclas do computador. Está tudo ali. É tudo agora. 

6
Quarto Minguante
Filipe Ferreira
Teatro

Quarto Minguante

icon-location-pin Teatro Nacional D. Maria II, Santa Maria Maior
icon-calendar

Quarto Minguante é o primeiro texto saído do Laboratório de Escrita para Teatro promovido pelo Teatro Nacional D. Maria II a ir a cena. Foi escrito por Joana Bértholo e é encenado por Álvaro Correia na Sala Estúdio do D. Maria II. São vários mundos na mesma casa, num cenário que vai encolhendo, que vai engolindo mobília e pensamento. 

Publicidade
7
Mártir
(c).RuiCarlosMateus.1954
Teatro

Mártir

icon-location-pin Teatro Municipal Joaquim Benite, Grande Lisboa
icon-calendar

‘Mártir’, de Marius von Mayenburg, é a nova estreia da Companhia de Teatro de Almada, com encenação de Rodrigo Francisco. Benjamin é um cristão radicalizado que vira a vida da sua professora de biologia num caos incontrolável. A prova de que os fundamentalismos são não só islâmicos, e de que o discurso politicamente correcto é um perigo enorme. 

8
Teatro

A Noite Antes da Floresta

icon-location-pin Teatro da Politécnica, Princípe Real
icon-calendar

Bernard-Marie Koltès nunca é demais. A Noite Antes da Floresta foi escrita pelo dramaturgo francês em 1977 e chega agora ao Teatro da Politécnica pela mão do Teatro Estúdio Fontenova, numa encenação de José Maria Dias, com interpretação de Eduardo Dias e banda sonora de Leonardo Silva e Pedro Angelino. Um transeunte para sem falar. Um grito de amor numa noite fria.

Publicidade
9
Os Apontamentos de Trigorin
Bruno Simao
Teatro

Os Apontamentos de Trigorin

icon-location-pin Teatro A Comuna, Campolide
icon-calendar

A mais recente criação da Comuna Teatro de Pesquisa é uma encenação de João Mota para o texto de Tennessee Williams, melhor dizendo, para a adaptação de A Gaivota que o americano fez do texto de Tchekhov, lendário autor russo que João Mota nunca levou a palco. E não vai ser desta.

10
Teatro

Peter e Alice

icon-location-pin Teatro Municipal Mirita Casimiro, Cascais
icon-calendar

Ei-la: a 158ª produção do Teatro Experimental de Cascais. Os apoios vão, mas o TEC fica. Em mais uma encenação do histórico Carlos Avillez, agora a partir do texto de 2013 do norte-americano John Logan. Peter e Alice é isso mesmo que o estimado leitor está a pensar: as inspirações para Peter Pan e Alice no País das Maravilhas encontram-se num date dos tempos idos. Quem são eles? Eles próprios ou as personagens?

Publicidade
11
A Pior Comédia do Mundo
©DR
Teatro, Comédia

A Pior Comédia do Mundo

icon-location-pin Teatro da Trindade, Chiado
icon-calendar

E se de repente a porta dos bastidores se abrisse e o espectador tivesse acesso ao que por lá se passa? Foi a partir deste pressuposto que Michael Frayan escreveu esta comédia agora encenada por Fernando Gomes. O objectivo é, claro, fazer rir, através de um “olhar alucinante sobre o teatro e as loucuras e devaneios dos que o fazem, cujas tendências para crises descontroladas de ego, falhas de memória e alguma promiscuidade, transformam cada actuação numa verdadeira aventura de alto risco” interpretada, além do encenador, por Ana Cloe, Cristóvão Campos, Elsa Galvão, Inês Aires Pereira, Jorge Mourato, José Pedro Gomes, Paula Só e Samuel Alves.

12
Teatro

A Verdade/A Mentira

icon-location-pin Teatro Aberto, Campolide
icon-calendar

A nova estreia do Teatro Aberto são duas. Um dois-em-um, no fundo. A Verdade e A Mentira, do francês Florian Zeller, estarão ambas em cena pelo mesmo elenco, a primeira na Sala Vermelha e a segunda na Sala Azul do Teatro Aberto. A primeira é para ser vista quarta, sexta e domingo, a segunda calha à quinta ao sábado e ao domingo. A encenação é de João Lourenço, perante uma cena a quatro, com traições, hipocrisias, nem verdade, nem mentira.

Publicidade
13
À volta o mar, no meio o inferno
Pedro Soares
Teatro

À volta o Mar, no Meio o Inferno

icon-location-pin Teatro A Barraca, Santos
icon-calendar

A Barraca está de regresso a cena, desta vez com um direcção e texto de Maria do Céu Guerra a partir de A Ilha de Sacalina, de Tchékhov, bem como de outras obras do autor. Leva-nos a uma ilha dos condenados, ao exílio, à prisão, à reclusão como predominante. E logicamente questiona o presente, pergunta quando irá acabar a tortura, por quanto tempo vamos ver isto impávidos?

A semana em Lisboa

Coisas para fazer

17 coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

Grátis é a palavra mágica que todos gostamos de ouvir. Quando tem uma cidade a rebentar pelas costuras de coisas grátis para fazer, a solução certamente não é ficar fechado em casa à espera que lhe chovam ideias no colo. Trazemos-lhe sugestões para aproveitar, à borla, tudo o que Lisboa tem para oferecer esta semana, seja visitar exposições ou mercados, picar o ponto numa festa ou ir a um concerto. Isto tudo e mais um pouco sem ter de abrir os cordões à bolsa. Vai ficar surpreendido com a quantidade de coisas grátis que há para fazer na cidade. 

Campo das Cebolas
ManuelManso
Coisas para fazer

Cinco passeios em Lisboa para fazer esta semana

Bem no centro da cidade todas as semanas há uma série de passeios em Lisboa. E os dias que se seguem trazem uma programação particularmente variada. Temos sugestões para ocupar o seu fim-de-semana. Mas, para não ficar a ver navios, já sabe que o melhor é agilizar o processo de reserva e inscrição nas diferentes actividades (muitas delas esgotam num ápice). Quanto ao kit de sobrevivência, calçado e roupa confortável são recomendação da praxe. Combine o melhor dos cenários com a história e o exercício físico e desfrute dos melhores passeios e caminhadas. 

Publicidade
Arte

Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Acha que não se passa nada em Lisboa este fim-de-semana? Temos mais de duas mãos cheias de exposições para provar que está bem enganado. Queremos ajudar a tornar os próximos dias mais culturais, sozinho ou com a família toda atrelada (sim, há exposições kids friendly). Com tantos museus e galerias na cidade, é impossível não ter o que ver. Não queremos que se perca e por isso dizemos-lhe quais as exposições a que deve prestar atenção em Lisboa. Não há desculpas para não sair de casa. 

Publicidade