A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
dois actores em palco
Fotografia: Filipe FerreiraÚltima Hora

As peças de teatro (e não só) que tem de ver nos próximos meses

A agenda de artes performativas em Lisboa está cheia de bons motivos para fazer da cena a sua segunda casa nos próximos tempos.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Após cerca de um ano e meio particularmente atribulado para o sector das artes e da cultura, a agenda mostra-se viva e para todos os gostos e idades. Nos teatros, nas salas de espectáculos e até em lugares menos convencionais, a realidade e a ficção sobem a palco, tanto pela mão de companhias já com provas dadas, como por novos talentos. Para não ficar perdido no meio de tanta oferta, elencamos as peças de teatro e muitos outros espectáculos performativos a não perder nos próximos meses em Lisboa.

Recomendado: As peças de teatro para ver esta semana em Lisboa

As peças de teatro (e não só) que tem de ver nos próximos meses

  • Teatro
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

A partir de O Que Importa É Que Sejam Felizes!, de Luísa Costa Gomes, Maria Rueff e Joaquim Monchique desdobram-se em múltiplas personagens, levando-nos numa viagem atribulada e hilariante pelos quatro cantos da Residência Sénior Antúrios Dourados, onde duas idosas embarcam numa competição desmedida por um quarto particular após a “partida” da sua anterior ocupante.

  • Teatro
  • Grande Lisboa

Sempre quiseste visitar um palacete assombrado à noite? A partir de relatos acerca das histórias da Quinta da Fidalga, no Seixal, foi construído um espectáculo de terror imersivo, onde a ficção e a realidade se confundem. Entre reconstituições que ganham vida pelo elenco e relatos em áudio-guia, o público é convidado a participar e a não entrar em pânico antes do fim.

Publicidade
  • Teatro
  • Lisboa

Escrita em 1879 pelo autor norueguês Henrik Ibsen, “não como uma peça de propaganda mas sim de verdades universais sobre a identidade humana”, esta é uma das mais importantes obras da história da literatura, unanimemente considerada como o texto que dá origem ao drama moderno. A acção acompanha a relação do casal Helmer, sobretudo a “viagem” interior que a mulher, Nora, percorre ao longo dos três actos e que a faz tomar consciência que a aparência da perfeição e da felicidade não são a perfeição e a felicidade. 

Mais artes dentro e fora de portas

  • Arte
  • Arte urbana

Vhils, Bordalo II, Aka Corleone, Smile, ±MaisMenos±, Tamara Alves ou Mário Belém são alguns dos nomes mais sonantes neste roteiro de arte urbana em Lisboa. A eles juntam-se artistas de todo o mundo, que escolhem Lisboa para servir de tela aos mais variados estilos e mensagens. Embarque connosco num passeio alternativo pela cidade.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade