A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Kino 2022
DR

Mostra de cinema em alemão volta às salas (mas também fica em casa)

Na 19.ª edição, a KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã retoma o formato presencial. Há muitos filmes para ver de 27 de Janeiro a 2 de Fevereiro no Cinema São Jorge, e em casa através da Filmin.

Escrito por
Joana Moreira
Publicidade

Depois de uma edição exclusivamente online em 2021, a KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã volta a fazer-se de modo presencial. De 27 de Janeiro a 2 de Fevereiro, o Cinema São Jorge, em Lisboa, enche-se de filmes oriundos da Alemanha, da Áustria, da Suíça e do Luxemburgo. Paralelamente, parte da programação pode também ser vista em casa, na plataforma Filmin. 

Tal como no ano passado, a curadoria das 15 longas-metragens, quase todas estreias absolutas em Portugal, ficou nas mãos de Teresa Althen e Susana Santos Rodrigues. Desta vez, a edição têm como âncora o tema “In Zukunft” (em português, “De Futuro”). A abertura faz-se dia 27 (quinta-feira), às 19.00, com O Vizinho do Lado. O filme marca a estreia de Daniel Brühl na realização – o actor ficou conhecido pelo papel em Adeus, Lenine! – e foi um dos nomeados a Urso de Ouro no festival de cinema de Berlim.

Em 2022, a mostra volta a dividir-se em três secções: Visões, Perspectivas e Realidades. A secção Visões inclui “seis obras visualmente deslumbrantes, muitas vezes com nomes conhecidos do público na realização ou no elenco”, pode ler-se na nota de imprensa. Aqui podem ser vistos os filmes A Grande Liberdade, de Sebastian Meise, que venceu o Prémio do Júri em Cannes; Caro Thomas, de Andreas Kleinert, com Albrecht Schuch e Yella Haase (do filme Berlin Alexanderplatz, que abriu a edição de 2021 da Kino); Jumbo, de Zoé Wittock; Fabian, de Dominik Graf, obra nomeada para o Urso de Ouro para melhor realização em Berlim; O Mundo Jamais Será o Mesmo, de Anne Zohra Berrached; e Ninguém Está Com as Vitelas, de Sabrina Sarabi, que valeu à actriz Saskia Rosendahl o Leopardo para Melhor Actriz na categoria Cineasti del Presente, no Festival de Cinema de Locarno.

Já entre os filmes que integram a secção Perspectivas, dedicada a primeiras e segundas obras, além do filme de abertura da mostra, está ainda Juventopia, de Dennis Stormer; Toubab, de Florian Dietrich; Ivie mais Naomi, de Sarah Blaßkiewitz; e Só Mais uma Voltinha no Carrossel, de Hannes Starz.

A secção Realidades continua a focar-se no documentário cinematográfico, com quatro obras na programação. The Case You, de Alison Kuhn; Walchensee para sempre, de Janna Ji Wonders; O grafiteiro de Zurique, de Nathalie David; e Girls I Museum, de Shelly Silver. Este último já havia sido exibido no ano passado em Portugal, a propósito do festival IndieLisboa.

Os bilhetes para cada sessão estarão à venda na bilheteira do Cinema São Jorge a partir de 20 de Janeiro. Cada bilhete tem o custo de 4€ (3,5€ para menores de 25, maiores de 65 e alunos do Goethe-Institut). Os filmes do programa "KINO no feminino", que contempla as obras fílmicas da programação concebidas por mulheres, poderão também ser vistos em streaming na Filmin. Porém, as condições e valores praticados na plataforma para assistir aos títulos ainda não foram disponibilizados. 

+ Filminhos infantis e mais cinema alternativo em Lisboa

+ Os melhores filmes de 2021

Últimas notícias

    Publicidade