A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
The Cakery
Ricardo Lopes

Na Cakery os olhos também comem, mas o melhor ainda é provar

São os bolos caseiros que dão nome a este pequeno café com esplanada no Cais do Sodré, embora as panquecas e as tostas também dêem nas vistas. Para o pequeno-almoço, brunch, almoço ou lanche.

Escrito por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

O nome deve-se aos bolos caseiros que compõem o balcão e que todos os dias podem ser diferentes, mas da cozinha deste número 160 da Rua de São Paulo também saem torradas, tostas, panquecas, e até sopas e saladas. A The Cakery, que nasceu no lugar da Tease, é uma pastelaria mimosa e um café para todas as horas. 

A ideia para abrir este negócio surgiu quase sem planeamento. A oportunidade foi criada pelas vicissitudes da pandemia, que forçaram a Tease a ficar-se apenas pela Praça das Flores. Como Catarina Pereira Coutinho era há muito desafiada para vender os bolos que sempre foi fazendo para a família e para os amigos, o aparecimento deste espaço foi só a desculpa que faltava. 

“A ideia, na verdade, começou há anos e anos comigo a fazer bolos. Depois comecei a pensar em fazer para fora porque me diziam: 'Porque é que não vendes?'. E pediam-me bolos e eu nem um preço tinha, dizia para me pagarem só os ingredientes. Às tantas, comecei mesmo a pensar nisso e comecei a ver o que era preciso”, conta Catarina, enumerando as especificidades a que um negócio do género obriga, “desde uma cozinha industrial a certificados”. “Entretanto, a minha irmã disse-me que este espaço ia ficar vago, mas era demasiado grande para ser só uma coisa de bolos. Para avançar, ela teria de estar comigo”, continua Catarina, ao lado da irmã Filipa Galvão.

Ao contrário de Catarina, Filipa não faz os bolos, mas ideias não lhe faltam. E a dupla não está sozinha. A elas juntou-se a prima Sara Nunes de Almeida, depois de ter ouvido num jantar o que estava prestes a acontecer. “Estávamos aqui perto, viemos espreitar o sítio e ficou um bichinho. No dia a seguir, a Sara liga-me e pergunta-me se estava a falar a sério. E pronto, foi assim. De Setembro a Dezembro, aconteceu.”

The Cakery
Ricardo LopesSara Nunes de Almeida, Catarina Pereira Coutinho e Filipa Galvão

“Foi assim tudo a correr”, acrescenta Filipa. Mas não quer isso dizer que não houve uma preocupação em oferecer o melhor que podiam, a começar desde logo com a imagem da marca, inspirada nas patisseries parisienses. Ao entrar, é o lado direito que se destaca com um papel de parede saído da cabeça de Pedro Lourenço, artista e ilustrador, também conhecido por Tigre Bastardo, que se inspirou nos tecidos “toile de jouy”, com as paisagens e as figuras de outros tempos a darem lugar a desenhos primaveris e ambientes de festa.  

Os bolos são mesmo as estrelas da casa, havendo sempre quatro ou cinco à escolha. Para comer aqui, o melhor é pedir à fatia, mas saiba que também pode encomendar um bolo inteiro (e aí a lista é bem maior). O banana bread (3,20€/fatia ou 15€/inteiro), por exemplo, há todos os dias, assim como uma opção de bolo de chocolate como o bolo mousse de chocolate com natas e frutos vermelhos (3,50€/fatia ou 25€/inteiro) ou a tarte gelada de chocolate (3,50€/fatia ou 25€/inteiro). A blattertorte com compota de framboesa e alperce (4€/fatia ou 35€/inteiro) tem sido um sucesso, “talvez por não se encontrar tanto”, diz Filipa. E há sempre um bolo da semana, que ora sai da cabeça de Catarina, ora de Filipa, ora de Sara. 

The Cakery
Ricardo LopesPara o Dia dos Namorados, há uma versão em forma de coração da blattertorte com compota de framboesa e alperce

“Nem é bem da semana, é mais dia sim, dia não”, brinca Catarina. “Alguns até acabam por ficar no menu. É bom dar largas à criatividade e ver a aceitação das pessoas.”

Para lá dos bolos, o menu da Cakery também é bem composto. Dá para pequeno-almoço, brunch, almoço ou lanche, com opções que ficam bem a qualquer hora, como umas panquenas de nutella e morango (4€), uma tosta de abacate com ovo escalfado, tomate e rúcula (7€), ou um mais robusto bolo do caco com frango de caril e rúcula e chips de vegetais (8€).

The Cakery
Ricardo LopesTosta de abacate com com ovo escalfado, tomate e rúcula

Para os fãs de brunch, a qualquer dia e a qualquer hora, o menu (15€) inclui um sumo de laranja, chá ou cappuccino, e um iogurte da casa com granola caseira, banana e mel, ou os overnight oats com chia, banana, manteiga de amendoim e frutos secos, além de panquecas com morangos e nutella, um cesto de pão e croissants e ovos mexidos ou estrelados com bacon. 

The Cakery
Ricardo Lopes

“A cozinha está sempre aberta. Estamos sempre operacionais”, explica Filipa. “Temos todos os dias tudo a toda a hora, quem quiser vir comer uma sopa às dez da manhã, como já aconteceu, pode comer”, acrescenta Catarina. 

Há pouco mais de um mês de portas abertas, o balanço é já muito positivo. “Até já estamos a pensar no menu de Verão. Às vezes adaptamos. Está a correr lindamente, vemos que temos espaço para crescer.”

Rua de São Paulo 160 (Cais do Sodré). Ter-Sex 09.00-18.00. Sáb-Dom 10.00-19.00

15 doces e sobremesas para o Dia dos Namorados

+ Com tantos pedidos, o sushi do Praia no Parque também passa a ser servido à mesa

Últimas notícias

    Publicidade