Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Na Flamingos, a nova loja da Baixa, a roupa vintage vende-se ao quilo
Notícias / Vida urbana

Na Flamingos, a nova loja da Baixa, a roupa vintage vende-se ao quilo

Na Flamingos, a nova loja da Baixa, a roupa vintage vende-se ao quilo

Na Flamingos Vintage Kilo, quem dita os preços é a balança. A primeira loja da marca em Lisboa leva para a Rua dos Douradores peças de roupa que são simultaneamente amigas da carteira e do ambiente.

Vender peças em segunda mão ao quilo surgiu de um acaso. Daniel Martínez era dono de uma pequena loja vintage em Barcelona e estava com dificuldade em vender. Decidiu então recorrer à balança para liquidar o stock, uma iniciativa que teve tal sucesso que acabou por se transformar num novo modelo de negócio. Hoje, a Flamingos Vintage Kilo tem mais de 30 lojas espalhadas por Espanha e Estados Unidos. Agora, a marca chegou a Portugal – e Lisboa foi a cidade escolhida.

Como funciona este sistema? É simples: os preços variam entre os 13€, os 24€ e os 39€ ao quilo, conforme o tipo de peça. A balança trata do resto, tal como numa mercearia a granel ou num supermercado. Desta forma, a roupa fica habitualmente mais barata, dado que a maioria das peças não são muito pesadas: as camisolas, por exemplo, rondam os 8€ e as calças de ganga, de marcas como Levi’s, Lee ou Wrangler, ficam à volta dos 18€.

Manuel Manso

O conceito estreou-se em Lisboa, no 168 da Rua dos Douradores, há cerca de um mês. E já tem muita clientela. “As primeiras semanas foram muito boas, estamos muito contentes”, revela-nos Sara Dorado, uma das quatro sócias da marca em Portugal. O fascínio pelo mundo vintage já vem de trás, há cerca de oito anos, quando Sara abriu a sua primeira boutique em Badajoz. Foi aí que conheceu Daniel, tendo surgido a ideia de abrir uma Flamingos deste lado da fronteira. “Tinha o sonho de abrir uma loja aqui. Lisboa é como uma segunda casa para mim”, acrescenta Sara.

A loja é uma autêntica viagem no tempo, totalmente recheada de relíquias de outras décadas – aqui será difícil encontrar um espaço vazio. Roupa desportiva, camisolas e vestidos coloridos, casacos com cortes clássicos e uma grande selecção de gangas: a ideia é que consiga criar um guarda-roupa só com peças da loja. A juntar, há também uma grande colecção de calçado, da qual se destacam as botas texanas.

Manuel Manso

Está um pouco mais escondido, mas vale mesmo a pena espreitar: ao fundo da loja, há vestidos de pedraria feitos à mão, dos anos 60, 70 e 80. Mais irreverentes são os vestidos de noiva dos anos 30 e 40, no mesmo expositor. Estes, como são especiais, têm um preço fixo, independente do seu peso, assim como alguns casacos de pele ou acessórios de luxo. É o caso da gravata da Hermès, exposta no armário antigo de madeira, ainda assim à venda pelo valor amigável de 30€.

Manuel Manso

Comprar vintage é uma ajuda ao ambiente, e na Flamingos fazem questão de o salientar: “Nós favorecemos um sistema sustentável, é um dos principais objectivos da loja. Sabemos que a indústria da moda é uma das que causa mais danos no planeta e por isso temos que ser conscientes nas nossas escolhas”, explica Sara. Ainda no registo sustentável, a marca criou uma colecção própria, a partir das peças de roupa que não estavam em condição de serem vendidas. O resultado são os casacos bomber reciclados, a 80€ ou 90€ cada. Texto editado por Hugo Torres

Rua dos Douradores, 168 (Baixa). Seg-Sex 10.00-19.30, Sáb-Dom 11.00-19.30.

Underdogs: artistas portugueses juntam-se ao molho e com fé na arte

Publicidade
Publicidade

Latest news