Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Na hamburgueria Santo Graal, vale tudo entre duas fatias de pão
Restaurante, Bar, Santo Graal Burger & Grill
©Inês Félix Santo Graal Burger & Grill

Na hamburgueria Santo Graal, vale tudo entre duas fatias de pão

Publicidade

O conceito nasceu em Porto Alegre, no Brasil, mas acabou a passar para o lado de cá do Atlântico. Neste Santo Graal, em Campo de Ourique, os hambúrgueres são a estrela da casa mas há mais a descobrir, sempre à boleia das carnes e das cervejas.

Vini Lisboa nem sempre foi chef. "Era professor da Fundação Getúlio Vargas, que é a principal escola de negócios do Brasil, e executivo na área de Marketing e vendas. Mas sempre fui apaixonado por gastronomia", começa por dizer, numa altura em que o espaço respira a calmaria do pós-almoço. A paixão fê-lo guinar o destino há oito anos, largou a profissão executiva e académica, e começou de novo na SENAC, no Brasil, um marco no que às escolas de cozinha diz respeito. "A partir daí, comecei a trabalhar com vários chefs na minha cidade, em Porto Alegre, e paralelamente ia prestando consultoria na área de gastronomia, ao mesmo tempo que trabalhava a questão mercadológica", conta.

O Santo Graal aparece como resultado do teste de uma série de conceitos e ideias. "Quando comecei a pensar a ideia de uma hamburgueria, estava à procura de uma temática para brincar com os nomes dos pratos." No Brasil, ficou conhecido como o melhor hambúrguer da cidade, e a explicação, diz, passa por compreender a gastronomia "como algo onde as pessoas têm que viver uma experiência, é isso que eu quero na minha casa."

Fotografia: Inês Félix

 

A primeira morada em Portugal foi na Parede, na linha de Cascais, mas era preciso chegar ao coração da capital. A Ferreira Borges, em Campo de Ourique, foi o elo que faltava, numa ambiência que o levou de volta às origens. "É uma zona que me lembra um bairro da minha cidade, o Moinho de Vento, um bairro familiar. Queríamos todo o tipo de público aqui e gosto muito de ver as famílias inteiras à mesa, esse momento de comungar. Isso lembra-me a minha casa. Acho que é uma boa porta de entrada para Lisboa."

Na equipa impera o português do Brasil por uma boa razão, "é que o português precisa do brasileiro para sair um pouco da terra e o brasileiro precisa do português para pôr os pés no chão. Completam-se." Mas na carta, os sabores chegam de sítios tão distintos como o Uruguai ou a Alemanha. "Eu trago influências uruguaias, por ter vivido no Sul, influências alemãs [por ter vivido numa colónia alemã], e por isso vejo a gastronomia de outra forma. Trabalho muito com cerveja na confecção. Tenho hambúrgueres com geleia de cerveja, o meu barbecue é feito com redução de cerveja Stout. Precisamente para as pessoas poderem perceber que, tal como o vinho, a cerveja também tem estes usos."

 

Frango Teobaldo, com ketchup de banana picante
Fotografia: Inês Félix

 

No Brasil faziam a própria cerveja. Cá, o plano passa pelo mesmo, pendente da expansão do negócio. Contudo, a escolha é vasta: à pressão há rótulos como a Lagunitas IPA, Stela Artois, Franziskaner Naturtrüb Weissbier ou a cerveja da casa, sob consulta. Mas também a Guiness, a Leffe, a Topázio ou a Onix fazem parte de um cardápio que ultrapassa as duas dezenas de variedades.

Na carta, tudo começa com o tira gosto. Há frango Teobaldo (7,90€) com molho bravo, ou as tiras parrillera (8,90€) com carne de vaca em tira de queijo provolone e chimichurri. Na grelha, o bife parrillero completo é o grande favorito e vem de duas formas: simples (8,50€) ou com queijo provolone e chimichurri (9,90€). Pode também optar pelo salmão (9,90€) ou pelo frango (8,50€), tudo com dois acompanhamentos e um molho à escolha.

 

O Salomão
Fotografia: Inês Félix

 

Se o assunto for hambúrgueres, o ex-líbris, há um total de nove opções, todos eles com sugestões de harmonização. O Constantino (8,90€) com pão de alfarroba, hambúrguer de vaca, queijo flamengo, bacon, geleia de cerveja IPA e relish de pepino. O Salomão (8,90€), com pão tradicional, hambúrguer de vaca, queijo cheddar, cebola dourada na manteiga, bacon barbecue de cerveja stout e alface roxa é outra das opções, seguindo-se o Santo Graal (8,90€) com pão com farofa de cuca, hambúrguer de salsicha fresca, queijo edam, molho de mostarda, confit de pimentos, cebola roxa e rúcula ou o Templário (8,90€), com pão tradicional, carne de vaca, queijo provolone, chimichurri, confit de tomate com ervas aromáticas e rúcula.

No capítulo das sobremesas, a cuca cremosa (2,90€) é o argumento principal, mas há também creme catalana (2,90€), duo de brigadeiro (2,90€) ou gelado de nata com calda de frutos vermelhos suavemente picante (3,90€). Para fechar, e porque o Brasil está sempre presente, as capirinhas também são opção.

 

A cuca cremosa com frutas vermelhas
Fotografia: Inês Félix

 

 Rua Ferreira Borges, 45 (Campo de Ourique). Dom-Qui 11.45-23.00, Sex-Sáb 11.45-00-00.

+ As melhores hamburguerias em Lisboa

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade