Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Na Taberna Albricoque há petiscos do Algarve e fado lisboeta

Na Taberna Albricoque há petiscos do Algarve e fado lisboeta

Publicidade

Chegou a Santa Apolónia há pouco mais de uma semana e trouxe consigo um pedaço do Sul. Na Taberna Albricoque, a mão é de Bertílio Gomes, cujo percurso conta passagens por espaços como o Hotel da Lapa, o Bica do Sapato ou o Faz Figura, e que agora faz renascer uma morada centenária com petiscos e pratos algarvios.

A Taberna Albricoque é o espaço que Bertílio Gomes imaginou como casa para uma paixão que há muito o acompanha: a cozinha algarvia, empurrado pelas raízes da família. O espaço faz lembrar os pedaços da velha Lisboa, as paredes, o balcão, os móveis, o chão de mosaico hidráulico ou a sala ao fundo, com o painel azulejado, alegoria à antiga estação, e onde todas as quartas-feiras acontece a noite de fado, cortesia da voz de Marta Rosa.

"Estava à procura de um sítio para abrir uma geladaria, conheci este espaço e apaixonei-me", começa por dizer o chef Bertílio sobre a escolha do número 98 da Rua dos Caminhos de Ferro, atrás da estação de comboios de Santa Apolónia. "Estamos a falar de uma casa de 1905, ainda com o mosaico hidráulico original, portas originais, pedras, armários. Já não se encontra muito disto em Lisboa. Achei então que era este o espaço para abrir o conceito de cozinha mediterrânica, algarvia, num contexto de petiscos, descontraído."

 

A sala de fundo da Taberna
Fotografia: Duarte Drago

 

A carta, inteiramente pensada por Bertílio, pende para as especialidades algarvias clássicas, sem pretensões de fazer uma cozinha inovadora. "Queremos, sim, ser inovadores ao trazer o autêntico para o mercado, que é uma coisa que hoje em dia não é fácil de encontrar. Queremos fazer bem, ter bom produto, matéria-prima da estação, cumprir a parte sazonal e ter a hipótese de fazer pratos diferentes todas as semanas."

Ao almoço, as opções passam por três pratos "do mercado", um de peixe, um de carne e uma salada, consoante a disponibilidade dos produtos. "E temos um hortelão, em Palmela, parte do projecto vegan Romã, que está a produzir produtos orgânicos só para nós e vem trazer, ou vamos nós colhê-los."

 

 

Ervilhas com ovo bio escalfado
Fotografia: Duarte Drago

 

"É uma cozinha muito vegetal, e a proteína animal serve para dar sabor à comida. Neste momento estamos a fazer um percurso, já reduzimos nessa proteína mas no futuro ainda queremos mais. Chegar ao ponto em que estávamos há 80 ou 90 anos, em que se comia 40 ou 50 gramas de carne por dia e essa carne servia, através das salmouras, para dar sabor ao resto das confecções."

Ao jantar a carta cresce, mas há sabores fixos com vários conceitos ao longo do dia, "como as sanduíches foguete, que são em memória de um antigo comboio, à altura o mais rápido da Península Ibérica. Criámos três sanduíches como homenagem: A de bochecha de porco grelhada, uma de abrótea arrepiada frita e uma sanduíche vegan com tártaro de beterraba." 

A abrir, a cenoura roxa de conserva com azeitonas de sal (2,20€), a tiborna de uvas e laranja (2,40€) ou as amêndoas salgadas (2,70€), tudo com pão da Gleba (2,50€). Nos petiscos, há queijo Monte da Vinha (4,20€), queijo vegano de amêndoa (5€), ostras ao natural (3,20€ a unidade), ou carapau curado (4,80€).

 

Carapau curado
Fotografia: Duarte Drago

 

Seguem-se as especialidades do mar com a canja de lingueirão (7€), a raia de alhada (13€) ou a abrótea arrepiada que também pode ser um xerém de algas (12€). Da terra, chegam as ervilhas com ovo bio escalfado (4,80€), o rabo de boi com grão (9,90€) ou a galinha cerejada com pêra e amêndoas (11€). Pode acompanhar tudo com um dos muitos vinhos disponíveis na carta. Do Hiatus 2016 (15€ a garrafa, 4€ o copo) ao Joaquim Costa Vargas (15€ garrafa, 4€ o copo), passando pelo branco Peripécia "Chardonnay" 2017 (26€) ou pelo tinto intenso Barranco Longo Reserva 2013 (31€). 

 

Citrinos, biscuit de laranja e sorvete de tangerina
Fotografia: Duarte Drago

 

Nas sobremesas, os citrinos com biscuit de laranja e sorvete de tangerina (5€), a almece de ovelha, amêndoa e pinhoada com tomilho (4€) ou o gelado da semana também são opções. Termine com uma Aliança Velha (5€) ou um shot de aguardente de medronho (3€).

Rua Caminhos de Ferro, 98 (Santa Apolónia). 963491581. Ter 15.00-23.00. Qua-Sáb 12.00-23.00, Dom 12.00-18.00.

+ O Redfrog tem um novo irmão exótico

Share the story
Últimas notícias
    Publicidade