Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Novo serviço de motos eléctricas é grátis até 2 de Junho
Notícias / Vida urbana

Novo serviço de motos eléctricas é grátis até 2 de Junho

Motosharing Acciona en Lisboa
Acciona Mobilidade

Há uma nova alternativa de mobilidade urbana na cidade. Podia ser mais uma marca de trotinetas, mas não é. A espanhola ACCIONA chega a Lisboa com motos eléctricas, equivalentes a 125 cêntimetros cúbicos de cilindrada. Até dia 2 de Junho, não paga nada e, se não experimentar o serviço a tempo, pode ainda usufruir de 30 minutos grátis na primeira utilização.

Depois de dois anos sem concorrência, a eCooltra vai deixar de ser a única operadora de motos partilhadas em Lisboa. A frota da ACCIONA, empresa de energias renováveis, oferece cobertura desde o Parque das Nações até Algés. Até 2 de Junho, se descarregar a aplicação e proceder ao respectivo registo e validação, poderá usufruir do serviço de forma completamente gratuita.

“É importante criar alternativas para que as pessoas possam optar pelo que lhes for mais conveniente e, se não for o carro, ainda melhor”, declarou o vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, Miguel Gaspar, no lançamento oficial, que decorreu esta terça-feira no Hotel Evolution. “Uma moto destas ocupa muito menos espaço do que um carro. As cidades não aguentam com tantos carros, os espaços públicos também não.”

Ramón Piñeiro, director de novos negócios da área de serviços da Acciona, reforçou a importância da sustentabilidade e de apresentar soluções de mobilidade urbana que contribuam para a “descarbonização da economia e a melhoria da qualidade de vida”. O objectivo, explicou, é reduzir a poluição atmosférica e sonora, os tempos de viagem e o tráfego.

A frota de 300 motos, com um motor equivalente a 125cc, já em circulação, estão disponíveis todos os dias, entre as 06.00 e as 02.00 da manhã. Para as usar, basta proceder à escolha de uma de duas modalidades de condução – 50 km para cidade e 80 km para vias rápidas – através da aplicação para smartphone ou do site ACCIONA Mobilidade. O valor de tarifário oscila entre os 0,26€ e os 0,28€ por minuto, mas também existe um modo de pausa (0,5€ por minuto), para o caso de precisar de estacionar pelo caminho, durante até seis horas. Se quiser alternar entre modos de condução, não se preocupe: pode fazê-lo e o valor final tem em conta as diferentes tarifas.

Na aplicação (IOS e Android), é possível ver as scooters num mapa da capital e a respectiva carga de bateria disponível, mas para validar o registo terá de submeter informações acerca da sua identidade e carta de condução de ligeiros. Para quem já está a pensar andar de scooter com companhia, todos os veículos têm dois assentos e dois capacetes de segurança no porta-malas. Numa primeira fase, o serviço cobre bairros mais tradicionais e históricos de Lisboa, como Campo de Ourique, Bairro Alto, Alfama, Castelo, Mouraria, Belém ou Santos, mas também as novas zonas residenciais da cidade, como o Parque das Nações e Telheiras, para além de chegar ao Aeroporto Humberto Delgado.

No mercado espanhol, estas scooters estão presentes em Madrid, Valência, Sevilha e Hospitalet de Llobregat, em Barcelona. Se for até ao país vizinho, já sabe: pode fazer uso do serviço, basta ter a aplicação.

+ Santa Maria Maior vai passar a multar trotinetas e bicicletas mal estacionadas

Publicidade
Publicidade

Comentários

1 comments
A. R

O valor de tarifário oscila entre os 0,26€ e os 0,28€ por minuto, mas também existe um modo de pausa (0,5€ por minuto), "


Acho que alguém se esqueceu de um zero ?! .. ou fica mais caro estar parado que a andar .. 50cent/minuto...