Global icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right O Chá da Alice chega a ferver a Lisboa
Notícias / LGBT

O Chá da Alice chega a ferver a Lisboa

Chá da Alice
©Marcos Oliveira Chá da Alice

A famosa festa que começou há dez anos no Rio de Janeiro vem ao Ministerium nesta sexta-feira e promete "alienar" muita gente. Falámos com a organização e descobrimos que em Maio há mais Chá com a cantora Lexa.

O que começou como uma brincadeira de aniversário acabou por transformar-se “na maior festa pop do Brasil”. O primeiro Chá da Alice foi servido no Rio de Janeiro em 2009 e não passava de uma festa de anos do empresário Pablo Falcão, com o actor Pedro Nercessian, inspirada na temática da Alice no País das Maravilhas.

Foi um sucesso tão grande que “começaram a desenvolver o conceito do Chá da Alice”, recorda Tiago Xavier, um dos responsáveis pela festa, que esta sexta, dez anos depois, chega a Lisboa e promete “alicear” muita gente. Logo depois da estreia, Pedro e Pablo foram convidados a repetir o Chá nos três sábados seguintes, até importarem o conceito para outros clubes do Rio de Janeiro e depois para espaços no Brasil inteiro

Ao todo, foram 452 as edições do Chá da Alice e uma estimativa de perto de 1 milhão de pessoas em 20 cidades do Brasil. Uma espécie de Revenge of the 90s brasileiro, mas com personagens e decoração do universo da Alice.

Aliás, é esse universo que chega esta sexta ao Ministerium, “com toda a estrutura da festa”, adianta Tiago. Conte com chávenas de chá, um Chapeleiro Louco, a Rainha de Copas e todas as personagens míticas da Alice, brindes e convidados inesperados a meio da noite e banda sonora pop e brasileira. “Queremos dar oito horas de festa às pessoas”, continua Tiago. “Não é uma festa gay e não é uma festa hetero. É uma festa em que todo o mundo tem de se divertir e aceitar as diferenças. Se quiser ir vestido de Alice, pode ir...”

Marcos Oliveira/Chá da Alice

 

A organização tem duas carrinhas disponíveis para transportar pessoas que vêm nessa noite do Bairro Alto e traz outro miminho: no fim da festa, às sete da manhã, vão servir um pequeno-almoço para repor energias. “São coisas que a gente faz para deixar a nossa marca e diferenciar”, diz Tiago.

Há outro Chá da Alice marcado para Maio também 
no Ministerium, com um nome sonante do outro lado do oceano: a cantora brasileira Lexa. Em Setembro, se tudo correr bem
a convidada será Kelly Key. “A gente vai fazer também uma surpresa para os portugueses porque sempre onde vai [o Chá] tem também essa preocupação com a cultura local.”

O Chá da Alice já passou por cidades como Miami, Dublin e Nova Iorque e agora que chega a Lisboa será uma “mistura entre o Chá puro [uma versão mais festa, como a de sexta] e o chá musical [com um concerto]”.

No Brasil, Anitta, Pabllo Vittar, Tati Quebra-Barraco, Daniela Mercury, Ivete Sangalo e Xuxa foram algumas das convidadas especiais do Chá. Por cá, é provável que num futuro próximo haja mais surpresas no bule. Os bilhetes para o primeiro Chá da Alice em Lisboa começam nos 12€ (só festa) e acabam nos 35€ (com bar aberto do Boteco do Massay). Estão na Ticketline e em bares como
o Construction, 49 da ZDB, Acarajé da Carol e Friends Bairro Alto.

Noite de sexta, 00.00-08.00, no Ministerium (Terreiro do Paço).

+ Discotecas em Lisboa. Quando cai a madrugada na cidade

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments